Base de dados Compendex

A Compendex é uma base de dados disponível na plataforma Engineering Village voltada para às áreas de Engenharias, contando com mais de 20 milhões de registros, de 77 países, em 190 disciplinas da engenharia. Você pode acessá-la através do Portal de Periódicos da CAPES.

Participe do Webinar abaixo, para conhecer o conteúdo e a plataforma.
Registro para o Webinar (12 de junho, 14-15 hr, Brasília)

Já é usuário Compendex?
Responda a  Pesquisa Compendex

7 cursos online e gratuitos para dominar o Excel

Por Claudia Gasparini

São Paulo — Definido pelo CEO da Microsoft como o melhor produto da história da empresa, o Excel é uma das ferramentas mais presentes no dia a dia das empresas. Por isso, seu domínio parcial ou completo virou exigência para grande parte das carreiras corporativas.

O gerenciador de dados se tornou tão onipresente que conhecê-lo já nem é considerado diferencial em processos seletivos. Mas o que fazer se você ainda não aprendeu a usá-lo além das aplicações mais básicas? Ou se precisa aperfeiçoar o seu manejo de funções, tabelas e gráficos?

Felizmente, não faltam cursos online sobre o assunto — inclusive em português. Abaixo, fizemos uma seleção de 7 pacotes de aulas grátis que podem ajudar você a se tornar um mestre das planilhas. Confira:

1. Escola Virtual da Fundação Bradesco

O portal de educação oferece cursos para os níveis básico, intermediário e avançado tanto de Excel 2007 quanto de Excel 2010. O curso básico de Excel 2010 é o mais procurado de toda a plataforma, segundo a Fundação. Para acessar o material, é preciso fazer um cadastro no site. Ao fazer o login, desabilite seu bloqueador de pop-up e clique no menu “Catálogo” para ver a relação de cursos disponíveis. Os cursos de Excel estão dentro da pasta “Informática”. O site funciona melhor em Internet Explorer.

Link para as aulas

2. Unieducar

Há aulas de Excel 2013 para os níveis básico, intermediário e avançado. Na versão gratuita, cada módulo tem 4 horas de duração, com prazo de 30 dias para encerrar o curso a partir do seu início e certificado online. Há também pacotes pagos, com duração maior e outros benefícios, com carga horária de até 280 horas. O curso ensina a inserir e classificar dados em planilhas, usar referências absolutas em fórmulas e trabalhar com células.

Link para as aulas

3. Projeto Meu Brasil

Este é um curso de pequena duração para apresentar o Excel para iniciantes. Em 10 aulas, o professor ensina o básico sobre planilhas, cálculos, gráficos e funções. A oferta inclui sessões como “Formatação de células”, “Função SE”, “Trabalhando com várias planilhas” e “Fórmulas matemáticas”. No fim do curso, o aluno é submetido a um teste de múltipla escolha. Se obtiver uma nota maior ou igual a 7, a impressão do certificado de conclusão será liberada. É preciso fazer um cadastro no site para ter acesso aos vídeos.

Link para as aulas

4. Cursos iPED

A escola oferece um plano de aulas gratuito de Excel 2007, além de opções pagas. A versão sem custos não inclui certificado. Dividido em três capítulos, curso ensina o aluno a trabalhar com pastas, planilhas e células, formatar gráficos, proteger dados, fazer operações com datas e horas e inserir funções em uma fórmula.

Link para as aulas

5. Curso de Excel com Jhonny Lopes

O canal do professor de informática Jhonny Lopes é um dos mais acessados no YouTube quando o assunto é Excel. A página dele no site de vídeos, que também agrega cursos sobre outros programas do pacote Office, já conta com mais de 7 milhões de visualizações e 128 mil inscritos. Há diversas trilhas de aulas, tais como “Excel: passo a passo”, “Excel Intermediário”, “Função SE”, “Formatação no Excel” e “Excel VBA”.

Link para as aulas

6. Professor Claudio Damasceno

Neste outro canal do YouTube, há aulas da ferramenta para alunos de nível básico, intermediário e avançado. O professor também traz temas específicos da rotina aplicados ao mundo do Excel, tais como fluxo de caixa, controle de estoque e cadastro de clientes. Também há um vídeo especial com “7 erros imperdoáveis” de quem trabalha com o programa.

Link para as aulas

7. Videoaulas da Microsoft

Outro recurso para melhorar as suas habilidades no Excel é beber direto da fonte e consultar os tutoriais oficiais da Microsoft, empresa responsável pelo desenvolvimento do programa. Há materiais didáticos para Excel 2016, Excel 2013, Excel para Mac 2011 e Excel 2010. Alguns vídeos estão em português, outros estão em inglês. Há dicas sobre “preenchimento relâmpago” de dados, atalhos de teclado, função PROCV e matemática básica para Excel.

Link para as aulas

Fonte: Exame

Devoluções previstas para o dia 28/04.

Informamos que as devoluções previstas para o dia 28/04 serão transferidas para o dia 02/05.

Quaisquer dúvidas, entre em contato através do e-mail bice@ucs.br ou telefone (54) 3218-2173.

 

Portal da Legislação ganha novo visual e acessibilidade

sitelegislativo

Site que reúne legislações publicadas recebe, em média, três milhões de acessos por mês

A Subchefia para Assuntos Jurídicos (SAJ) da Casa Civil publicou, na última semana, uma nova versão do Portal da Legislação. A ferramenta, que foi criada para que o cidadão tenha acesso à legislação brasileira, traz atualizações diárias sobre leis publicadas no Diário Oficial da União.

Além de receber novo visual dentro do padrão Identidade Digital de Governo (IDG), o portal ganhou acessibilidade para pessoas com deficiência visual. Com mais de 3 milhões de acessos ao mês, o Portal da Legislação é um dos sites de serviços mais acessados do Poder Executivo. O item mais buscado pelos internautas é a Constituição Federal.

O conteúdo do portal não mudou. O novo desenho do site dá mais destaque para a resenha diária – que resume legislações publicadas em cada dia – para a pesquisa de leis e ao Push da Legislação, ferramenta de notificações sobre publicação de leis, decretos e medidas provisórias.

As consultas públicas que estão em andamento e as que já foram realizadas também estão disponíveis no site. E o acesso à Revista Jurídica da Presidência continua permitido no portal. A seção apresenta artigos científicos inéditos, resultados de pesquisas e estudos independentes sobre a atuação do Poder Público em todas as áreas do Direito.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Casa Civil via  Pesquisa Mundi

Concerto da Primavera, neste domingo, apresenta musicais da Broadway

ui-0065-16m-10o-concerto-da-primavera-card-facebook-960x640px-2

Clássicos de musicais da Broadway serão apresentados na décima edição do Concerto da Primavera, promovido pela Universidade e a Unimed Nordeste-RS, neste domingo, dia 23 de outubro. O evento tem início às 10h30min, no estacionamento em frente à UCSTV, no Campus-Sede da UCS.

