OAB lança biblioteca digital com mais de 70 livros para download gratuito

Foto: Reprodução/OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)  disponibilizou para download gratuito uma biblioteca digital que oferece mais de 70 livros. As obras foram assinadas por nomes importantes da instituição. “Cidadania da Mulher: Uma Questão de Justiça”, “Defesa da Democracia e da Ordem Constitucional”, “Processo Judicial Eletrônico”, “Novo Código de Processo Civil: Comparativo das Redações do Senado Federal e da Câmara dos Deputados” estão entre os títulos.

O site também informa o autor e ano de publicação dos livros, e em alguns casos, também é fornecida uma sinopse do conteúdo. Para fazer o download, basta clicar na obra de interesse e o arquivo será disponibilizado em formato PDF. Algumas publicações também estão disponíveis para compra.

De acordo com a OAB, o acervo será atualizado periodicamente, com o intuito de auxiliar os profissionais do Direito tanto na área acadêmica, quanto no cumprimento de suas funções jurídicas e para com a sociedade.

“Acompanhando os avanços tecnológicos dos últimos anos, a Ordem dos Advogados do Brasil agora disponibiliza ao público um portal dirigido à sua nova Biblioteca Digital, que objetiva incrementar o acesso à informação gratuita. Com a proposta de compartilhar conhecimentos de forma ampla e imediata, oferecemos a todos os usuários da rede mundial de computadores um acervo que servirá como referência aos advogados, estagiários, pesquisadores, professores, alunos e à população em geral”, afirma o presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, na página principal da Biblioteca Digital.

Para conferir a biblioteca da OAB, clique aqui.

Fonte: Livros Só Mudam Pessoas e Biblioteca do Bibliotecário

Michael Mandiberg decidiu imprimir toda a Wikipédia (e é uma obra de arte)

É um gesto que tem tanto de ambicioso como de obsoleto. Foi o que fez o artista interdisciplinar Michael Mandiberg, quando decidiu imprimir toda a Wikipédia.

Nos últimos três anos, o nova-iorquino imprimiu toda a Wikipédia de língua inglesa, num projecto a que deu o nome “Print Wikipédia.”

E a que chamou de “visão utilitária do maior acervo de conhecimento da espécie humana e um gesto poético de encontro à futilidade do tamanho do arquivo cibernético”.

Tudo somado, são 11,5 milhões de entradas em inglês da enciclopédia na Internet que cabe num livro impresso em 7600 volumes.

O índice ocupa os primeiros 91 volumes e os últimos 36 são uma listagem de todos os nomes que contribuíram para a elaboração dos artigos na Internet. Os volumes estão à venda por cerca de 70 euros (cada um).

Como parte do projecto, Mandiberg tem uma exposição com o nome “From Aaaaa! to ZZZap!”, na qual irá fazer o upload de 11 GB comprimidos para colocar no website Lulu.com, que deverá demorar cerca de duas semanas.

A exposição termina quando o upload estiver completo, será dada uma festa para celebrar o acontecimento e assinalada com compra já confirmada dos 7600 volumes por meio milhão de dólares.

Fonte: Jornal I

14 mil imagens gratuitas da Revolução Francesa

droits-de-lhomme

O Arquivo Digital da Revolução Francesa, de responsabilidade da Stanford University e da Bibliothèque nationale de France (BnF), acaba de disponibilizar uma importante coleção de imagens sobre a Revolução Francesa do século XVIII. Trata-de de cerca de 14 mil imagens de alta resolução, sobretudo estampas, mas também mapas, ilustrações, medalhas, moedas e outros objetos que documentam um dos acontecimentos mais importantes da história moderna.

Fonte: Ler Ebooks

Um mapa do Google para todos os seus livros favoritos

Você alguma vez teve aquela vontade de visitar as localidades onde se passavam seus livros favoritos?  Se sim, planejar sua próxima viagem literária apenas ficou mais fácil com esse mapa feito no Google pela Lovereading.co.uk.

Que tal uma viagem que começa nostálgica em New England com Mulherzinhas de Louisa May Alcott, que continua e começa a ficar estranha em New Hampshire com o Doutor do Sono de Stephen King. Depois reviva  As Feiticeiras de Salem de Arthur Miller, no estado de Massachusetts, em seguida vá para Nova Iorque e visite o restaurante de Psicopata Americano de Bret Easton. Você pode, ainda, ir a Long Island para ver a casa que inspirou o Grande Gatsby… que acabou de ser vendida por uma bagatela de 3.9 milhões de dólares.

