Conheça o PhilArchive, repositorio temático para estudos de Filosofia

17372-mulher-usando-computador-30300.jpg

O PhilArchive é o maior arquivo de e-print de acesso aberto em filosofia. A plataforma é construída e integrada com o banco de dados PhilPapers. O acesso a itens no PhilArchive é gratuito e necessita da criação de uma conta de usuário. O PhilArchive é um projeto sem fins lucrativos, apoiado pela PhilPapers Foundation.

Além disso, o portal consiste inteiramente em artigos submetidos pelos seus usuários e você pode contribuir enviando seu trabalho. Atualmente, existem 28.444 obras no arquivo.

Para acessar, basta clicar no link.

 

Anúncios

Opção “Buscar periódico” do Portal da CAPES ganha upgrade

periodicos

Uma das opções de pesquisa que o Portal de Periódicos da Coordenação da CAPES oferece aos usuários, é a busca por revistas científica, por meio do link Buscar periódico. A página está prestes a passar por melhorias.

As novas telas que ficarão visíveis trazem novidades. A opção de busca por palavra no título ou por ISSN agora serão no mesmo campo. A lista de resultados de busca permanece simples, mas agora inclui o ícone de acesso aberto. Para visualizar os detalhes de acesso, o usuário pode clicar na opção de visualizar a lista detalhada e checar todos os dados de disponibilidade em uma única tela.

Ao clicar no link do periódico, o usuário poderá visualizar outras informações da publicação (área do conhecimento e títulos alternativos), além do ícone para acessar a página do periódico. Será ainda possível, a partir da tela de resultados, clicar no link para acesso à revista científica que estará disponível.

Algumas funcionalidades serão mantidas: a inclusão de uma palavra no campo de busca ainda acionará a função de sugestão de títulos disponíveis e os filtros por área do conhecimento e editor/fornecedor também continuarão acessíveis para os pesquisadores.

Em caso de dúvidas, os usuários podem entrar em contato com a equipe do Portal de Periódicos pelo e-mail periodicos@capes.gov.br.

 

Fonte: Portal de Periódicos da CAPES

Acesso CAFe e Meu espaço: dois serviços diferentes disponíveis na CAPES

periodicos-1

Com o objetivo de melhorar a visualização de áreas importantes da biblioteca virtual da CAPES, a Coordenação-Geral do Portal de Periódicos implementou uma melhoria no design da página principal.

A novidade que está no ar desde março desse ano é que o “Acesso CAFe” e o “Meu Espaço” não aparecem mais na mesma área. Os links foram separados e os usuários têm acesso a cada campo de forma individual, ambos dispostos no menu superior da home. Saiba qual é a finalidade de cada serviço:

Acesso CAFe

A Comunidade Acadêmica Federada (CAFe) é um serviço de responsabilidade da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) que permite o acesso remoto – “Acesso CAFe” – ao acervo do Portal de Periódicos. Por meio desse recurso, o usuário pode acessar os conteúdos assinados pela CAPES de qualquer lugar e a qualquer hora, basta estar conectado à internet.

O serviço apresenta a grande vantagem de não sobrecarregar a rede da instituição. Isso porque a tecnologia da CAFe realiza a identificação do vínculo institucional do usuário, utilizando qualquer rede de internet disponível. Cada instituição de ensino e pesquisa é responsável pela adesão e implementação do serviço junto à RNP, bem como pela liberação do acesso aos seus usuários.

Acesse aqui mais informações sobre a CAFe.

Meu espaço

O “Meu espaço” é uma área administrada pela equipe do Portal de Periódicos e oferece vários recursos, que permitem ao pesquisador montar seus próprios conjuntos de busca, salvar e criar alertas de pesquisas já realizadas no acervo do Portal e guardar seus artigos, periódicos e bases de dados preferidos em um espaço virtual permanente.

O cadastro no “Meu espaço” é opcional e sem vínculo ao “Acesso CAFe”, tendo login e senha diferentes para cada serviço. Os usuários registrados no “Meu espaço” recebem o Boletim Eletrônico do Portal de Periódicos e podem se inscrever nos treinamentos online, além de ter acesso ao certificado digital da capacitação.

É importante destacar que o cadastro no “Meu espaço” não interfere no tipo de acesso realizado ao Portal de Periódicos, ou seja, o usuário pode acessar a biblioteca virtual independente de possuir login e senha nessa área.