A Orquestra Sinfônica da UCS, sob a regência do maestro Manfredo Schmiedt, com a participação especial do Coro da UCS e dos solistas Elisa Machado (soprano), Clarisse Diefenthäler (mezzo-soprano), Rafael Gubert (tenor) e Ricardo Barpp (baixo), apresentará músicas de consagrados musicais como “O Fantasma da Ópera”, “Os Miseráveis”, “Mamma Mia”, “O Rei Leão”, “Grease”, “Cats” e “Hair”.

O concerto será ao ar livre, com entrada franca. O público – que terá à disposição fraldário e água – poderá trazer cadeiras, toalhas e almofadas para melhor acomodação no espaço, bem como cuia, bomba e térmica, que a água quente e a erva mate será por conta da Ximango, parceira do evento.

A realização e o apoio cultural são da UCS e da Unimed Nordeste-RS, com o financiamento da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. No caso de chuva, o concerto será transferido para o UCS Teatro, com entrada limitada a sua capacidade.

Programa

– James Rado/Gerome Ragni/Galt MacDermot: Hair

– Richard Rodgers/ Oscar Hammerstein II: The Sound of the Music

– Andrew Lloyd Webber: The Phantom of the Opera

– Stig Anderson/Benny Andersson/Björn Ulvaeus: Mamma Mia

– Jim Jacobs/Warren Casey: Grease

– Andrew Lloyd Webber: Cats

– Hans Zimmer/Elton John/Tim Rice: Lion King

– Claude-Michel Schönberg: Les Miserables

Fonte:  Assessoria de Comunicação UCS

 

 

Confira os livros que entraram em nosso acervo no 1º semestre de 2016

Conheça as novas aquisições do Sistema de Bibliotecas da Universidade de Caxias do Sul no 1º semestre  de 2016.

 

Biblioteca Central – Horário diferenciado de atendimento em 22 de julho

Horário diferenciado de atendimento na Bibiloteca Central em 22%2F07

 

Comunicamos que no dia 22 de julho de 2016 a Biblioteca Central funcionará das 8h às 11h30min e das 13h30min às 22h  devido à  evento da Reitoria-UCS.

Qualquer dúvida entre em contato pelo e-mail bice@ucs.br, pelo twitter @bibliotecaucs ou pelo telefone (54) 3218-2173.

Bibliotecas fechadas nos dias 25 e 26 de março

see our facebook page for details

Comunicamos que nos dias 25 de março, Sexta-feira Santa – Feriado Nacional e 26 de março – Sábado de Aleluia – Feriado Universitário as Bibliotecas do Sistema não atenderão ao público.

As bibliotecas voltarão a funcionar normalmente a partir do dia 28 de março – segunda-feira. Informamos que todas as devoluções ficarão para esta data.

Qualquer dúvida entre em contato pelo e-mail bice@ucs.br, pelo twitter @bibliotecaucs ou pelo telefone (54) 3218-2173.

Revista Conjectura publica nova edição

cover_issue_180_pt_BR

A revista CONJECTURA: filosofia e educação acaba de publicar seu último número em
http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura.

CONJECTURA: filosofia e educação
Vol. 21, No 1
Sumário
http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/issue/view/180

Apresentação
——–
Apresentação // Presentation (1-12)
Os Editores

Artigos
——–
L’arte del palato e la denaturalizzazione del cibo: momenti di una storia
evolutiva // The art of the palate and the denaturalization of food: moments
of an evolutionary history (14-26)
Rosalia Cavalieri

Significatividad y mundo en los escritos del joven Heidegger  //
Significance and world in the writings of the young Heidegger (27-57)
Blanco Ignacio Ilari

Diálogo: fusão de horizontes – para uma fundamentação gadameriana da
antropologia pedagógica // Dialogue : fusion of horizons – for Gadamerian
foundation of pedagogical anthropology (58-74)
Teresa Arbelaez Cardona

Filosofia, ensino e emancipação // Philosophy, education and emancipation
(75-89)
Paulino Eidt,   Celso Eidt

Cyberbullying: preocupação dos professores e o envolvimento da escola //
Cyberbullying:  preocupation of teachers and school’s involvement (90-103)
Maria José Carvalho de Souza Domingues, Silvana Silva Vieira
Tambosi,        Vanessa Edy Dagnoni Mondini,    Gustavo da Rosa Borges

A substancialidade ética da Constituição-Estado hegeliana // The ethical
substantiality of hegelian state-constitution (104-125)
Mateus Salvadori,       Idalgo José Sangalli

Projeto político-pedagógico: possíveis articulações com aspectos
culturais locais e educação do campo // Pedagogical political project:
possible joints with cultural and local aspects and education of the field
(126-143)
Rerlen Ricardo Silva Paglia,    Silvia Sell Duarte Pillotto

Políticas educacionais integradoras: propostas curriculares do Brasil e da
Argentina // Integrative Educational Policies: Argentina and Brazil’s
plans of studies (144-181)
Léia Adriana da Silva Santiago, Serlei Maria Fischer Ranzi,     Marco
Antônio de Carvalho,    Maria Esperança Fernandes Carneiro

Mediação Educativa e Alteridade // Education and Otherness mediation
(182-199)
Carmen Lucia Fornari Diez,      Wanderleia Dalla Costa

A hermenêutica heideggeriana e a questão do conhecimento // The knowledge
question and Heidegger’s hermeneutics (200-226)
Cezar Luís Seibt

Entrevistas
——–
Alex Guilherme e o diálogo de e com Martin Buber (228-242)
Nilda Stecanela

Resenhas
——–
GIACOIA JUNIOR, Oswaldo. Heidegger urgente: introdução a um novo pensar.
(244-249)
Luís Gabriel Provinciatto

RAMOS, Flávia Brocchetto; PANOZZO, Neiva Senaide Petry. Mergulhos de
leitura: a compreensão leitora da literatura infantil. (250-255)
Mariele Gabrielli

23 livros escritos por mulheres que você precisa ler

A história da literatura está repleta de grandes autoras

Malala

Quantos livros escritos por mulheres você leu neste ano? Quantos livros escritos por mulheres você já leu no decorrer de toda sua vida? A chance de você dizer que leu pouquíssimas autoras é bem grande.

Embora mulheres brasileiras tendam a ser maioria como leitoras, elas têm baixa representatividade na literatura. Aproximadamente 80% dos escritores convidados da Festa Literária de Paraty (Flip) do ano passado eram homens, segundo o G1.

Dos atuais 40 membros da Academia Brasileira de Letras(ABL), apenas cinco são mulheres. Fora do Brasil, a situação não é muito diferente. A organização VIDA, em 2014, reportou um crescimento na quantidade de mulheres escrevendo resenhas de livros, assim como análise de obras escritas por mulheres, mas há um longo caminho a ser percorrido para haver igualdade de gênero no mundo literário.

O movimento Leia Mulheres quer expandir o alcance das publicações escritas por mulheres. E, em apoio a essa iniciativa, oHuffPost Brasil fez esta diversificada lista de 23 livros escritos por mulheres.