O mapa não está restrito aos Estados Unidos, a Lovereading.co.uk mapeou livros por todo o globo. Clique aqui e explore.

Fonte: adaptado do Eletric Lit

Livros na estrada – Bibliotecas Livres na Rodoviária de Porto Alegre

Divulgamos a ação do Coletivo Troca Viva em parceria com a Veppo que procura incentivar a leitura entre os passageiros do terminal rodoviário de Porto Alegre

Livros na estrada
A partir desta semana, quem passar pela estação rodoviária de Porto Alegre poderá ter um pouco mais de cultura através da leitura. A ação “Livros na Estrada”, do Coletivo Troca Viva, tem por objetivo incentivar a leitura de forma livre e aproveitar um dos espaços de maior circulação de pessoas na cidade. Além disso, aliar o tempo de viagem à leitura é uma maneira de encurtar as distâncias e fazer duas viagens ao mesmo tempo: uma real e uma através da imaginação.

Serão dispostas caixas de feira customizadas cheias de livros, para que as pessoas possam usufrui-los livremente, sem cadastro, sem data para devolução. As caixas estarão em três locais distintos da rodoviária (corredor central, sala de espera e embarque internacional). Junto delas, estarão as instruções de uso do material.

Para que a ação tenha vida longa, as doações de livros e revistas são bem vindas.

Fonte: Associação Rio-Grandense de Bibliotecários

Indico 1984 de George Orwell porque…

Todo mundo sabe que George Orwell é um grande escritor, todo mundo, também,  já ouviu referências a seus livros e a suas críticas ferrenhas a sociedade pós-segunda guerra.

Tendo isso como base, já sabemos que esse autor tem o poder de inspirar e fazer pensar todos os que leem suas obras. Victoria Baratieri de 17 anos, estudante de Design na Universidade de Caxias do Sul indica 1984, livro mais emblemático de Orwell.

11401057_692995330828593_7532070178605476595_n

Victoria Baratieri, indica 1984 de George Orwell

“É um livro bem fácil de ler, o estilo de escrita do autor é simples e direto. 1984 envolve política e romance de uma forma incrível”, afirma a estudante.

“Winston, herói de 1984, último romance de George Orwell, vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico. De fato, a ideologia do Partido dominante em Oceânia não visa nada de coisa alguma para ninguém, no presente ou no futuro. O’Brien, hierarca do Partido, é quem explica a Winston que “só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade: só o poder pelo poder, poder puro”.

O livro nos faz refletir sobre aquilo que os governantes fazem com um país e mostra, com perfeição,  o pensamento exato do dominador e do dominado. “Mesmo fazendo crítica a sociedade pós-guerra a obra continua muito atual, nos faz pensar em que tipo de sistema estamos vivendo”, diz Victoria.

A graduanda comenta que a obra tem muitos elementos semi-óticos e simbolismos, e por tal motivo considera o livro tão especial.

“Cada vez que esse livro for lido ou relido, novos sentidos serão percebidos. Orwell nos inspira a pensar e questionar o mundo e a sociedade, acho essa a principal qualidade dele”.

O livro 1984 de George Orwell está disponível no acervo de nossas bibliotecas, fica o convite a leitura ou a releitura dessa obra. 

E você, que livro indicaria? Quer fazer parte da campanha? É fácil, mande um e-mail para bice@ucs.br e participe.

Segundo Varal de Poesias da Biblioteca Central

varalbom2

A Biblioteca Central está em clima de Festa Junina e é sobre isso que trata o Varal de Poesias que começou no dia 23 de junho e vai até o dia 1 de julho.

O colorido das festas juninas serviu de inspiração para a decoração e a alegria da festa para a escolha das poesias. Convidamos toda a comunidade acadêmica para prestigiar o Varal de Poesias!

varal bom

 

 

 

Biblioteca do Núcleo Universitário de Nova Prata não terá expediente

Amanhã 24/06 a Biblioteca do Núcleo Universitário de Nova Prata (NUPRA)  estará fechada em função do Dia de São João Batista.

Em caso de dúvida entre em contato pelo e-mail bice@ucs.br, pelo twitter@bibliotecaucs ou pelo telefone (54) 3218-2173.

 

Mendeley lança aplicativo para Android

Como elaborar referências bibliográficas sem drama: Mendeley!

O Mendeley é um software gratuito que ajuda na organização de pesquisas. O software também um gerenciador de referências bibliográficas e uma rede social acadêmica. (Para saber mais, acesse.)

