Conheça vida e obra de Darcy Ribeiro

Darcy-Ribeiro-FotoNo dia 17 de fevereiro de 1997 morria, em Brasília (DF), Darcy Ribeiro, antropólogo, político e escritor.

Darcy começou sua vida profissional como antropólogo do Serviço de Proteção aos Índios, onde criou o Museu do Índio e, em parceria com os irmãos Villas-Boas, formulou o Parque Indígena do Xingu. No mesmo período, conheceu e se casou com Berta Gleizer, que se tornou uma grande parceira intelectual. Posteriormente, ingressou na área educacional e formulou o projeto de criação da Universidade de Brasília.

Sua trajetória sempre esteve próxima às lideranças dos Governos, o que tornou inevitável seu ingresso na vida política: foi ministro da Educação e ministro-chefe da Casa Civil durante o governo de João Goulart; vice-governador do Rio de Janeiro em 1982, secretário de Cultura e coordenador do Programa Especial de Educação; senador da República de 1991 até sua morte, em 1997.

Durante seu exílio em diversos países da América Latina atuou como pesquisador, professor e reformador de universidades. Nesse período, iniciou uma intensa produção de livros que o transformou em um dos imortais da Academia Brasileira de Letras (ABL), onde viria a ocupar a cadeira 11 em 1993. Nos últimos anos de vida surpreendeu com sua produção de poemas.

Sua produção na área da educação e da cultura deixou marcas no país: criou universidades, centros culturais e uma nova proposta educativa com os Centros Integrados de Educação Pública, os Cieps, além de deixar inúmeras obras traduzidas para diversos idiomas.

Conheça algumas obras do escritor que fazem parte do nosso acervo:

  • O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil
    Número de chamada: 39(81) R484p 
  • O processo civilizatório: etapas da evolução sociocultural
    Número de chamada: 316.7 R484p
  • O mulo: romance
    Número de chamada: 821.134.3(81)-31 R484m
  • Confissões
    Número de chamada: 929RIBEIRO R484c
  • Os índios e a civilização: a integração das populações indígenas no Brasil moderno
    Número de chamada: 39(=1.81-82) R484i
  • Maíra: um romance dos índios e da Amazônia
    Número de chamada: 821.134.3(81)-31 R484m
  • O Brasil como problema
    Número de chamada: 316.3(81) R484b 
  • Universidade para quê?
    Número de chamada: 378.4 R484u
  • O dilema da América Latina: estruturas de poder e forças insurgentes
    Número de chamada: 308(7/8=134) R484d

Fonte: Fundar

A vida de Galileu Galilei

GalileuNo livro Galileu Galilei – O Primeiro Físico, James Maclachlan conta a história desse cientista revolucionário e de seus esforços para mudar nosso modo de ver o Universo.

O autor constrói, nas últimas páginas do livro, a cronologia da vida do cientista, com os principais acontecimentos e publicações. Ficou curioso? Confira abaixo!

E você encontra no acervo das Bibliotecas UCS vários livros sobre Galileu Galilei!

  • 15 de fevereiro de 1564
    Nasce Galileu, em Pisa, Toscana
  • 1574-81
    Estuda em Florença e Vallombrosa
  • Novembro de 1581
    Matricula-se na Universidade de Pisa para formar-se médico
  • Início de 1583
    Começa a preferir o estudo da matemática ao das disciplinas regulares
  • Maio de 1585
    Abandona a universidade sem diplomar-se
  • Novembro de 1589 – maio de 1592
    Torna-se professor de matemática na Universidade de Pisa; passa a criticar as ideias de Aristóteles sobre o movimento
  • Dezembro de 1592 – agosto de 1610
    Torna-se professor de matemática na Universidade de Pádua (República de Veneza); nascem seus três filhos, ilegítimos
  • 1596-99
    Adapta e aperfeiçoa o compasso para cálculos de artilharia
  • Novembro de 1602
    Carta a Guidobaldo sobre os pêndulos longos
  • Outubro de 1604
    Formula a lei do pêndulo e a lei dos tempos ao quadrado na queda
  • 1605-08
    Culmina seu trabalho com as deduções da proporcionalidade entre a velocidade da queda e o tempo e da trajetória parabólica dos projéteis
  • Agosto de 1609
    Cria o primeiro telescópio com capacidade de aumento de nove vezes
  • Dezembro de 1609
    Descobre que a superfície lunar é acidental e montanhosa
  • Janeiro de 1610
    Descobre as luas de Júpiter
  • Março de 1610
    Mensageiro das estrelas é publicado em Veneza
  • Setembro de 1610
    Musa-se para Florença a serviço do grão-duque da Toscana
  • Abril de 1611
    É admitido na Academia dos Linces em Roma
  • Junho de 1612
    Corpos na água é publicado em Florença
  • Maio de 1613
    Cartas sobre as manchas solares é publicado em Florença
  • Fevereiro de 1616
    A Inquisição Romana adverte Galileu para que abandone as ideias de Copérnico
  • Outubro de 1623
    O Aferidor é publicado em Roma
  • Abril – junho de 1624
    Galileu visita em Roma um velho amigo, agora Papa Urbano VIII; logo começa a escrever Diálogo sobre os dois grandes sistemas
  • 21 de fevereiro de 1632
    Diálogo sobre os dois grandes sistemas é publicado em Florença
  • 22 de junho de 1633
    É condenado pela Inquisição por suspeita de heresia
  • Dezembro de 1633
    Regressa à sua casa em Acertri
  • Junho de 1638
    Duas novas ciências é publicado em Leyden, Holanda
  • 8 de janeiro de 1642
    Galileu morre, em Acertri