 

‘Americanah’, de Chimamanda Ngozi Adichie

Nigéria, anos 1990. O país está sob o comando de um governo militar. A jovem Ifemelu decide deixar sua terra natal para partir aos Estados Unidos, a fim de estudar. Lá, ela vive dificuldades decorrentes de preconceitos por ser mulher, negra e imigrante, mas isso não vai impedi-la de se realizar. Quinze anos depois, ela volta à Nigéria e encontra seu país diferente. Um amor da adolescência também já não é mais o mesmo. Americanah é o romance de sucesso da renomada e premiada Chimamanda Ngozi Adichie, atualmente um ícone literário e feminista. 

Editora: Companhia das Letras
Páginas: 520
Preço: R$ 54; e-book R$ 38

A Amiga Genial’, de Elena Ferrante

 

No primeiro livro da tetralogia Napolitana, as meninas Elena e Rafaella se tornam grandes amigas, em plena cidade italiana de Nápoles nos anos 1950. Apesar de quererem muitas coisas em comum e fazerem planos, algo faz as duas seguirem caminhos distintos na vida. Isso é explorado pelos outros livros da série, que aborda a amizade feminina e as transformações sociais pós-II Guerra Mundial. O mistério sobre este bestseller é sua reclusa autora (ou autor?), que usa o pseudônimo Elena Ferrante e se recusa a se identificar publicamente. 

Editora: Globo Livros
Páginas: 336
Preço: R$ 44,90

 

‘Livre’, de Cheryl Strayed

Aos 20 e poucos anos, a escritora Cheryl Strayed havia perdido tudo. Sua mãe, com quem tinha forte ligação, morreu precoce e inesperadamente em decorrência de um câncer. Após isso, a família se desintegrou. O casamento de Cheryl também foi buraco abaixo. Ela começou a usar heroína, largou a faculdade e chegou ao fundo do poço. Independente e disposta a enfrentar seus demônios, ela parte sozinha em uma trilha que cruza os Estados Unidos de ponta a ponta, a fim de entrar em contato consigo mesma e repensar sua vida. A aventura cheia de imprevistos é relatada com sensibilidade e tom feminista neste livro de memórias, que recentemente virou um filme protagonizado e produzido por Reese Witherspoon. 

Editora: Objetiva
Páginas: 376
Preço: R$ 39,90

 

‘A Garota da Banda’, de Kim Gordon

Ícone do rock independente e experimental, Kim Gordon relata nesta autobiografia o término de seu casamento com Thurston Moore, parceiro também na legendária banda Sonic Youth. Além disso, ela narra com crueza e lirismo diversos momentos de sua vida: a infância com os pais distantes e o irmão esquizofrênico, o feminismo, a arte e a maternidade, tendo como ponto de partida o último show do Sonic Youth, em 2011, na cidade brasileira de Itu (SP). A Garota da Banda é o relato de alguém que tenta entender o que aconteceu com sua vida e quer manter a identidade em meio às mudanças bruscas e inesperadas. Gordon é uma das personagens principais do cenário artístico multimídia e underground há quase 30 anos – e chegou a hora de expor seu ponto de vista como nunca fez antes. 

Editora: Fábrica231/Rocco
Páginas: 288
Preço: R$ 34,50; e-book R$ 25,50

‘Não Sou uma Dessas’, de Lena Dunham

 

Criadora, atriz, roteirista, produtora e diretora. Lena Dunham exerce todas essas funções na série de comédia Girls, da HBO. Mas tudo isso não é o suficiente para ela, que também é escritora – e das mais habilidosas. Em Não Sou uma Dessas, Dunham usa seu estilo honesto e engraçado para falar sobre sexo, família e trabalho. É o retrato do crescimento de uma garota de 20 e poucos anos em busca de experiências e realizações. O livro é dedicado à cineasta, escritora e jornalista Nora Ephron, morta em 2012. 

Editora: Intrínseca
Páginas: 288
Preço: R$ 29,90; e-book: R$ 19,90

‘Luzes de Emergência se Acenderão Automaticamente’, de Luisa Geisler

Quando o melhor amigo de Henrique bate a cabeça, entra em coma e não tem muitos dias de vida pela frente, o garoto passa a escrever cartas para o amigo enquanto este não morre. Ganhadora do prêmio Sesc de literatura pelo romanceQuiçá (2012), a elogiada Luisa Geisler escreveu em Luzes de Emergência se Acenderão Automaticamente, com bom humor e sutileza, a história de um rapaz que está crescendo e tem diversas inseguranças. 

Editora: Alfaguara
Páginas: 296
Preço: R$ 39,90

‘O Primeiro Homem Mau’, de Miranda July

Cheryl é uma mulher reclusa que tem seu mundo particular virado de cabeça para baixo quando a jovem Clee, filha do colega de trabalho pelo qual Cheryl tem uma obsessão, se hospeda em sua casa. Com bastante bom humor, Miranda July narra o desabrochar da protagonista para uma nova vida – ela se apaixona por Clee. O Primeiro Homem Mau é o primeiro livro de ficção de July, que além de escritora é cineasta e performer. 

Editora: Companhia das Letras
Páginas: 304
Preço: R$ 44,90; e-book R$ 29,90

‘Holocausto Brasileiro’, de Daniela Arbex

Daniela Arbex, jornalista da Tribuna de Minas, resgata a memória e a identidade das 60 mil pessoas mortas no hospício Colônia, na cidade de Barbacena (MG), que funcionou durante a maior parte do século 20. Aproximadamente 70% dos internados não tinham doença mental alguma – eram homossexuais, mulheres vítimas de estupro e alcoólatras, entre outras pessoas de diversas origens e realidades. Sob tutela do Estado brasileiro, elas foram perversamente desumanizadas. Enquanto o manicômio lucrava com a morte, diversos desrespeitos aos direitos humanos aconteceram ali. Holocausto Brasileiro recebeu em 2014 o prêmio Jabuti na categoria de reportagem. 

Editora: Geração Editorial
Páginas: 256
Preço: R$ 39,90; e-book R$ 19,90

‘Você É Minha Mãe?’, de Alison Bechdel

Neste quadrinho autobiográfico, Alison Bechdel – criadora do teste feminista que leva seu nome – se abre para contar sua complicada relação com a mãe, uma atriz frustrada no casamento. A autora tenta desvendar, ao resgatar o passado, o que acontecerá com as duas no futuro. É a segunda vez que Bechdel aborda a família em sua obra. A primeira foi com Fun Home (2006), em que a quadrinista, assumidamente lésbica, fala sobre o relacionamento com o pai, um homossexual enrustido e diretor de uma agência funerária na casa da família. Orientação sexual, gênero, abuso psicológico e suicídio são temas recorrentes na obra de Bechdel. 