Na semana passada, foi lançada a versão do software para Android. O Mendeley já contava com inúmeras versões não oficiais, mas a versão oficial apresenta novas funcionalidades, como fazer anotações e sublinhar trechos de documentos em PDF, do telefone ou do tablet. Além disso conta com a praticidade de salvar as alterações feitas em nuvem e sincroniza-las com todos os aparelhos que possuem o software.

Outro destaque da versão oficial é a capacidade de adicionar um documento ao Mendeley enquanto estamos navegando a partir do dispositivo móvel.

Resumo das Funcionalidades oferecidas pelo aplicativo:

  • Aproveitar ao máximo as funções que estão disponíveis no tablet ou no smartphone;
  • Ler e fazer anotações em arquivos PDF;
  • Sincronizar notas e documentos em todos os seus dispositivos;
  • Salvar arquivos PDF na biblioteca Mendeley de outros aplicativos ou a partir do navegador;
  • Usar o Mendeley offline enquanto viaja, sendo realizada a sincronização no momento em que existir conexão de internet;
  • Procurar em seu dicionário pessoal por palavra-chave do título, autores, publicação ou resumo;
  • Editar e modificar detalhes do documento (título, autores, os dados de publicação, etc …);
  • Fazer o download ou remover arquivos PDF, para gerenciar facilmente o espaço de armazenamento do dispositivo.

Veja mais informações no vídeo:

Fontes: Universo AbiertoMendeley Blog e Biblioteca da FEAAC

Este livro pode ser “plantado” depois de lido

livroplantavel-1000x641

Tiago Varzim, no Shifter

A editora argentina Pequeño Editor decidiu criar um livro “plantável” que regressa ao solo depois de ser lido. Chama-se Mi Papa Estuvo En La Selva (O Meu Pai Esteve Na Selva, numa tradução livre) e tem como grande objetivo ser plantado, após a leitura estar terminada, nascendo dele uma árvore.

É, na verdade, um “livro-árvore” – feito de papel reciclado e impresso em tintas biodegradáveis, sem os habituais químicos ou ácidos.

As instruções que acompanham o livro explicam o processo: depois da leitura, umedecer o produto e guardá-lo num local fresco, sem luz solar, até que a germinação aconteça; de seguida, plantar o livro à superfície, sem o cobrir de terra, e regar com frequência, tal como se faz com as árvores normais. No final, terás uma bela árvore de Jacarandá, pois são as sementes desta planta que estão inseridas nas folhas e na capa do “livro-árvore”.

Mas o que levou a editora argentina a criar este livro? Os números: por ano, publicam-se 1 55o livros novos e 6 milhões de exemplares por mês são impressos. Esta pequena editora viu aqui uma oportunidade de veicular uma mensagem de proteção ambiental, sem ferir os mais ávidos leitores.

O livro em si fala de uma viagem à selva equatoriana, sendo uma história dedicada às crianças, contada pela voz de uma criança. A publicação aconteceu em Março deste ano, com o livro a ser enviado a várias personalidades públicas argentinas.

Fonte: Livros só Mudam Pessoas

Tire boas notas nas provas

Quer melhorar seu rendimento escolar, mas não sabe como? Veja as dicas que podem te ajudar

Ao estudar para as provas durante o colégio ou a universidade é essencial que o aluno encontre qual a melhor estratégia pessoal para reter os conteúdos ensinados em sala de aula. Para aproveitar ao máximo os ensinamentos dos professores, os alunos precisam encontrar qual a melhor estratégia pessoal para tirar boas notas e só saber por meio de tentativa e err

Invista em maneiras que estimulem a construção de conhecimento e não simplesmente a memorização. Se não houver compreensão de fato, você logo esquecerá o que foi ensinado e, por isso, utilizar só a memória pode ser complicado.

Confira 10 dicas para estudar da melhor maneira possível, sem gastar muito tempo:

1- Ensine os outros
Para que você tenha a noção exata de quais conceitos foram compreendidos e quais estão defasados, exponha-os para algum colega como se estivesse ministrando uma aula. Assim, você adota uma postura de ensino colaborativo, no qual você é beneficiado percebendo seus pontos fortes e fracos e seu colega também aprende mais, principalmente se estivesse com dificuldades.

2- Use metáforas
Essa figura de linguagem pode facilitar muito o seu aprendizado! Enquanto você estiver estudando e se deparar com um conceito de difícil entendimento, tente criar uma associação mais fácil que você vá compreender e conseguir lembrar no momento das avaliações. Na biologia, por exemplo, existe a metáfora “chave-fechadura” simplifica a ideia de como funciona a união entre as enzimas e seus respectivos substratos.