Para esclarecimento de dúvidas sobre o “Meu Espaço”, o Portal de Periódicos disponibiliza como canal de atendimento ao usuário o e-mail periodicos@capes.gov.br

CAPES adota identificador digital para inscrição em programas internacionais

periodicos

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) solicitará, dos candidatos a bolsas e financiamentos de seus programas internacionais, um código de cadastro na ORCID (Open Research and Contributors Identification, ou Identificação Aberta de Pesquisa e Colaboradores).

Gratuito, o número ORCID é um “nome” digital permanente para identificação de pesquisadores. O código tem 16 dígitos e é único para cada pessoa. Essa característica impede ambiguidades na identificação de autores e colaboradores em publicações ou em instituições. A adoção do código é uma tendência mundial das organizações ligadas a pesquisa. Em 2015, um grupo de grandes editoras científicas passou a exigir o código no processo de submissão de artigos científicos.

Quem se inscreve na ORCID, além de receber o código, conta com um espaço para construir um perfil de sua produção e sua trajetória profissional, semelhante a um currículo. Com a adoção do identificador, a CAPES pretende aperfeiçoar requisitos de seleção e a avaliação de resultados dos programas. No entanto, a inscrição no ORCID não vai substituir o Currículo Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que também é exigido nas candidaturas aos programas internacionais da CAPES.

Fonte: CAPES 

Revista dos Tribunais é excelente ferramenta de pesquisa jurídica

Revista do Tribunais é uma plataforma inteligente de pesquisa jurídica, que facilita o dia a dia dos estudantes e pesquisadores de direito. A base de dados que reúne de forma selecionada: doutrina – periódicos, coleção doutrinas essenciais e pareceres – jurisprudência, legislação – códigos e legislação comentada – súmulas, notícias e outros conteúdos.

Por ser um portal online, a busca pode ser feita de qualquer local por meio de computadores, smartphones e tablets. Mas, para ter acesso ao conteúdo é preciso configurar o proxy (clique aqui para acessar o tutorial) no seu navegador ou estar conectado a rede da Universidade de Caxias do Sul.

Para consultar a Revista dos Tribunais, basta acessar o link . A navegação dentro da plataforma é simples, contando com vídeos tutoriais e dicas de uso.

rt.png

Base de dados SciELO oferece artigos científicos e periódicos

scielo.gif

A Scientific Electronic Library Online – SciELO é uma biblioteca eletrônica que abrange uma coleção selecionada de periódicos científicos brasileiros. O Projeto tem por objetivo o desenvolvimento de uma metodologia comum para a preparação, armazenamento, disseminação e avaliação da produção científica em formato eletrônico. O site é constantemente atualizado tanto no seu formato como no seu conteúdo, de acordo com os avanços e os resultados do projeto.

 A interface SciELO proporciona acesso à sua coleção de periódicos através de uma lista alfabética de títulos, ou por meio de uma lista de assuntos, ou ainda através de um módulo de pesquisa de títulos dos periódicos, por assunto, pelos nomes das instituições publicadoras e pelo local de publicação.

A SciELO é uma fonte nacional de acesso livre e para ser consultada basta acessar o link http://www.scielo.org/.

Highwire Press abriga milhões de registros científicos

periodicos.png

A Highwire Press abriga milhões de artigos científicos e disponibiliza artigos e outros conteúdos próprios e de parceiras, como universidades e sociedades científicas.  A comunidade acadêmica brasileira tem acesso, por meio do Portal de Periódicos da CAPES, ao conteúdo da Highwire Press.

unnamed.jpgA Highwire Press também produz versões online de alto impacto, periódicos revisados por pares, livros e outros conteúdos acadêmicos. Atualmente, a Plataforma de Publicação Inteligente da HighWire(HighWire’s Intelligent Publishing Platform) suporta mais de 3000 periódicos, livros, trabalhos de referência e procedimentos.

O Portal de Periódicos disponibiliza dois links de acesso à plataforma: a coletânea “HighWire: Free Online Full Text Articles”, com conteúdo de acesso aberto, e a coleção “Highwire Press”, com conteúdo restrito* a algumas instituições que participam da biblioteca virtual da CAPES.

Por meio da coleção nomeada “HighWire: Free Online Full Text Articles”, os usuários têm à disposição milhões de artigos de livre acesso, que inclui coleções completas, títulos com acesso liberado durante um período pré-determinado e publicações com coletâneas retrospectivas. A base abriga várias áreas do conhecimento, como Multidisciplinar, Ciências Biológicas, Ciências da Saúde, Ciências Sociais Aplicadas e Ciências Humanas.