Editora: Quadrinhos na Cia.
Páginas: 304
Preço: R$ 54

‘Do que É Feita uma Garota’, de Caitlin Moran

Em seu primeiro livro de ficção, a jornalista inglesa Caitlin Moran usa tom feminista e humor negro para narrar a trajetória de Johanna, uma garota gorda e tagarela de 14 anos que mora no meio do nada e decide tornar-se jornalista musical para livrar a família da pobreza e se tornar alguém importante. Mas é claro que Johanna se meterá em enrascadas, afinal, precisa crescer antes de se tornar a adulta que tanto quer ser. Ambientado na Inglaterra no início dos anos 1990, o romance faz diversas referências à música pop, citando bandas como Teenage Fanclub, Lush e Babes in Toyland. 

Editora: Companhia das Letras
Páginas: 392
Preço: R$ 44,90; e-book R$ 31,90

‘Memórias de uma Beatnik’, de Diane di Prima

Diane di Prima, em texto ágil e envolvente, escancara seu ingresso no movimento literário Geração Beat, majoritariamente composto por homens, como Jack Kerouac, Allen Ginsberg e William S. Burroughs. Ambientado na década de 1950, di Prima não economiza no sexo, na arte e na rebeldia durante seu crescimento. A escritora oferece em Memórias de uma Beatnik algo raro no movimento: o ponto de vista feminino. 

Editora: Veneta
Páginas: 216
Preço: R$ 29,90

‘Operação Impensável’, de Vanessa Barbara

Em 43 dias de angústia e sofrimento, a historiadora Lia tenta descobrir o que aconteceu de errado com seu casamento com Tito. Os cinco anos de relacionamento de ambos é dissecado em emails e lembranças que compõem seu universo particular, como várias sessões de cinema e jogos de tabuleiro. “Operação Impensável” é o nome dado a uma operação britânica após o fim da II Guerra Mundial para atacar a União Soviética. Para Lia, trata-se do início da Guerra Fria, um conflito sem confronto armado, mas de constantes ameaças de explosões. Escritora, jornalista e tradutora, Vanessa Barbara ganhou o Prêmio Paraná de Literatura em 2014 por Operação Impensável. 

Editora: Intrínseca
Páginas: 224
Preço: R$ 39,90; e-book R$ 19,90

‘Só Garotos’, de Patti Smith

Com sensibilidade e lirismo, a cantora e compositora Patti Smith relata nesta memória seu relacionamento com o fotógrafo Robert Mapplethorpe (1946-1989), além de falar sobre sua infância e as diversas fases que viveu antes de tornar-se famosa no meio punk com o disco Horses (1975). Só Garotos é o registro nostálgico de uma mulher de origem humilde, devota à arte e que é ponto central do cenário artístico e underground dos anos 1970. 

Editora: Companhia das Letras
Páginas: 280
Preço: R$ 41

‘Por um Sentido na Vida’, de Amy Purdy

A atleta paraolímpica de snowboard Amy Purdy perdeu as duas pernas quando tinha 19 anos, em decorrência de uma doença. Em Por um Sentido na Vida, ela se expõe com franqueza para dizer como superou isso. Purdy é tricampeã da copa do mundo de para-snowboard e ficou famosa ao competir no programa de TV Dancing with the Stars, no qual ela foi finalista. 

Editora: Editora Agir
Páginas: 240
Preço: R$ 29,90; ebook R$ 20,40

‘A Mão Esquerda da Escuridão’, de Ursula K. Le Guin

Precursor na ficção científica feminista, A Mão Esquerda da Escuridão mostra Genly, emissário da federação galáctica Ekumen, em uma missão política: fazer o planeta Gethen entrar em um grupo de planetas para fazer trocas comerciais e culturais. Um dos aspectos mais marcantes do romance é a população andrógina e de gênero fluído de Gethen, que faz o protagonista repensar seus costumes e visão de mundo. Além disso, ele tem que enfrentar interesses que podem prejudicar a missão.A Mão Esquerda da Escuridão é considerado um clássico literário e ganhou os prêmios Hugo e Nebula, expoentes dos gêneros de ficção científica e fantasia.Ursula K. Le Guin se distingue nesse meio, majoritariamente masculino, como ícone feminista, literário e de grande estatura artística. 

Editora: Aleph
Páginas: 296
Preço: R$ 39,90

‘Eu Sou Malala’, de Malala Yousafzai e Christina Lamb

Hoje um dos principais ícones da luta pela educação feminina, a paquistanesa Malala Yousafzai narra nesse livro – escrito com a jornalista Christina Lamb – a história de sua família vivendo em meio ao terrorismo. E, tão importante quanto, ela apresenta o ponto de vista feminino direto de uma sociedade em que mulheres são menos valorizadas que filhos homens. Diversas etapas da trajetória de Malala e sua visão sobre a cultura à qual ela pertence estão registradas em Eu Sou Malala. 

Editora: Companhia das Letras
Páginas: 360
Preço: R$ 34,50; ebook R$ 24

‘A Poderosa Chefona’, de Tina Fey

A comediante Tina Fey tem uma trajetória de triunfo. Criadora, roteirista, produtora e protagonista da série de comédia 30 Rock, chefe de roteiro e atriz em Saturday Night Live por anos e, hoje, criadora de Unbreakable Kimmy Schmidt, ela acumula dois Globos de Ouro e oito Emmys em sua prateleira. Com tom feminista, bom humor e inteligência, ela relata em A Poderosa Chefona lembranças de diversos momentos de sua vida, como ela superou inseguranças e desafios nas posições que ocupou na indústria do entretenimento e os bastidores do disputado meio da TV norte-americana. 

Editora: Best Seller
Páginas: 272
Preço: R$ 39,90

‘Meus Desacontecimentos’, de Eliane Brum

Conhecida por seu estilo sensível, observador e marcante, Eliane Brum é um dos principais nomes do jornalismo brasileiro atual. Em Meus Desacontecimentos, ela se torna objeto de sua própria investigação. Com coragem e honestidade, ela resgata lembranças da infância e fala da escrita como a grande plataforma de sua existência. 

Editora: LeYa
Páginas: 144
Preço: R$ 29,90

 

‘Vá, Coloque um Vigia’, de Harper Lee

Vinte anos após os acontecimentos de O Sol É para Todos (1960) – clássico definitivo da literatura norte-americana do século 20 – a jovem Scout retorna para sua cidadezinha interiorana, onde entra em choque com os valores de sua família e conterrâneos. A história acontece nos anos 1950, período de intenso debate sobre racismo e direitos civis nos Estados Unidos. O lançamento de Vá, Coloque um Vigiavirou o meio literário ao avesso, pois acreditava-se que o manuscrito do livro estava desaparecido há 60 anos. A autora, hoje, tem 89 anos e tem sido questionado se ela de fato autorizou ou não o lançamento do romance. 