3- Não passe conteúdos que você não entender
Muito mais do que aprender conteúdos para as avaliações, estudar é o momento propício para a retirada de dúvidas. Não tenha preguiça! Selecione os conceitos que não compreender e os leve para seu professor, assim com certeza você terá um rendimento melhor do que se não tivesse essa atitude.

4- Encontre padrões
Faça ligações entre conteúdos diferentes, para que assim você consiga compreender ambos ao mesmo tempo.

5- Não estudo muito antes da prova
Você deve estudar ao longo do período que antecede as provas, dividindo a quantidade de temas para que você não fique sobrecarregado de conteúdos. Embora você possa acreditar que retenha mais conteúdos se estudar próximo da avaliação, isso não acontece. Você só estará forçando a compreensão e aumentando seu estresse, o que pode ser bastante prejudicial na realização do exame.

6- Escreve durante os estudos
Faça muitas anotações durante as aulas e para estudar, mas não se preocupe com a organização do conteúdo. Enquanto você escreve, foque em materializar as ideias com o intuito de ter um melhor resultado nas provas. A única pessoa que precisa compreender as anotações e a linha de raciocínio é você.

7- Aumente sua bagagem de conteúdos
Quanto mais você ler e se interar dos assuntos estudados, maior suas chances de tirar boas notas. Assim, ficará mais fácil para entender o determinado tema e os relacionados a ele.

8- Use os cinco sentidos
Às vezes os conceitos abstratos são lembrados mais facilmente se você associá-los a outras coisas. Você pode associar um gesto à um conceito matemático, por exemplo, e assim sempre lembrará.

9- Teste suas habilidades
Abra um arquivo de Word, anote todos os conceitos que lembrar da disciplina que está estudando e faça conexões entre os assuntos. Assim, você conseguirá ver claramente quais os tópicos estão defasados e merecem mais sua atenção em próximas sessões de estudo.

10- Crie imagens mentais
É importante que você abuse do uso de imagens mentais para compreender conceitos abstratos. Elas são essenciais para a elaboração de ideias posteriores, que dependam do assunto para serem compreendidas.

Fonte: Universia Brasil

21 de junho: aniversário de Machado de Assis

Machado de Assis, fundador da Academia Brasileira de Letras.

Romancista, cronista, contista, dramaturgo, jornalista, poeta, novelista, crítico e ensaísta, nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839. Considerado um dos mais importantes escritores da literatura brasileira, nasceu em uma família humilde, passou por muitos percalços durante sua infância e adoslescência, e veio a se tornar um dos maiores escritores nacionais.

Trabalhou como colaborador em diversas revistas e jornais no Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de letras e seu primeiro presidente, além disso é o fundador da cadeira nº. 23, e escolheu o nome de José de Alencar, seu grande amigo, para ser seu patrono.

Podemos dividir as obras do autor em duas fases: Na primeira fase (fase romântica) os personagens de suas obras possuem características românticas, sendo o amor e os relacionamentos amorosos os principais temas de seus livros. Nesta fase podemos destacar as seguintes obras: Ressurreição (1872), seu primeiro livro, A Mão e a Luva (1874), Helena (1876) e Iaiá Garcia (1878).

Na Segunda Fase (fase realista), o autor abre espaços para as questões psicológicas dos personagens. É a fase em que o autor retrata muito bem as características do realismo literário. Machado de Assis faz uma análise profunda e realista do ser humano, destacando suas vontades, necessidades, defeitos e qualidades.

No ano de 1881, publica Memórias Póstumas de Brás Cubas, livro que vira marco do realismo na literatura brasileira, o romance trazia um tema extremamente novo, pois o narrador da história, Brás Cubas está morto, conta sua história de vida, coisa nunca antes feita na literatura do país. Desta fase é possível ainda destacar os seguintes livros: Quincas Borba (1892), Dom Casmurro (1900) e Memorial de Aires (1908).

Machado de Assis morreu de câncer, em sua cidade natal, no ano de 1908.

Fonte: Releituras

Bibliotecas do Sistema UCS abertas durante o Vestibular de Inverno

imagem
Durante o Vestibular de Inverno da Universidade de Caxias do Sul estarão abertas as seguintes bibliotecas:
  • Biblioteca Central de Caxias do Sul: 13h às 19h.
  • Biblioteca Central de Bento Gonçalves: 13h às 17h.
  • Biblioteca Central de Vacaria: 13:30h às 17h

Google Imagens: 11 ideias para usar o buscador que ajudam no dia a dia

Lançado em 2001, o Google Imagens é o motor de busca gráfica mais popular do mundo. Com funcionamento simples e a ferramenta ajuda bastante no dia a dia, seja ao permitir saber se alguém está usando uma foto sua indevidamente ou mesmo descobrir novas receitas, o nome de objetos e outras coisas. Confira as dicas a seguir e explore todo o potencial do Google Imagens.