Entre os conteúdos da plataforma, é possível localizar artigos de publicações como: Science Magazine, The Plant Cell, Microbiology, Journal of Cell Biology, Molecular Pharmacology, Pediatrics, Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) e Journal of the American Medical Association (JAMA).

Pelo Portal de Periódicos, é possível localizar a plataforma de dois modos: pela opção Buscar base ou pelo link Buscar periódico (inserindo o nome do título desejado ou selecionado o Editor/Fornecedor Highwire Press).

Fonte: CAPES 

Nova ferramenta de métrica auxilia os usuários a localizar títulos mais citados

periodicos-1

As métricas CiteScore – um novo padrão para medir o impacto da citação em série – estão disponíveis gratuitamente para mais de 22.600 títulos na plataforma Scopus, da editora Elsevier. A base de dados compõe o acervo do Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

O CiteScore calcula as citações de todos os documentos no primeiro ano para os documentos publicados nos três anos anteriores para um título (Gráfico: Elsevier)O CiteScore calcula as citações de todos os documentos no primeiro ano para os documentos publicados nos três anos anteriores para um título. Por exemplo: para calcular um valor de 2015, o CiteScore conta as citações recebidas em 2015 para os documentos publicados em 2012, 2013 e 2014. Este número é dividido pela quantidade de documentos indexados no Scopus, publicados em 2012, 2013 e 2014.

As métricas são encontradas no próprio Scopus, na seção Sources. Os dados de 2016 já estão disponíveis para acesso. De acordo com os registros mais recentes, as dez revistas científicas com maior quantidade de citações são:

1. PLoS ONE
2. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America (PNAS)
3. Nature
4. Journal of the American Chemical Society
5. Science
6. Nature Communications
7. Angewandte Chemie – International Edition
8. Scientific Reports
9. New England Journal of Medicine
10. RSC Advances

Os usuários do Portal de Periódicos da CAPES têm acesso a todos os títulos elencados acima. Além do recurso utilizado para chegar à lista supracitada (Citations 2016), dentro da ferramenta há outras opções de filtros para verificar a colocação das publicações, além de ser possível refinar as revistas científicas por área, título e ano.

Para mais informações, a editora Elsevier disponibiliza um canal de perguntas mais frequentes sobre o CiteScore: clique aqui. Para acessar a plataforma Scopus, acesse a opção Buscar base do Portal de Periódicos.

Em caso de dúvidas, entre em contato conosco através do telefone (54) 3218-2173 ou pelo e-mail bice@ucs.br

Fonte: CAPES

 

Você sabia que pode consultar o conteúdo do Portal de Periódicos de qualquer lugar?

unnamed.jpg

Além do endereço eletrônico www.periodicos.capes.gov.br, a biblioteca virtual da CAPES conta com o aplicativo .periodicos., que permite o acesso por meio de smartphones e tablets. O recurso está disponível para iOS e Android, nas categorias Referência e Educação.

No ar desde 2014, a plataforma móvel proporciona à comunidade acadêmica brasileira a realização de buscas rápidas por assunto, periódico, base e livro, todos com a funcionalidade de auto-preenchimento. Desenvolvido em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), o aplicativo permite o acesso remoto via Comunidade Acadêmica Federada (CAFe).

A ferramenta é uma ótima opção para o usuário realizar buscas em mais de 38 mil periódicos, 11 bases de patentes, 134 bases referenciais, mais de 280 mil e-books, enciclopédias, dicionários, teses, dissertações, bases de dados estatísticos, normas técnicas, redes de e-prints, entre outros conteúdos. É possível ainda entrar em websites referenciados pelos resultados de busca, além de ler e exportar os artigos em formato PDF.

 

Participe do quiz que mede o conhecimento dos usuários da ferramenta Web of Science

unnamed (1).jpg

O Web of Science oferece acesso à mais confiável, integrada e multidisciplinar pesquisa, conectada por meio de métricas de citação de conteúdo vinculado de várias fontes em uma só interface. A plataforma conecta todo o processo de pesquisa e descoberta por meio de melhor conteúdo multidisciplinar,  tendências emergentes, conteúdo específico de áreas, conteúdo regional, dados de pesquisa e ferramentas de análise. Os dados do Web of Science são utilizados por 231 países / regiões, com uma média de mais de 800.000 pesquisas feitas diariamente.