Editora: José Olympio
Páginas: 252
Preço: R$ 40

‘A Arte de Pedir’, de Amanda Palmer

Amanda Palmer, cantora e compositora conhecida pela extinta banda Dresden Dolls e também pelos trabalhos em carreira solo, é precursora na comunicação direta com seus fãs por meio de blogs, redes sociais e financiamentos coletivos. Em “A Arte de Pedir”, famosa palestra no TED, Palmer explica como artistas e fãs podem se relacionar hoje em dia recorrendo à internet e como sobreviver da arte fora da estrutura da indústria fonográfica. Ela também relembra o início da carreira, em que era artista de rua e aceitava trocados de passantes. No livro homônimo, consequência da palestra, mais uma vez ela reforça as redes sociais como possibilidade de conexão humana verdadeira. Com um simples pedido, você pode fazer muita coisa. 

Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Preço: R$ 34,90; e-book R$ 19,90

Fonte: Superinteressante

Como era a vizinhança do livro “O Cortiço”?

cortiço

1) O AMOR ENLOUQUECE

Jerônimo e sua mulher, Piedade, ficavam no quartinho 35. Sua força e caráter o tornaram respeitado na pedreira onde trabalhava, logo atrás do cortiço. Mas sua vida virou do avesso após ver Rita dançar. Apaixonado, passou a beber pinga, começou a gastar mais do que devia e, no fim, abandonou a esposa e a filha para ficar com a baiana

2) VOCAÇÃO PARA SOGRA

A viúva Dona Isabel, da casa 15, sacrificou tudo para educar Pombinha e casá-la com João da Costa, um moço do comércio. Assim, esperava reconquistar sua antiga posição social. A mãe só deixou a menina subir ao altar após a primeira menstruação, que demorou a chegar. Mas a união foi curta: Pombinha traiu o marido, foi expulsa de casa e acabou prostituta

3) PINTOU SUJEIRA

Outra história chocante rolou no número 12, onde morava a mulata Marciana. Ela era obcecada em limpar a casa, mas enlouqueceu de vez quando sua bela filha, Florinda, de apenas 15 anos, engravidou de um funcionário da venda de João Romão. Ele não assumiu e a menina fugiu de casa depois de apanhar da mãe. Marciana acabou expulsa do cortiço

4) O QUE É QUE A BAIANA TEM?

No número 9 morava Rita Baiana. Bonita e boa de samba, ela era amante do capoeirista Firmo, mas também conquistou o coração do vizinho, o português Jerônimo. Na disputa pelo amor da mulata, Firmo feriu o lusitano com uma navalha. Mas, depois de um tempo, Jerônimo conseguiu se recuperar e matou o rival em uma emboscada

5) VIZINHOS E RIVAIS

Miranda era o antagonista de João Romão. Morava no sobrado ao lado da venda, e aos poucos foi assistindo a seu imóvel ser cercado pelo cortiço. O negociante prezava o status acima de tudo – casou-se com Dona Estela pelo dote e não sabia se era mesmo pai de sua filha, Zulmirinha. Por isso, tinha certa inveja do modo como Romão enriqueceu e de sua relação com Bertoleza

6)A FOGUEIRA DA BRUXA

Paula era uma cabocla velha conhecida como Bruxa. Em parte, porque era feia, grossa, com olhos desvairados e dentes ameaçadores. Mas também porque era capaz de curar problemas de pele e febres com rezas e bençãos. Queria incendiar o cortiço- e conseguiu na segunda tentativa. João Romão teve que reconstruir o espaço, que se tornou grandioso e aristocrático

7) O DONO DO LUGAR

João Romão começou seu “império” ao herdar a taverna em que trabalhou por 12 anos. Depois, num lelilão, adquiriu as terras atrás de sua taverna e ergueu três casinhas. Foi o início do cortiço. Ele usou a grana de Bertoleza para “expandir o negócio” (e também era dono de uma pedreira, atrás do cortiço). Como adorava dar calote, mas sabia cobrar dívidas, enriqueceu ainda mais. Quando quis subir na vida, livrou-se de Bertoleza para tentar casar com Zulmirinha

8) ETERNAMENTE ESCRAVA

Para se libertar de seu dono, a escrava Bertoleza passou anos juntando 20 mil réis. Mas foi enganada por seu amante, João Romão: o português lhe deu uma falsa carta de alforria e usou a grana para ampliar a venda. E isso porque a coitada fazia de tudo por ele: trabalhava de manhã até tarde da noite, cuidando da loja e da casa que eles dividiam

O Cortiço

AUTOR Aluísio Azevedo (1857-1913)

LANÇAMENTO 1890

GÊNERO Romance naturalista

 

Fonte: Mundo Estranho

IEEE Xplore no Portal de Periódicos da CAPES

ieee

Desde o início do mês de fevereiro de 2016, o editor IEEE implementou algumas mudanças em sua plataforma de pesquisaa IEEE Xploreque podem auxiliar os seus usuários trazendo mais informações.

1. Altmetria

Dados altmétricos dos artigos de periódicos dos editores IEEE e IET foram incluídos no IEEE Xplore (não incluem conferências e normas técnicas). As métricas apresentam o número de vezes que o Abstract de um determinado artigo foi acessado e pode ajudar o pesquisador a determinar a relevância deste artigo para a sua pesquisa.

Além disso, alguns artigos também terão informações sobre o seu compartilhamento em mídias sociais como no exemplo abaixo.

p1

2. Desambiguidade de Autores

A desambiguidade de nomes dos autores melhorará a precisão e os resultados da pesquisa no IEEE Xplore. Também estabelecerá arquivos de autoridades para autores e instituições através da identificação de todos os artigos escritos por um determinado autor ou instituição, enquanto simultaneamente distingue entre diferentes autores que tem o mesmo nome.

Com isto, um único ID do autor será ligado a cada autor de um artigo. As pesquisas apresentarão os resultados para cada variação do nome do autor associado ao ID. Os nomes dos autores serão normalizados com Primeiro Nome (First Name), Inicial do Meio (Middle Initial) e último Sobrenome.

p2Acesse e descubra um mundo de informações!

Via: EBSCO

O que os alunos fazem na biblioteca da universidade?

Cengage Learning desenvolveu uma pesquisa com três mil estudantes nos EUA

Como os estudantes estão, de fato, usando a biblioteca da universidade? Para responder a essa pergunta, a Cengage Learning desenvolveu uma pesquisa com três mil estudantes nos EUA em julho de 2015. O objetivo era entender como e por quais motivos utilizam a biblioteca da universidade.

De longe, estudar sozinho é o motivo mais popular, apontado por 77% dos respondentes. Para os pesquisadores, esse resultado mostra que, independentemente de quais recursos são oferecidos pela biblioteca, esse espaço de estudo é considerado um grande lugar para encarar as tarefas estudantis com seriedade.

Mais da metade dos estudantes (51%) disse que vai à biblioteca para consultar a base de dados online. Isso demonstra que boa parte de seu trabalho de pesquisas é realizado dentro da biblioteca.

Estudantes também visitam a biblioteca para acessar materiais que não circulam fora daquele espaço. Segundo os pesquisadores, como apenas 39% dos estudantes apontaram que usam a biblioteca para consultar materiais de referência, muitos alunos nem devem saber da existência desses documentos – ou, se sabem, não compreendem o valor deles no processo de pesquisa.