Google Imagens tem funcionamento simples (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

1) Papel de parede
O Google Imagens pode facilitar muito o trabalho de procurar um papel de parede para seu computador. Uma forma simples é digitar “papel de parede” junto com o tipo de imagem que você quer, como “papel de parede pássaro”. Outra dica é escrever a expressão em inglês, o que pode gerar mais resultados. Para aprimorar a busca, defina o tamanho exato do wallpaper nas ferramentas de pesquisa.

Pesquisa por papel de parede no Google Imagens (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

2) Buscar fotos por autoria
Uma forma de conhecer mais obras de determinado artista visual é usar seu nome no Google Imagens. Podem ser quadros, fotografias, esculturas ou qualquer outra forma de expressão. Da mesma maneira, é possível procurar por peças publicitárias criadas por uma agência específica ou fotos de certas revistas.

3) Verificar se a imagem é original
Você tem um blog, recebeu uma foto legal para ilustrar um post mas não sabe se ela já foi publicada em outros sites. A “prova dos nove” pode ser tirada com o Google, que mostrará todas as ocorrências de imagens visualmente parecidas. Dessa forma você consegue saber se a foto é uma novidade na Internet ou não.

Pesquisa se foto já foi publicada em outros sites (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

4) Descobrir se estão usando sua foto de forma indevida
Pessoas usando fotos sem a devida autorização é um problema bastante comum. Para se resguardar deste problema você pode realizar busca na sua imagem e ver se ela foi publicada por alguma pessoa ou empresa. Isso vale tanto para fotos pessoais quanto para profissionais, protegidas por direitos autorais.

5) Interesses gastronômicos
Com um monte de gente postando foto de comida nas redes sociais, é comum ficar com vontade de comer algum prato ou sobremesa, mas não saber exatamente do que se trata. Se isso acontecer com você é só usar a ferramenta de busca por imagem. Os principais resultados irão mostrar sites com fotos similares – e muito provavelmente acompanharão a receita.

Google Imagens pode ajudar a descobrir receitas (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

6) Conhecer celebridades
Alguém postou a foto de uma pessoa famosa nas redes sociais e você não faz a menor ideia de quem seja? Busque a celebridade no Google Imagens. Depois de saber o nome será possível pesquisar mais sobre o indivíduo e se inteirar sobre o que estão falando dele.

7) Identificar produtos
Ao viajar para outros países é comum encontrarmos produtos que desconhecemos. Quando isso ocorrer, tire uma foto da embalagem e faça upload do arquivo através do campo de busca do Google Imagens.

É possível fazer upload de fotos para pesquisar no Google Imagens (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

8) Descobrir plantas
O mesmo pode acontecer com plantas, especialmente se você for um curioso pela flora. Registre o vegetal que despertou seu interesse, pesquise a imagem no Google e acabe de vez com a dúvida sobre que espécie é.

9) Identificar espécies de animais
Você foi para um ambiente diferente e encontrou vários bichos que nunca viu. Antes de mexer no animal, use o Google Imagens para conhecer a espécie e saber se ela é perigosa ou não.

10) Pesquisar mapas impressos
Mapas impressos ainda são importantes em uma série de áreas. Procure mapas de determinado lugar no Google Imagens que ele retornará com um grande número de variações, que atenderão a diferentes necessidades.

Google Imagens mostra grande variação de mapas impressos (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

11) Adicionar uma foto ao Google Imagens
Se você quiser que uma fotografia sua apareça nos resultados do Google Imagens, basta postá-la em uma página como site, blog ou Tumblr. Quanto melhor for a descrição da foto, mais fácil será encontrá-la pelas pessoas que usarem o motor de busca.

Fonte: Pesquisa Mundi

Conheça a editora que recria manuscritos medievais e renascentistas

A editora espanhola do Señor Manuel Moleiro começou suas atividades no início dos anos 90. Porém, não se trata de uma simples editora. Seus projetos ambiciosos aspiram a nada menos do que a perfeição, que é magistralmente aplicada na criação de fac-símiles, ou seja, reproduções perfeitas dos mais renomados documentos antigos, principalmente do século X ao século XVI. Dentre eles, figuram diversos mapas e atlas, livros bíblicos e de horas (livros litúrgicos destinados aos laicos, para que possam seguir as diversas orações e liturgias correspondentes a cada hora do dia e do ano), além de tratados de medicina e botânica. Certamente o objeto de sonho dos apaixonados por História, arte e livros.