A Clarivate Analytics está promovendo um Quiz para medir o conhecimento dos usuários da ferramenta Web of Science, e dependendo do seu desempenho no teste você poderá ganhar ingressos de cinema, gift cards e um jantar exclusivo para 2 pessoas. Ao todo, serão realizados três quizzes, dos dias 15 a 22 e 23 a 31 de agosto, e dos dias 01 a 08 de setembro.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do link.

 

Site da USP com informações sobre indicadores e métricas de produção científica

f_7634.jpg

O uso de indicadores e métricas de produção científica tornou-se prática rotineira na avaliação da qualidade e desempenho de pesquisa. No esteio dessa demanda, a análise bibliométrica e cientométrica realizada por meio de indicadores tem se tornado cada vez mais popular, juntamente com ferramentas analíticas de produção científica como o InCitese o SciVal, além do VantagePoint.

Principais indicadores:

  • Indicadores e Métricas – São exemplos de indicadores de desempenho de pesquisa: fator de impacto, produtividade, índice h, meia-vida, etc.

Ferramentas analíticas:

  • InCites (Thomson Reuters) é uma plataforma online de avaliação de pesquisa personalizada e baseada em citações, que tem como fonte de dados a Base Web of Science. Permite realizar análises de produtividade e impacto científico, comparar resultados com outras instituições, aferir o desempenho de pesquisadores, pesquisas financiadas. Saiba mais sobre o InCites.
  • SciVal (Elsevier) possui um portfólio de ferramentas de análise de indicadores de produção científica, que tem como fonte de dados o Scopus e o Science Direct. Permite realizar análises bibliométricas da produção científica de uma determinada instituição, país, região, autor ou grupos de autores, ou ainda em revistas, desde que o material esteja indexado na base de dados Scopus. Saiba mais sobre o SciVal.
  • VantagePoint (Search Technology) é uma importante ferramenta de mineração e análise de dados, que permite realizar análises bibliométricas e estudos relacionados à produção científica de uma determinada área de conhecimento, instituição ou pesquisador, análise de coleções, verificação de erros e inconsistências em registros bibliográficos, bem como análises de tendências de pesquisa, desde que se tenha o arquivo de dados. Saiba mais sobre o VantagePoint.
  • Publish or Perish é um software de desktop gratuito que extrai dados do Google Scholar para ajudar os autores a analisar várias estatísticas sobre o impacto da pesquisa.
  • Google Scholar Metrics fornece uma maneira fácil para os autores avaliarem rapidamente a visibilidade e a influência de artigos recentes em publicações científicas.

Fonte: SIBIUSP

 

Minha Biblioteca dispõe de novos recursos para pesquisa

O portal Minha Biblioteca é uma plataforma com milhares de títulos acadêmicos, que possibilita aos estudantes da UCS, acesso a mais de 6.500 títulos das principais editoras do país. Recentemente, a Minha Biblioteca conta com novos recursos para facilitar a pesquisa e a leitura das obras do seu acervo, confira:

newsletter_labs.jpg

Integração da plataforma EBSCO HOST com a federação CAFE

computador-consumidor.jpg

A plataforma EBSCO HOST e a federação CAFE concluíram o processo de integração entre as plataformas. Esta integração possibilita o acesso aos conteúdos das bases de dados acessadas através da plataforma EBSCO HOST. Este acesso pode ser feito de qualquer lugar físico, desde que o aluno/usuário possua um dispositivo que acesse a internet através de um navegador como Google Chrome, Mozilla Firefox ou IE, utilizando suas credenciais de acesso fornecidas pela federação CAFE. Lembrando que esta integração inclui também acesso ao texto completo, quando disponível.

Para testar, basta acessar o link .

Como encontrar artigos em acesso aberto

online_keyboard_news (1).jpg

A publicação dos resultados de estudos acadêmicos em acesso aberto é cada vez mais frequente e estima-se que atualmente estão disponíveis milhões de documentos online. Por esta razão, é importante ter ferramentas eficientes para encontrar as versões livres dos artigos que precisamos. Como a necessidade vai criando a oferta, nos dois ou três últimos anos vem surgindo aplicativos gratuitos para atender aos requerimentos dos acadêmicos, bibliotecários, pesquisadores, e estudantes em geral.