 

JSTOR oferece conteúdo de Ciências Sociais e outras áreas do conhecimento

Em pleno século 21, é muito raro encontrar pessoas que não tenham se rendido à utilização das redes sociais. Quais são os pontos positivos e negativos dessa recente infraestrutura de comunicação? De que forma está ocorrendo a transformação social com uso desses recursos? É possíveis resistir aos impactos provocados pela revolução tecnológica? Essas e outras questões são frequentemente levantadas por estudiosos de Ciências Sociais e áreas correlatas no Brasil e no mundo inteiro.

Pela plataforma Journal Storage (JSTOR), usuários da comunidade acadêmica brasileira que se interessam pelo tema têm acesso ao livro “Mídias sociais no Brasil emergente”, de Juliano Spyer. A obra faz parte da série “Why we post” (“Por que postamos”, em português), organizada pela University College London (UCL). A série contém 11 títulos com estudos que tratam de locais de pesquisa específicos no Brasil, Chile, China, Inglaterra, Índia, Itália, Trinidad e Turquia.

jstorO JSTOR é uma biblioteca digital multidisciplinar de revistas acadêmicas, livros e fontes primárias. Seu conteúdo comporta diversos outros materiais em português, tal como o livro supracitado. Apesar disso, a maior parte do acervo se concentra na língua inglesa, incluindo também outros idiomas, como francês, espanhol, alemão e italiano.

A coleção Art & Sciences 1 é primeira produzida pelo JSTOR, em 1997. Inclui uma seleção de títulos com 15 disciplinas, incluindo as mais importantes publicações voltadas para as áreas de economia, história, ciências políticas e sociologia, além de títulos em ecologia, matemática e estatística. Enquanto isso, a coleção Art & Sciences 3 tem foco em artes e humanas, abrangendo mais de 220 periódicos direcionados para música, vídeo, arte, folclore, história, religião e arquitetura.

A base Mathematics & Statistics reúne 93 periódicos revisados por pares em texto completo, nas áreas de matemática e estatística, com disponibilidade que varia de 1665 até 2011. A seleção contempla autores notáveis e com grande participação na literatura, como Einstein e Newton, assim como matemáticos contemporâneos, como Pierre-Louis Lions, Benoît Mandelbrot e Alain Connes.

Os conteúdos da plataforma JSTOR podem ser acessados fora da Universidade através do Proxy.

Texto adaptado: Portal de Periódicos da CAPES

Saiba mais sobre a trajetória do fotógrafo Sebastião Salgado

Foto-Sebastião-Salgado“Você não fotografa com a sua máquina, você fotografa com toda a sua cultura.” – Sebastião Salgado

No dia 8 de fevereiro de 1944 nascia em Aimorés (MG), o fotógrafo Sebastião Ribeiro Salgado. É um dos mais respeitados fotojornalistas da atualidade, reconhecido mundialmente por seu estilo único em retratar, em especial, a condição humana em diferentes partes do planeta.

Descobriu sua paixão pela fotografia quando fazia uma viagem de trabalho à África. Começou usando a câmera fotográfica de sua mulher, Lélia Wanick Salgado, arquiteta, urbanista e também dedicada ao trabalho de fotografia, direção de arte e curadoria de projetos do marido.

Ao longo dos anos, Sebastião Salgado tem contribuído com várias organizações humanitárias. Recebeu diversos prêmios e honrarias, sendo representante especial da Unicef e membro honorário da Academia das Artes e Ciências dos Estados Unidos e da Academia de Belas Artes da França. Salgado já viajou por mais de 100 países para projetos fotográficos que, além de inúmeras publicações na imprensa, foram apresentados em forma de livros.