Splendor Solis, manuscrito de 1582.

Breviário de Isabel, a Católica.

Mapa do Atlas Vallard representando o Brasil.

Tratactus de Herbis, tratado de botânica de 1440.

Tratactus de Herbis, tratado de botânica de 1440.

A editora realiza sua “mágica” com a ajuda de 75 colaboradores, através de cinco etapas. Primeiramente, a Moleiro consegue a autorização para fotografar cuidadosa e detalhadamente cada uma das páginas do manuscrito em questão, geralmente abrigado nas maiores bibliotecas e museus do planeta, tais como a Bibliothèque nationale de France, a British Library ou ainda o Metropolitan Museum of Art. Em seguida, o livro passa por uma fase de pré-impressão, para depois ser cuidadosamente avaliado e corrigido. Finalmente, são impressas 987 cópias e suas folhas são encadernadas usando as mesmas técnicas da época na qual o manuscrito original foi encadernado, para assim obter exatamente a mesma aparência interna e externa da obra original. Inclusive, o proprietário da editora participa ativamente das etapas de criação, principalmente da primeira e da terceira.

Detalhe do fecho do Livro de Horas de Henrique VIII.

O aroma, a textura e até mesmo o cheiro, as imperfeições e as manchas causadas pela ação do tempo são reproduzidos. Os fac-símiles que possuem iluminuras – ilustrações – com folhas de ouro nos originais, também recebem a aplicação desse material nos locais devidos. Como a editora mesmo prega, trata-se de “quase-originais”.

Anunciação do Livro de Horas de Henrique VIII.

Todo esse processo leva cerca de dois anos para ser completado. Porém, no caso de manuscritos mais longos e mais complexos, a criação dos fac-símiles pode levar mais tempo, como por exemplo, no caso da Bíblia de São Luís, que possui 1230 páginas e levou longos 7 anos para ser reproduzida. Ou seja, são verdadeiras peças artesanais criadas com extremo cuidado.

Bíblia de São Luís.

Como já foi dito anteriormente, os livros são produzidos em edições únicas limitadas a 987 exemplares numerados. A quantidade, bem específica, faz alusão ao número 7 como símbolo da perfeição, conceito adotado e colocado em prática pela editora. São verdadeiros objetos de coleção, que contam cada um deles com um certificado de autenticidade registrado em cartório.

Tanta exclusividade e perfeição, claramente tem um preço, que varia, dependendo do manuscrito ou do mapa, de algumas centenas de euros a 20.000 euros (cerca de 64.000 reais) por cada exemplar.

Iluminura representando a rainha Ana da Bretanha rezando na companhia de três santas, presente nas Grandes Horas de Ana da Bretanha, fac-símile vendido por 11.925 euros (cerca de 38.000 reais).

Graças a sua excelência (e preço elevado) a Moleiro atrai uma clientela que está habituada com esse conceito. Figuram dentre seus maiores clientes nomes como João Paulo II, José Saramago, George W. Bush e o rei Juan Carlos I da Espanha. Claramente, esses personagens ricos e poderosíssimos poderiam se dar ao luxo de ter em casa (ou em cofres) manuscritos antigos originais, mas, alguns dos mais importantes já escritos se encontram em coleções de museus e bibliotecas públicas, e, portanto, não podem ser ou não seriam vendidos.

Vale destacar a função de preservação do patrimônio cultural que indiretamente é exercida pela editora na produção dos fac-símiles. Imaginem se uma dessas bibliotecas ou museus onde se encontram os originais é incendiado, inundado (como aconteceu na Bibliotheque nationale de France recentemente) ou a obra é roubada. Se alguma delas fosse destruída ou parcialmente perdida por um infeliz acaso, ainda existiriam cópias perfeitas que permitiriam a preservação e restauração de seu rico conteúdo.

Além do certificado registrado em cartório, os felizes compradores recebem junto a sua cópia do manuscrito, um livro de comentários – disponível em francês, inglês e espanhol – escrito por especialistas, frequentemente contando com a participação do próprio curador do museu ou biblioteca onde se encontra o original, o que possibilita um maior entendimento da joia adquirida. Esse trabalho aprofundado de pesquisa, além de proporcionar conhecimento aos seus compradores, também é importantíssimo no campo da pesquisa, pois no caso de alguns dos manuscritos, trata-se de um trabalho inovador e pioneiro no estudo destes.