A tabela a seguir apresenta os diferentes serviços analisados por Aaron Tay em vários posts (os links estão relacionados no final do post) com alguns comentários e avaliações minhas (que me considero um pouco velho para ser um nerd!). Mais abaixo neste post mostraremos exemplos dos dois plugins que nos parecem mais eficientes – ou seja: são os que eu uso – porém seria um bom exercício que você mesmo faça seus testes.

BASE:  Este serviço criado pela Bielefeld University Library na Alemanha é, provavelmente, um dos maiores e mais avançados agregadores do mundo, superando em novembro de 2016 os 100 milhões de documentos . O serviço BASE assegura que pelo menos 40% dos textos identificados estão em acesso aberto, não sendo possível assegurá-lo ao restante por falta de metadados nos repositórios. Através do serviço de oadoi.org, tem acesso a mais de 5.000 repositórios.

CORE:  O CORE afirma ter cerca de 70 milhões de documentos que, assim como o BASE, são recuperados através do protocolo OAI-PMH. Por esta razão, também têm o mesmo problema de vincular com certeza os textos completos devido ala falta de normalização dos metadados nos repositórios institucionais, em particular os “Green OA” (ver nota no final da tabela). Em contrapartida, o CORE indexa o conteúdo destes textos completos.

Dissemin:  Está em versão beta, têm indexados cerca de 100 milhões de documentos. É uma versão simples, por enquanto limitada a buscar apenas pelo nome do autor. Entrega os resultados rapidamente indicando quais deles estão disponíveis em acesso aberto.

Lazy Scholar Buton:  Lançado em 2014, é um plugin que, até o momento, funciona apenas no navegador Google Chrome. É a extensão mais complexa (algo complicado também) e, entre vários serviços, pode verificar se sua instituição possui assinaturas ao texto completo, apresentar varias métricas de citação, obter comentários de sistemas como PubMed Commons, oferece funções que lhe permite criar citações, e recuperar documentos relacionados com sua consulta que podem ser de interesse, também em acesso aberto.

OAlters: Propriedade de OCLC, esse é um catálogo coletivo que declara possuir mais de 50 milhões de registros de recursos em acesso aberto, provenientes da coleta por OAI-PMH de mais de 2.000 fontes que contribuem ao catálogo. Os registros também estão disponíveis na interface do WorldCat. Tem as mesmas limitações que foram indicadas para o BASE, CORE e coleções baseadas no protocolo OAI-PMH, limitações que são explicadas ao final desta tabela.

Open Acess Button: É um plugin criado em 2013 por dois estudantes e deve ser instalado em um navegador que não seja Internet Explorer, mas é instalado facilmente no Google Chrome. Têm alguns milhares de usuários registrados. Em meus experimentos, no entanto, não tive muito êxito.

Google Scholar Button: É um plugin lançado em 2015 que pode ser instalado de forma simples e direta. Como funciona? Suponhamos que você está em uma página a qual não teve acesso através do Google Scholar e queira saber se existe uma versão de acesso livre deste documento. O que deve fazer, então, é marcar o título do artigo com o mouse e clicar no ícone na barra de ferramentas (o de número 2 na figura de nossa barra de ferramentas). O Google Scholar buscará em background e abrirá em uma janela secundária à direita apresentando todas as versões de acesso livre que têm indexadas.

Unpaywall Button:  Uma vez que a extensão é instalada, quando chega a uma página de um documento qualquer, aparecerá na margem direita de sua tela o ícone de um cadeado, que pode estar em diferentes cores, eles têm os seguintes significados:

  • Verde: o texto completo está em um repositório institucional ou servidor de preprints
  • Dourado: trata-se de um artigo de um periódico que tem licença de acesso aberto
  • Azul: está em um periódico que não tem licença de acesso aberto
  • Negro: não encontrou outras versões em seu índice.

São de fato efetivas estas ferramentas para encontrar textos livres?

Em termos de eficiência, podemos dividir estas ferramentas em dois níveis:

  • No primeiro nível estão aquelas que se baseiam na busca direta pelo Google Scholar, comoLazy Scholar button, também o Google Scholar button e Unpaywall button.
  • Em segundo nível estariam todas as outras ferramentas analisadas neste post.

O motivo é que o Google Scholar é o maior índice de material académico disponível, apesar de ter limitações ao indexar os repositórios. Todas as outras iniciativas, no momento, são muito menores em termos de cobertura, incluindo os agregadores como o BASE e o CORE pelos motivos explicados acima. Por outro lado, o Google Scholar desenvolveu algoritmos muito eficientes que permitem distinguir as diferentes manifestações de um mesmo artigo (preprints, versões, postprints, etc.).