Para conhecer mais sobre o trabalho e a vida de Sebastião Salgado, confira os livros do fotógrafo que fazem parte do nosso acervo:

  • Da minha terra à terra – Sebastião Salgado e Isabelle Francq
    Número de chamada: 77SALGADO S164d 2014
  • Fotografias – Sebastião Salgado e FUNARTE
    Número de chamada: 77SALGADO S164f 1982
  • Gênesis
    Número de chamada: 77SALGADO S164g 2013
  • O fim da pólio: a campanha mundial para a erradicação da doença
    Número de chamada: 616.832.21-002 F489 2003
  • Outras Américas
    Número de chamada: 77SALGADO S164o 1999
  • Quem está escrevendo o futuro? 25 textos para o século XXI – Washington Araújo e Sebastião Salgado
    Número de chamada: 316 Q3 2000
  • Trabalhadores: uma arqueologia da era industrial
    Número de chamada: 77SALGADO S164t 1996

Fonte: Seu History

 

Saiba mais sobre a biblioteca do Campus Vale do Caí

A biblioteca do Campus Universitário Vale do Caí (CVALE), localizada em São Sebastião do Caí, disponibiliza à comunidade acadêmica ambientes para estudo e pesquisa.

O acervo conta com mais de 21 mil exemplares, distribuídos entre livros acadêmicos, literatura em geral, periódicos e materiais multimídia, contemplando os principais cursos oferecidos no Campus: Administração, Ciências Contábeis e Direito. O espaço da biblioteca oferece aos usuários mesas para estudo e computadores com acesso à internet e ao catálogo online. Também há salas de estudo em grupo, armários guarda-volumes e expositores de jornais e revistas atualizados.

A biblioteca é climatizada e está à disposição dos alunos de segunda a sexta-feira, das 13h30min às 22h30min.

CVALE-Fotos

 

Dedicatória: de Mário Quintana para Gerd Bornheim

A coleção doada por Gerda Bornheim através de seu testamento para a Biblioteca Central da Universidade de Caxias do Sul conta com mais de 4 mil títulos e é composta por obras antigas, algumas datadas no início do século passado, além de textos em outras línguas como alemão, italiano, espanhol e francês. Dentro dos livros é possível encontrar cartões-postais, cartas e dedicatórias trocadas na época, além de linhas sublinhadas e anotações dos leitores.

Dentre os livros, destaca-se a “Nova Antologia Poética”, de Mário Quintana, com a dedicatória do autor: “Para Gerd, uma lembrança de seu amigo Mario Quintana. Rio, 12.4.82”.

Livro-Mario-Quintana

Gerd Bornheim, irmão de Gerda, foi um reconhecido filósofo brasileiro. Realizou importantes trabalhos sobre teatro e reflexão estética, que são referência fundamental para a apreensão e compreensão de diversos aspectos da área teatral, entre eles, o sentido do trágico, a estética brechtiana e o teatro contemporâneo. Como escritor, destacou-se pela densidade e clareza de sua análise crítica e, como conferencista, atraiu plateias numerosas por sua competência filosófica e capacidade de comunicação.

Fonte: Itaú Cultural

 

Você conhece a biblioteca do Campus de Nova Prata?

Localizada no Campus Universitário de Nova Prata, a biblioteca oferece ambientes para estudo e pesquisa e disponibiliza um amplo acervo para toda a comunidade.

Fotos-CPRA

A biblioteca conta com mesas de estudo, espaço para leitura com jornais e periódicos e computadores com acesso à internet e ao catálogo online. O ambiente conta ainda com uma sala de estudo próxima à biblioteca. O acervo possui mais de 21 mil exemplares e abrange as áreas dos principais cursos oferecidos pela Universidade em Nova Prata: Administração, Agronomia, Ciências Contábeis e Direito.

O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 13h30min às 22h30min.

 

 

Universidade portuguesa disponibiliza acervo online com 2500 livros sobre África e Oriente

Memória-d_África-e-d_OrienteA Universidade de Aveiro, por meio de sua biblioteca digital, oferece um acervo de mais de 2.500 livros de países e localidades lusófanos da África, América e do Oriente.

É possível encontrar obras sobre a história de Angola, Brasil, Cabo Verde, Goa, Guiné, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor. Os livros remetem ao período em que estes locais foram colônias portuguesas.

O acervo faz parte do projeto “Memória d’África e d’Oriente”. Executado pela Fundação Portugal-África, pela Universidade de Aveiro e pelo Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento (CESA) de Lisboa, o projeto conta com a participação de instituições de Cabo Verde, Goa, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe.