Vale de dizer que o livro de comentários em si, já é lindo e muitíssimo atraente a qualquer leitor e colecionador ávido por belos exemplares. São livros em capa dura, cheios de belas ilustrações e detalhes tirados do exemplar original, que completam a obra e são um espetáculo por si só.

conheca

Para aqueles que já estavam tentando pesquisar onde comprar pelo menos os livros de comentários aqui no Brasil, trago a infeliz notícia de que, normalmente, esses exemplares não são vendidos separadamente dos fac-símiles. Porém, descobri que se o fac-símile estiver esgotado e alguns livros de estudo ainda restarem no estoque, a editora pode sim, vende-los. É possível consultar os livros disponíveis no site da editora www.moleiro.com(também em português). Os preços variam: o livro de estudo do Martirológo de Usuardo – que parece ser lindo – custa 150 euros (cerca de 480 reais), enquanto que aquele do Mapa-múndi Catalão, por exemplo, está disponível por 250 euros (cerca de 800 reais).

Bibliografia/Fontes :

Michel BONEL, « La quête de la perfection » in Tribune de Genève, (julho-agosto 2011), p. 30-31.

Henry BONNIER, « L’art et la perfection » in Politique Magazine, No 109 (juillet 2008), p.46-47.

Philippe Dagen, «Les Grands heures d’Anne de Bretagne pour 11.925 euros » in Le monde, No 20283 (20 de abril de 2010).

Mélina GAZSI, “A Barcelone, grimoires et parchemins ressuscités” in Le Monde, (19 de novembro de 2011).

Michael KNIPE, « The art of perfection » in The Times, (23 de abril de 2011).

Gilles LAPOUGE, « L’énigme de l’atlas dieppois » in Magazine GEO Histoire, p. 104-111.

Monica MIRÓ, « Cloner des ouvrages du Moyen-Âge ou de la Renaissance » in Le Rotarien, (fevereiro 2013), p. 39-43.

Margot MOLINA, « Códices que se pueden tocar » in El País, (10 de maio de 2012).

Véronique PRAT, « Trésors cachés des grands bibliothèques » in Le Figaro Magazine, (14 de janeiro de 2012), p.64-68.

« A literary favour to world culture” in The Tmes, (23 de abril de 2002).

Revisado por: Pedro Dalboni

Fonte: Literatortura

Campanha: “Indico esse livro porque…”

Todo mundo já leu um livro que o marcou de forma significativa. Seja pela trama, pelos personagens ou pela mensagem transmitida, nos apegamos tanto a ele que o transformamos em livro de cabeceira.

Consequentemente, adoraríamos que nossos amigos, parentes entre outros, lessem o tal livro para ter com que discutir a história e saber se ela se tornou tão significativa para os outros quanto é para nós. Pensando nisso, a Biblioteca Central criou a campanha “Eu Indico esse livro porque…”, nela, estudantes, professores e toda a comunidade acadêmica podem dar dicas de livros que marcaram suas vidas de forma especial.

Para dar início a campanha, foi escolhida uma graduanda em Letras-Licenciatura, pela Universidade de Caxias do Sul. Luiza Miranda, de 17 anos, indica a leitura de Assassinatos na Academia Brasileira de Letras de Jô Soares.

Assassinatos na Academia Brasileira de Letras aborda uma história fictícia, na qual ocorre uma série de assassinatos, e todos os mortos são membros da Academia Brasileira de Letras. Poderia então se tratar de um serial killer literário? Ao menos é o que parecia estar solto pelo pacato Rio de Janeiro de 1924, o assassino misterioso queria ver mortos todos os imortais. Será que os assassinatos estão interligados ou será que são mera coincidência?

“Quando pensei em um livro para indicar, Assassinatos na Academia Brasileira de Letras logo me veio a cabeça, essa obra me marcou muito, porque é inventada e traz, ao mesmo tempo, a cultura da Academia.”, explica a estudante.

O livro é intrigante e engraçado ao mesmo tempo. Além disso, alia a boa prosa do autor a uma pesquisa histórica que reconstrói nos mais ricos detalhes o Rio de Janeiro de 1924. Para Luiza, a criatividade de Jô Soares ao criar essa história fictícia, com tanta riqueza de detalhes, é um dos pontos chave para tornar o livro tão especial.

“É o tipo de leitura fácil e que você não tem mais vontade de largar. E o final é bem surpreendente.”, acrescenta.

Fica o convite a leitura desse livro, que está disponível em nossos acervos.