Além disso, o Google Scholar não apenas indexa repositórios, com também toda classe de sites, incluindo as páginas web das universidades. Estes documentos são invisíveis à maioria dos pluginsanalisados, que se restringem principalmente a repositórios, ao passo que o Google Scholar indexa todos os documentos que parecem ser acadêmicos, incluídos em sites com extensão: .edu.

Também é necessário ressaltar que os serviços do tipo Open Access button e aqueles que usamOadoi.org e similares, não indexam artigos disponíveis no ResearchGate ou Academia.edu, devido às fortes suspeitas de que muitos destes documentos depositados pelos autores violam os acordos de direitos com os periódicos, porém são indexados pelo Google Scholar. Segundo um recente artigo4 do Scientometrics, estima-se que cerca de 40% dos PDF depositados no ResearchGateviolam os acordos de copyright.

Fonte: SPINAK, E. Como encontrar artigos em acesso aberto – dicas do meu nerd favorito [online]. SciELO em Perspectiva, 2017 [viewed 03 July 2017]. Available from: http://blog.scielo.org/blog/2017/05/26/como-encontrar-artigos-em-acesso-aberto-dicas-do-meu-nerd-favorito/

 

 

Conheça a Unpaywall, versão de acesso aberto de artigos acadêmicos

unpaywall.jpg

A Unpaywall  é um extensão para os navegadores Chrome e Firefox  da Impactstory com suporte da National Science Foundation e da Alfred P. Sloan Foundation.

A extensão permite o acesso gratuito e legal de documentos de pesquisa/acadêmicos por meio de uma busca em uma base de dados de arquivos de PDFs em acesso aberto. Caso o arquivo que você procura tenha uma versão de acesso aberto, o Unpaywall apresenta um ícone em verde no lado direito da tela, basta clicar no ícone para ter acesso ao material.

screenshot.png

Fonte: UFRGS

Participe dos treinamentos online Elsevier

image002.jpg

A base de dados Elsevier disponibilizará treinamentos online nas ferramentas ScienceDirect, Scopus e Mendeley, nos dias 12 de junho, 04 de setembro e 03 de novembro.

Para se inscrever basta acessar o link. 

unnamed.png

Conheça os tipos de conteúdos oferecidos pelo Portal de Periódicos da CAPES

Além das revistas científicas mais conceituadas em âmbito nacional e internacional, os usuários têm à disposição uma infinidade de outros tipos de materiais

O Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é considerado um modelo de consórcio de bibliotecas único no mundo: é inteiramente financiado pelo governo brasileiro e é a iniciativa do gênero com a maior capilaridade no mundo, cobrindo todo o território nacional.

O que muitos não sabem, é que o conteúdo disponível para a comunidade acadêmica vai muito além dos periódicos.

Além de indexar mais de 38 mil títulos de revistas científicas com texto completo, o Portal comporta 134 bases referenciais, 11 bases dedicadas exclusivamente a patentes, mais de 280 mil livros eletrônicos e outros conteúdos, como enciclopédias, obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual.

Dessa forma, o Portal de Periódicos cumpre o papel de propiciar o aumento da produção científica nacional e o crescimento da inserção científica brasileira no exterior, como defende o pesquisador João Santana Silva*, que acessa diariamente a biblioteca virtual da CAPES:

“O Portal é de suma importância para os pesquisadores brasileiros. De fato, essa ferramenta trouxe a possibilidade de competirmos com mais igualdade com cientistas de outros países. O conteúdo é muito atrativo e eu, particularmente, utilizo todos os dias. Temos um divisor muito claro de antes e depois do Portal de Periódicos. Temos que preservá-lo e, sempre que possível, ampliá-lo”.

Dentro dessa gama de conteúdos, que contempla todas as áreas do conhecimento, o Portal de Periódicos oferece para os usuários quatro opções de pesquisa:

Buscar assunto

Buscar periódico

Buscar livro

Buscar base

Dentro da “busca avançada” da opção “buscar base”, é possível selecionar o gênero de material procurado (textos completos, referenciais com resumos, patentes, livros, sites com periódicos de acesso gratuito, entre outros) por meio do campo “Tipo”.