A biblioteca ainda é utilizada por eles para: consultar livros (29%); utilizar livros que o professor solicitou no curso (22%); buscar recursos sobre trabalho e carreira (19%); socializar com amigos (13%); frequentar eventos (10%); ler materiais que não circulam, como revistas e periódicos (8%); dormir (6%); assistir aulas sobre como usar os recursos da biblioteca (5%) e outros (9%).

Fonte: Publishnews

Horário diferenciado de atendimento – Biblioteca Campus 8

horário (1)

 

Comunicamos que no dia 18 de março de 2016 a biblioteca do Campus 8 funcionará das 8h às 11h30min e das 13h30min às 22h30min.

Qualquer dúvida entre em contato pelo e-mail bice@ucs.br, pelo twitter@bibliotecaucs ou pelo telefone (54) 3218-2173.

Saiba quais foram os 23 livros lidos por Mark Zuckerberg em 2015

Mark Zuckerberg, 31 anos, é famoso por ter fundado uma das maiores redes sociais do mundo, o Facebook. Na época, o programador e empresário era estudante da Universidade Harvard. Em 2010, Zuckerberg foi eleito a Pessoa do Ano pela revista americana Time.

Para inspirar empreendedores e demais interessados, mostramos abaixo os 23 livros lidos por Mark Zuckerberg no ano de 2015. A informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

1. O Fim do Poder (Moisés Naím)

livro1

O livro faz investigação histórica sobre a mudança de poder de governos, militares e grandes empresas e tenta explicar por que atualmente o poder é tão transitório e difícil de se manter e usar.

2. Os Anjos Bons da Nossa Natureza (Steven Pinker)

livro2

O psicólogo Steven Pinker narra por que a violência na sociedade diminuiu e por que as pessoas buscam com mais frequência a paz – em relações interpessoais, quanto na diplomacia global.

3. Chefe de Quadrilha por Um Dia (Sudhir Venkatesh)

livro3

Trata-se do resultado de uma experiência sociológica em que o autor viveu por quase uma década em um gueto nos Estados Unidos, convivendo com uma quadrilha de traficantes de crack de Chicago.

4. On Immunity: An Inoculation (Eula Biss)

livro4

A obra sobre o medo irracional que se criou sobre a vacinação. A autora investiga metáforas e mitos que cercam a nossa concepção de imunidade e suas implicações para o indivíduo e para a sociedade.

5. Criatividade S.A. (Ed Catmull)

livro5

O presidente da Pixar conta a história do estúdio de animação, fundado por ele em 1986 com Steve Jobs e John Lasseter.

6. A Estrutura das Revoluções Científicas (Thomas S. Kuhn)

livro6

O clássico da filosofia da ciência, publicado inicialmente em 1962, defende que ideias inovadoras não surgem das noções lineares e graduais do progresso científico, mas sim em momentos em que a ciência rompe com o pensamento vigente e apresenta ideias inesperadas.

7. Rational Ritual (Michael Chwe)

livro7

O autor aborda o conceito de “conhecimento comum”, que aponta que as pessoas processam sua visão de munda não apenas com base no que conhece individualmente, mas também por sua interação com os demais.

8. Dealing with China: An Insider Unmasks the New Economic Superpower (Henry Paulson)

livro8

O autor acompanhou o processo de abertura da China para a iniciativa privada, negociou reformas econômicas e trabalhou com os principais líderes chineses.

9. Orwell’s Revenge: The 1984 Palimpsest (Peter Huber)

livro9

Uma sequência não oficial do romance clássico “1984”, escrito por George Orwell. Na narrativa, os cidadãos usam a tecnologia que uma vez os escravizou para se libertarem.

10. The New Jim Crow: Mass Incarceration in the Age of Colorblindness (Michelle Alexander)

livro10

O professor da Universidade de Ohio argumenta que a “guerra às drogas” criou sistema que aprisiona negros quem depois de libertos, são tratados como cidadãos de segunda classe.

11. Muqaddimah (Ibn Khaldun)

livro11

Escrita em 1406, a obra traz os alicerces para várias áreas do conhecimento, incluindo filosofia, sociologia, etnografia e economia.

12. Sapiens – Uma breve história da humanidade (Yuval Harari)

livro12

O autor repassa a história da humanidade, desde o surgimento da espécie durante a pré-história e relaciona os fatos históricos com questões da realidade de hoje.

13. The Player of Games (Iain Banks)

livro13

O livro fala de uma civilização em que a tecnologia estaria tão avançada que supriria todas as necessidades da humanidade e ainda superaria a capacidade intelectual humana.

14. Energy (Vaclav Smil)

livro14

O título trata de conceitos básicos sobre energia e ainda aborda temas mais complexos, como a busca por combustíveis mais eficientes e sustentáveis do ponto de vista ambiental.

15. Genoma – A Autobiografia de uma espécie em 23 capítulos (Matt Ridley)

650_TA04142.jpg

O autor mostra a trajetória das últimas décadas de avanço na área de pesquisa genética, incluindo Projeto Genoma, que decodificou os genes que fazem parte do ser humano.

16. The Varieties of Religious Experience (William James)

livro16

O livro é uma coleção de palestras do filósofo William James que abordam a consciência religiosa e mecânica.

17. Portfolios of the Poor (D. Collins, J. Morduch, S. Rutherford e O. Ruthven)

livro17

Os autores deste livro passaram 10 anos estudando as condições de vida das classes mais pobres de Bangladesh, Índia e África do Sul.

18. Por que as Nações Fracassam (Daron Acemoglu, James A. Robinson)

livro18

Os autores discutem as enormes diferenças de receita e padrão de vida entre países ricos e pobres.

19. The Rational Optimist: How Prosperity Evolves (Matt Ridley)

livro19

A obra gerou controvérsia nos EUA porque defende o conceito de que o livre mercado é a fonte do progresso humano.

20. The Three-Body Problem (Liu Cixin)

livro20

O livro de ficção científica conta a história de um engenheiro em nanotecnologia que precisa se infiltrar em um complexo secreto de cientistas, após uma onde de suicídios inexplicáveis.

21. The Idea Factory (Jon Gertner)

livro21

O livro conta a história do laboratório Bell Labs, da companhia de telecomunicações AT&T, dos anos 1920 aos 1980.

22. Ordem Mundial (Henry Kissinger)

Capa Ordem mundial.indd

A obra traz uma análise de como construir uma ordem internacional partilhada num mundo de perspectivas históricas divergentes, conflitos violentos, proliferação tecnológica e extremismo ideológico.

23. The Beginning of Infinity (David Deutsch)

livro23

O autor diz que o progresso é infinito. Para chegar a esta tese, ele passa por áreas como filosofia, história, arte, ética e política.