E você, que livro indicaria? Quer fazer parte da campanha? É fácil, mande um e-mail para bice@ucs.br e participe.

UCS TV vence Prêmio Futura de Jornalismo.

Resultado contempla reportagem exibida no Jornal Futura, em março de 2015.

A UCS TV conquistou o Prêmio Futura de Jornalismo. O anúncio dos vencedores ocorreu na quinta-feira, dia 11 de junho, em Brasília, durante o 8º Encontro de Jornalismo em Rede do Canal Futura. A premiação faz referência à reportagem da série “Alimentos na Mesa dos Brasileiros”, que foi exibida no Jornal Futura, em marco de 2015.

Em cerca de quatro minutos e meio, a matéria conta a história do tomate no mundo e fala da importância da cultura agrícola para a região da Serra gaúcha. O trabalho foi produzido pelo repórter Róger Ruffato, pelo cinegrafista Juares Franco e com videografismo de Rafael Moschen. (assista o vídeo)

A diretora de programação da UCS TV, Adriana Antunes, que esteve em Brasília para receber a premiação, reforça a importância da conquista para a emissora. Conforme ela, o resultado demonstra que a parceira mantida com o Canal Futura, desde 2010, vem dando certo. “A reportagem vencedora sintetiza a linguagem do nosso canal, que agrega a temas universais um conteúdo de interesse regional, com proposta estética e visual inovadora, abordando pesquisa e trabalhos desenvolvidos na própria universidade”, ressalta.

Leia a reportagem completa aqui.

Fotos: Vanessa Ioris e Adriana Antunes

Fonte: UCS

Revista dos Tribunais

   Com mais de 1.000.000 de relacionamentos entre doutrina, legislação e jurisprudência, a Revista dos Tribunais Online (para saber mais acesse) é um portal jurídico que facilita o dia a dia pesquisador da área do Direito.

    Segundo Roberto Abreu, representante da editora Thomson Reuters no estado, apenas a Universidade de Caxias do Sul conta com a adição da Revista dos Tribunais em sua funcionalidade Online, na serra gaúcha.

      Por ser um portal online, a busca pode ser feita de qualquer local, por meio de computadores, smartphone e tablets. Mas, para ter acesso ao conteúdo é preciso configurar o proxy (para acessar o tutorial clique aqui) no seu navegador ou estar conectado a um dos computadores na UCS.

rt

Fonte: Revista dos Tribunais Online

 

Como uma pesquisa entra no UpToDate? Descubra no fórum de aprendizagem, amanhã!

Caros Colegas,

Juntem-se a nós para o próximo Fórum de Aprendizagem Webinar, para estudar como buscar entradas no UpToDate através do nosso processo editorial rigoroso.

Tópicos no UpToDate são revisados sempre que surgem novas informações relevantes e que devem ser publicadas, não de acrodo com uma agenda específica.

Neste fórum você irá aprender:

  • No que o processo editorial do UpToDate consiste
  • Quem faz parte do time editorial
  • Quando uma nova pesquisa é incorporada
  • Como a pesquisa pode mudar as recomendações do tratamento
  • Onde encontrar as últimas atualizações clinicas

Duração: 30 minutos

Custo: sem custo

Por favor, registre-se no horário que melhor se encaixa em sua agenda:

Terça, 16 de junho às 7:00 (GTM – 5)

Terça, 16 de junho às 22:00 (GTM – 5)

Terça, 16 de junho às 22:30 (GTM – 5)

 

imagem

 

Fonte: UpToDate adaptado.

Manuscrito do século XVI tem ilustração parecida com Yoda

A Biblioteca Britânica vai publicar um novo livro que reúne publicações do mundo medieval com grandes monstros e, dentre esses monstros, adivinhem quem eles encontraram! Um primo distante do Yoda!

Yoda

O livro foi produzido pelos historiadores Damien Kempf e Maria L. Gilbert e por mais que todos queiram muito acreditar que essa ilustração é realmente o Yoda, na verdade era bem comum que em textos dessa época houvessem ilustrações de monstros por todos os cantos e alguém simplesmente poderia já ter pensado nessa figura parecida com o Yoda antes mesmo de George Lucas.

O primo do Yoda é uma ilustração da história bíblica de Sansão que aparece no manuscrito conhecido como “Os decretos de Smithfield”, do século XIV.

Seja como for, é bastante curioso que essa figura tão parecida com o Yoda já circulasse em documentos de séculos passados e tenha se perpetuado até os dias mais recentes!

Fonte: Garotas Nerds