Além disso, graças a uma nova parceria com a Biblioteca Nacional portuguesa, mais 67 mil registros foram disponibilizados e deverão ser adicionados ao acervo em breve.

Fonte: Hypeness

Conheça a biblioteca de Guaporé

O Campus Universitário de Guaporé ganhou, em 2016, um novo espaço no centro da cidade. A nova localização do Campus aproximou a biblioteca da comunidade acadêmica, facilitando o acesso ao acervo e aos ambientes de estudo e pesquisa.

O acervo da biblioteca inclui livros, revistas e periódicos nacionais e internacionais e materiais multimídia. O acervo possui mais de 32 mil exemplares e abrange as áreas dos principais cursos oferecidos pela Universidade em Guaporé: Administração, Ciências Contábeis e Direito. O ambiente conta ainda com mesas para estudo e computadores com acesso ao catálogo online.

O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 13h30min às 16h30min e das 17h30min às 22h30min.

Biblioteca-Guaporé

Conheça a Biblioteca de Farroupilha

Localizada no Campus Universitário de Farroupilha, a biblioteca oferece ambientes para estudo e pesquisa e disponibiliza um amplo acervo para toda a comunidade.

Fotos-CFAR

Em 2013, a biblioteca teve seu espaço físico ampliado, recebeu móveis novos e aumentou a quantidade de exemplares, melhorando a distribuição do acervo e gerando mais conforto aos usuários.

A biblioteca conta com salas de estudo em grupo, mesas de estudo individual, espaço para leitura com jornais e periódicos e computadores com acesso à internet e ao catálogo online. O acervo possui mais de 34 mil exemplares e abrange as áreas dos principais cursos oferecidos pela Universidade em Farroupilha: Administração, Ciências Contábeis e Direito.

O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 13h30min às 22h30min.

Fonte: UCS Notícias

Biblioteca Central está com decoração especial do Dia das Bruxas

A Biblioteca Central preparou uma decoração especial para o Dia das Bruxas, com enfeites de abóboras, teias de aranha, fantasmas, morcegos e outros adereços “assustadores”. A data é  celebrada principalmente nos Estados Unidos, onde é chamada de Halloween. Mas hoje em dia ela é festejada em diversos outros países do mundo, inclusive o Brasil.

Fotos

Quando surgiu o Dia das Bruxas?

O Dia das Bruxas que conhecemos hoje tomou forma entre 1500 e 1800. Fogueiras tornaram-se especialmente populares a partir do Dia das Bruxas. Elas eram usadas na queima do joio (que celebrava o fim da colheita no Samhain), como símbolo do rumo a ser seguido pelas almas cristãs no purgatório ou para repelir bruxaria e a peste negra.

Outro costume do Dia das Bruxas era o de prever o futuro – previa-se a data da morte de uma pessoa ou o nome do futuro marido ou mulher. Em seu poema Halloween, escrito em 1786, o escocês Robert Burns descreve formas com as quais uma pessoa jovem podia descobrir quem seria seu grande amor.

No Brasil, desde 2003, também se celebra neste mesma data o Dia do Saci, fruto de um projeto de lei que busca resgatar figuras do folclore brasileiro, em contraposição ao Dia das Bruxas.

Fonte: BBC

Saiba mais sobre a Biblioteca do Campus de Vacaria

A biblioteca setorial de Vacaria é a terceira maior biblioteca do Sistema de Bibliotecas da UCS.

O Campus Universitário de Vacaria (CAMVA) possui dois Campus. A biblioteca setorial situa-se no Campus 2, onde são ministradas as aulas dos cursos de graduação, especialização, educação a distância e extensão. Os principais cursos oferecidos pela Universidade em Vacaria são Direito, Administração, Agronomia e Ciências Contábeis.

Biblioteca-Camva

A biblioteca de CAMVA possui um amplo acervo com mais de 80 mil exemplares, ambientes agradáveis para estudo e espaços para leitura com sofás. A biblioteca conta ainda com salas para estudo em grupo, mesas para estudo individual e computadores com acesso à internet e ao catálogo online.

O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 13h15min às 22h30min.

Plataforma gratuita reúne ensaios literários de intelectuais

Artepensamento

site Artepensamento (no ar desde 22/9), feito com o apoio do Instituto Moreira Salles, reúne ensaios e entrevistas desenvolvidos para os ciclos comandados por Adauto Novaes desde 1986, que debateram temas como a ética, o desejo, o olhar, a crise do Estado-Nação, entre muitos outros.