Fonte: Catraca Livre

8 canais literários brasileiros que você precisa conhecer

livros lindos (Foto: Flickr/Giulianna Gadelha)

Ler é um ato solitário, mas cada vez mais social. Nos últimos anos, um fenômeno surgiu no Youtube com força avassaladora: é a criação de canais booktubers, ou seja, que promovem a discussão e a recomendação de leituras. Cunhado em 2011, o termo vem ficando cada vez mais comum entre produtores de conteúdo brasileiros, por conta da enorme popularidade de alguns booktubers daqui. Confira nossa seleção de canais que você não pode deixar de seguir:

Who’s Geek: Apresentado pelo casal Roberto e Gabi, o Who’s Geek já deixa claro no título que os temas são bastante nerds. Segundo Gabi, o canal foi criado para “criar outra plataforma pra complementar o blog, que já tinha dois anos”, e já comemora um ano de vida. Um dos conteúdos mais bacanas do canal é a playlist Clássicos da Ficção Científica, em que ambos comentam suas leituras de autores renomados e importantes do gênero de FC, e a lista Autoras de Fantasia e Ficção Científica Que Você Precisa Ler, focadas em mulheres na fantasia e na ficção científica. O canal também está participando de uma releitura coletiva da série Harry Potter, em parceria com diversos canais brasileiros.

Vamos ler: O foco da booktuber Maria Angélica são obras publicadas originalmente em inglês, que compõe a maior parte de sua linda coleção de livros de capa dura. Antenada nos lançamentos gringos, ela é apaixonada por literatura YA (young adult), ficção histórica, distopias e romances. Vale acompanhar as discussões sobre temas do universo literário, como a presença de sexo em livros para jovens, livros pipoca x livros cabeça eNaNoWriMo (competição online para escritores). Mas cuidado: você corre o risco de querer comprar muitos (se não todos) os livros que ela apresenta no vlog.

Geek Freak: Desde 2014, o publicitário Victor Almeida produz conteúdo no Youtube para seu canal pessoal. Victor é apaixonado por ficção científica, fantasia, “videogames, internet e em viver mais dentro de minha própria cabeça do que no mundo real”. Com mais de 50 mil inscritos, o Geek Freak é um canal perfeito para quem quer recomendações de leitura voltadas para o público jovem e nerd. Tudo isso com uma linguagem rápida, gostosa  e cheia de humor. Além disso, Victor sempre mostra os livros que comprou durante o mês e é um incentivador de encontros entre booktubers e espectadores. Vale muito conferir.

Abdução: Leve, engraçadíssimo e recheado de informação, o programa é produzido pela equipe da Editora Aleph e vai ao ar às sextas-feiras. Vale dizer que não é restrito a literatura: segundo Lucas Alves, produtor do programa, os vídeos vão de ficção científica a quadrinhos. E o programa não se restringe ao catálogo da editora: “se para falar sobre viagem no tempo a gente tem que mencionar Novembro de 63 e A Máquina do Tempo de H.G. Wells, livros que não são da Aleph, a gente cita sem problemas”, contou Lucas. Para Bárbara Prince, uma das participantes dos vídeos, as gravações são cheias de risadas e muito colaborativas. “Todos os vídeos têm muita participação da equipe inteira, todo mundo acaba dando palpite”. O resultado é conteúdo “de fãs para os fãs”, com direito a esquetes de humor e erros de gravação no fim dos vídeos.

Tiny Little Things: O canal foi um dos primeiros do nicho do Booktube a surgirem no Brasil. Ele é comandado pela professora Tati Feltrin, de São Paulo. O diferencial do Tiny Little Things é o fato de Tati tratar um pouco de tudo: de livros de não-ficção a mangás. Além dos tradicionais vídeos de resenhas, ela faz discussões sobre temas relacionados à literatura e ao mercado editorial. Outro ponto bacana do TLT é a interação de Tati com o público: todo mês quem a acompanha tem a oportunidade de votar em um livro para ela ler durante o mês. Conheça o trabalho dela abaixo:

Tô Lendo!: Em janeiro de 2015, a editora do site da GALILEU, Cláudia Fusco, percebeu que estava comprando livros demais. Mais do que ela poderia ler, inclusive. Como forma de se comprometer a ler o que já tinha em casa, Cláudia decidiu passar um ano sem comprar livros. Assim nasceu o canal literário Tô Lendo!, onde ela registrou como foram os doze meses em que redescobriu as obras que já tinha e como isso afetou sua relação com a leitura. Cláudia tem mestrado em Estudos de Ficção Científica na Universidade de Liverpool, na Inglaterra, então boa parte dos livros que resenha têm a ver com o gênero. Vale conferir:

Vitor Martins: Em seu canal, Vitor aborda livros e filmes tanto de obras clássicas quanto modernas e mainstream. Tudo com bastante empolgação e animações incríveis – Vitor é ilustrador e seus desenhos são partes importantes da produção do canal e da edição dos vídeos. Ele também interage bastante com quem o assiste, fazendo diversos desafios, maratonas literárias e até um clube do livro virtual. Assista:

Ler Antes de Morrer: Ao passar em frente à vitrine de uma livraria e ver um volume com o título 1001 Livros para Ler Antes de Morrer, a jornalista Isabella Lubrano pensou “Mas que bobagem! Ninguém nunca conseguiria ler 1001 livros durante a vida”. Mas mesmo assim resolveu tentar. Desde então ela toca o canal literário Ler Antes de Morrer, onde faz resenhas de clássicos da literatura. No canal tem bastante espaço para as obras de todo o mundo, principalmente do Brasil. Conheça:

Fonte: Galileu

Pesquisador encontra poema de Cecilia Meireles sobre mulheres

Há quase 85 anos, no dia 31 de outubro de 1931, a jovem poeta Cecilia Meireles (que, à época, assinava como Meirelles) publicou, na revista “Lusitania”, o poema “Romance das Donas de Portugal”.

O texto, em que ela exalta as mulheres portuguesas, famosas (como Joana de Portugal ou Madalena de Vilhena) e anônimas, ficou esquecido até recentemente, quando foi garimpado pelo pesquisador Ulisses Infante, da Unesp (Universidade Estadual Paulista), como informado nesta terça-feira (8) pelo jornal “O Estado de S.Paulo”.

“Eu fazia uma pesquisa sobre a relação da Cecilia com Portugal e encontrei esse poema numa revista de nicho”, afirma à reportagem. “Tive a sensação de que nunca o tinha lido antes e, realmente, não foi publicado em outro lugar.”

A “Lusitania” era editada no Brasil por imigrantes portugueses. Para Infante, “Rimance” não é um texto de grande impacto no conjunto da obra de Cecilia, sendo uma obra de transição. “Nele, ela está num momento em que parece estar repensando os parâmetros”, diz.

O achado, entretanto, joga luz, segundo o pesquisador, num aspecto pouco explorado da escritora, por ser seu primeiro poema narrativo – “é a primeira vez que ela usa ‘rimance’ para falar de um poema, o que diz muita coisa, pensando que ela publicaria em 1953 o ‘Romanceiro da Inconfidência'”, observa. Este livro é considerado uma das principais, senão a principal obra da poeta modernista, e brinca com o gênero do romance transmutado em poesia.

“Rimance” é também um “poema de circunstância”, ou seja, um texto encomendado. No caso, por uma associação de portugueses no Rio, para um evento beneficente.