Qualquer pessoa pode pesquisar, uma vez que parte do acervo é de acesso aberto. Para os recursos assinados, é necessário acessar a página de dentro da instituição de ensino (pelo reconhecimento de IP) ou pelo acesso remoto (nesse caso, login e senha são distribuídos pelas instituições participantes para seus alunos).

Em caso de dúvidas sobre o acervo, o e-mail de contato com a equipe do Portal é periodicos@capes.gov.br.

Para acessar basta entrar em periodicos.capes.gov.br.

Participe do webinar “Visibilidade Internacional em Ciências Humanas e Sociais”

123.jpg

As Ciências Humanas e Sociais (HSS) têm uma série de características que as tornam únicas no mundo da publicação científica. Em contraste com outras áreas, que tratam de objetos de pesquisa universais, os HSS lidam com seres humanos, que variam consideravelmente em contextos sociais: os efeitos de suas histórias individuais, coletivas, hábitos, etnias e culturas os tornam únicos. Isso coloca um desafio ao modelo tradicional de publicação científica, originalmente desenvolvido por (e para) as Ciências Naturais e Biomédicas. Silvia Koller, professora da UFRGS e uma das mais renomadas pesquisadores de psicologia da América Latina, discutirá as dificuldades enfrentadas pelos pesquisadores de HSS em relação à publicação e a visibilidade internacional.

O webinar acontece no próximo dia 26 de abril (quarta-feira) e as inscrições são gratuitas. Para participar, basta se inscrever no link. 

Conheça a base de dados internacional NDLTD

ndltd.jpg

A Networked Digital Library of Theses and Dissertations (NDLTD) é uma organização internacional dedicada a promover a criação, uso, disseminação e preservação de teses e dissertações online.

O website inclui pesquisas de nível acadêmico voltadas as mais diversas áreas do conhecimento.

Para ter acesso a base, entre no site oficial da UCS, clique em “biblioteca”, após “base de dados”, role o mouse até “Fontes de Acesso Livre”, clique em “Internacionais” e por fim em NDLTD.

Observatório disponibiliza 70 livros para download gratuito

96644335a50b7754589076e9e017caa1_L.jpg

A Rede INCT Observatório das Metrópoles disponibiliza mais de 70 livros para download gratuito. Os livros tratam de temas como dinâmicas de metropolização, organização social do território, desigualdade social e segregação urbana, megaeventos, governança urbana e cidadania.

O Observatório das Metrópoles constitui um grupo nacional de instituições que realiza Pesquisa em Rede, comparativa e multidisciplinar, sobre os impactos metropolitanos da mudança de modelo de desenvolvimento. Sob a coordenação geral do IPPUR/UFRJ, o Observatório reúne cerca de 115 pesquisadores principais integrantes de 50 instituições dos campos: universitário (54 programas de pós-graduação), governamental e não-governamental.

Desde 2009, o Observatório integra o Programa INCT (Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia) e busca ser uma rede pluri-institucional e pluridisciplinar que procura aliar suas atividades de pesquisa e ensino com a missão social de realizar e promover atividades que possam influenciar as decisões dos atores que atuam no campo da política pública, tanto na esfera do governo, como da sociedade civil; ao longo da sua trajetória a Rede Observatório das Metrópoles já publicou cerca de 120 livros.

Agora a Rede INCT Observatório das Metrópoles oferece uma compilação de 70 livros para download gratuito, tais como dinâmicas de metropolização, organização social do território – políticas habitacionais, mobilidade urbana, saneamento básico; desigualdade social e segregação urbana – bem-estar urbano, desigualdades escolares e segregação residencial; megaeventos, governança urbana e cidadania.

Abaixo apresentamos a Lista dos Livros do Observatório para acesso e divulgação.

O leitor encontrará, primeiramente, link para a Coleção “Metrópoles: transformações na ordem urbana” – lançada em 2015 e representativa de todo o acumulo de conhecimento da nossa rede de pesquisa. E mais link para Publicações do projeto “Metropolização e Megaeventos”; clássicos da trajetória da Rede Observatório – do período 1995-2010; Coleção Teses & Dissertações; Coleção Conjuntura Urbana.

Em seguida, será apresentada uma lista de livros de acordo com as Linhas de Pesquisa da nossa rede, no âmbito do Programa INCT – os livros são resultados das pesquisas desenvolvidas e representam o nosso esforço de produzir conhecimento científico para o país.

Fonte: Observatório das Metrópoles