A plataforma digital deverá ter, quando finalizada, cerca de 800 ensaios filosóficos e políticos. Nesta primeira fase, apresenta 318 ensaios e a versão integral dos filmes produzidos para as séries de tevê Ética e O silêncio dos intelectuais.

Fonte: IMS

Você conhece a segunda maior biblioteca da UCS?

A biblioteca do Campus Universitário da Região dos Vinhedos é a segunda maior biblioteca da UCS e atende os cursos de graduação e especialização oferecidos pela Universidade em Bento Gonçalves.

Biblioteca-Carvi

Inicialmente localizada no bloco da administração do Campus, a biblioteca recebeu um prédio próprio em 2003. Os três pavimentos acomodam amplos espaços para leitura e pesquisa e um crescente acervo para toda a comunidade acadêmica. O prédio conta ainda com uma completa infraestrutura de serviços: salas para estudo em grupo, miniauditório, mesas para estudo individual, sala para pessoas com deficiência visual, elevadores para acessibilidade e computadores com acesso à internet e ao catálogo online.

O acervo da biblioteca inclui livros, revistas e periódicos nacionais e internacionais, materiais multimídia, mapoteca e uma coleção antiga de Diários Oficiais da União e do Estado do Rio Grande do Sul (os Diários também estão disponíveis no Portal Imprensa Nacional e no Diário Oficial RS).

A fim de incentivar e envolver os estudantes, a biblioteca desenvolve vários projetos, proporcionando bate-papos com autores da região, apresentações musicais e ambientes confortáveis que acomodam móveis decorados por alunos do curso de Design.

O horário de atendimento da biblioteca é de segunda a sexta-feira, das 7h45min às 11h25min e das 13h25min às 22h25min, e aos sábados, das 7h45min às 11h25min.

Conheça a biblioteca do Campus 8 – Cidade das Artes

Nesta semana iremos apresentar a biblioteca setorial do Campus 8, localizada no Centro de Artes e Arquitetura da UCS, na cidade de Caxias do Sul.

O Campus, conhecido também como Cidade das Artes, se destaca nas propostas artísticas e na participação da comunidade acadêmica em eventos e projetos. E a biblioteca não fica de fora, incentivando o envolvimento de estudantes em várias atividades, como a criação de pinturas murais e apresentações musicais.

O prédio da biblioteca possui características modernas, com áreas envidraçadas que permitem a integração do interior e exterior, valorizando a natureza do local. A biblioteca possui ainda exposição de xilogravuras, salas de estudo, mesas individuais e cadeiras decoradas por alunos.

O acervo da biblioteca abrange materiais dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Visuais, Design, Design de Interiores, Moda, Música e também de outras áreas. O acervo inclui livros, revistas e periódicos nacionais e internacionais, vídeos de desfiles, coleção de filmes clássicos, partituras, entre outros.

Vale destacar o programa Arte na Escola, desenvolvido pelo Departamento de Artes em parceria com o Instituto Arte na Escola – Fundação Iochpe e que tem como finalidade contribuir na qualificação de processos educacionais em Arte. Os materiais do programa também fazem parte do acervo da biblioteca.

E para quem quer ficar por dentro das tendências, um dos mais importantes portais sobre o assunto faz parte das bases de dados das Bibliotecas UCS. A WGSN Lifestyle & Interiors é uma ferramenta global de previsão de tendências, design e desenvolvimento de produtos online, que se concentra nas necessidades das indústrias de interiores e residências.

A biblioteca está aberta de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 22h20min.

Você já imaginou como é o setor de Coleções Especiais e Obras Raras? Assista o vídeo

Localizado na Biblioteca Central, o setor de Coleções Especiais e Obras Raras é resultado de doações e compras e inclui obras das mais diversas áreas do conhecimento. O acervo conta com exemplares únicos, livros raros e manuscritos.

E você já imaginou como é esse setor? Para acabar com a curiosidade, preparamos um vídeo contando um pouco mais sobre ele. Se você quiser conhecer o setor pessoalmente, entre em contato conosco e agende uma visita!

Literatura na Serra Gaúcha: assista a produção da UCS Play

ucsplay 2A regionalidade na literatura pode ser explorada sob diversos pontos de vista. Desde as temáticas das histórias, que se relacionam com a região, até o sistema literário como um todo, que é desenvolvido em determinado local. João Cláudio Arendt, doutor em linguística e professor da UCS, coordena um grupo que pesquisa a literatura na Serra gaúcha. Neste vídeo, ele fala sobre as conquistas de autores da região e fatos que foram marcos importantes para esse sistema literário. Também relata situações contraprodutivas, como a censura a livros promovida pela imprensa nos anos 1940 e 1950.