Ainda que a temática seja feminina, Infante diz que a carioca não se identificaria como feminista. “Ela teve inclusive brigas com feministas na época”, diz. Apesar disso, a define como defensora dos direitos das mulheres. “Mas ela vivia reafirmando sua independência das escolas, e por isso hesito em dizer que pertencia ao feminismo.”

Fonte: Hoje em dia

30 livros em um ano: que tal começar com 20 páginas por dia?

O que você faz na primeira hora do dia? A leitura matutina pode ser um incentivo para chegar a ler 30 livros em um ano

cozy_winter_beautiful_woman_legs_book_relax_hd-wallpaper-1905382-1080x736

Pesquisadores da Universidade de Roma III divulgaram no início deste ano um estudo que indica que quem lê tende a ser mais feliz que não leitores. Em uma escala que vai de 1 a 10, os adeptos da leitura diária ficaram com 7,44 pontos, enquanto os que não têm esse hábito ganharam 7,21 pontos, conforme o artigo The Happines of Reading, que contém os dados da pesquisa.

O estudo demonstra ainda que a percepção das emoções é maior entre os leitores, com predominância de contentamento, enquanto que quem não lê costuma ter mais sensações de tristeza e fúria.

Entretanto, há quem vá mais longe para descrever mais benefícios da leitura. O financista Warren Buffet, durante palestra para alunos da Universidade Columbia, dos Estados Unidos, disse aos estudantes que boa parte do sucesso se dá em razão da leitura e ofereceu certa dose de exagero: “leia 500  páginas por dia”, postulou o megainvestidor. Segundo Buffet, quem quer fazer sucesso deve se perguntar: “Estou lendo livros o suficiente?”.

Que tipo de leitor você é? James Clear, escritor, espécie de guru norte-americano e coach de artistas, empresários e atletas, ensina que é preciso identificar em que categoria de apreciador de livros a pessoa está: leitor “reativo” ou “proativo”. Falando sobre o próprios hábitos de leitura, Clear afirma que, com as redes sociais, a tendência é ser mais um leitor reativo, apenas lendo aquilo que é “empurrado” pela tela do computador. Não à toa, agora demonstram-se “reações” ao ler um post no Facebook, por exemplo.

Nunca lemos tanto, mas o dilema que se apresenta é que a qualidade ainda está nos bons livros: textos bem escritos, informações melhor apuradas e checadas e pesquisas aprofundadas.

Mas como ser um leitor mais “proativo”? Comece com 20 páginas por dia, sugere Clear. É pouco, mas o suficiente para definir um ritmo que leva aproximadamente 30 minutos para ser cumprido. E que tal fazê-lo logo pela manhã? As urgências do dia a dia podem desviar a atenção e contribuir para a procrastinação. A leitura matutina de um bom livro pode incentivar novos períodos ao longo do dia, quando há tempo e até tornar mais proveitoso o “livro de cabeceira”, aquela lida de algumas páginas antes de dormir. A proposta de Clear é a seguinte: chegar a 30 livros no ano.

Fonte: Homoliteratus

Springer Nature oferece acesso gratuito a conteúdos sobre o vírus Zika

831369O Aedes aegypti é um mosquito doméstico: vive dentro de casa e perto do homem. Nos últimos tempos, com o aumento gritante dos casos de Dengue, Chikungunya e, principalmente, Zika, a população brasileira entendeu: basta deixar acumular água para facilitar a reprodução do vetor. Para ajudar no combate às doenças, muitas entidades do Brasil e do mundo vêm investindo em pesquisas tanto para entender o comportamento do mosquito, quanto para desenvolver recursos para prevenir e eliminar as patologias.

O Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) fornece aos usuários vinculados às instituições participantes do programa um amplo acervo para dar suporte à produção de estudos nessa área. Com o intuito de ampliar ainda mais a disponibilidade de conteúdos, um grupo de organizações mundiais líderes da saúde publicou, no dia 10 de fevereiro, um comunicado conjunto, comprometendo-se a compartilhar dados e resultados relevantes para a atual crise do Zika e para emergências futuras.

Empenhada em colocar esse compromisso em ação, a Springer Nature abriu para o público seus recursos relacionados ao vírus, incluindo artigos, comentários, posts e notícias. A plataforma oferece vasto material sobre novos desenvolvimentos científicos relativos à epidemia, extraído de grandes marcas: Nature, Springer, BioMed Central, Palgrave Macmillan Journals e Scientific American.

De acordo com Felipe Herrero, Licensing Manager da editora no Brasil, a ação tem o objetivo de incentivar a pesquisa científica, além de colaborar no processo de entendimento e novas descobertas sobre o Zika. “Para isso, reunimos artigos que abordam o tema em suas diferentes áreas e disponibilizamos de forma gratuita”, frisa Herrero. O conteúdo é postado integralmente, de acordo com sua fonte de origem, e disponibilizado por campo de atuação. Para acessar o material, clique aqui.

Alice Oliveira dos Santos

Fonte: CAPES

Sage Journals inicia processo de mudança de plataforma

sage-logo

A Sage Journals, que compõe o acervo do Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), está em fase de transição. Segundo anúncio feito pela editora, o conteúdo da base vai migrar gradativamente para a plataforma Literatum, da Atypon. “Estamos muito animados com o poder tecnológico e com as novas oportunidades que teremos para apoiar a comunidade acadêmica”, declarou o Vice-Presidente Editorial da marca, Bob Howard.

Faz parte da política da editora rever regularmente os acordos com os fornecedores, com a intenção de garantir o melhor serviço possível e, com isso, a oferta de produtos de alta qualidade ao público. Por isso, em 2015 a empresa tomou a decisão de buscar uma ferramenta que atendesse melhor suas necessidades.

De acordo com Sandra Hopps, Gerente de Marketing da companhia, a mudança definitiva deve ocorrer em 2017, sendo que a empresa estuda oferecer acesso simultâneo à plataforma atual e à Literatum ainda este ano. “Nossos preparativos internos já estão em andamento, mas queremos assegurar uma transição suave. Na medida em que o processo evoluir, vamos compartilhar datas e detalhes específicos com os usuários”, explica Hopps.

Os dirigentes da Sage garantem que a Literatum é ideal para a abordagem inovadora da editora e possibilitará uma ótima experiência de navegação ao usuário, incluindo interface intuitiva e conteúdo adaptado para cada visitante. “Estamos emocionados com essa parceria e ansiosos para auxiliar a equipe da Sage na busca de novas ideias, a fim de alcançar sua visão progressiva de negócio”, comemora Georgios Papadopoulos, fundador e CEO da Atypon.

O Portal de Periódicos da Capes oferece acesso a 608 títulos da Sage, que contemplam periódicos nas áreas de Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas e Medicina. A disponibilidade de acesso ao texto completo varia desde janeiro de 1999 até o presente. O acesso ao conteúdo pode ser realizado pela opção Buscar Base.

Fonte: Portal de Periódicos da CAPES