5 livros para o Dia das Crianças

Feliz-dia-das-criançasHoje é Dia das Crianças e separamos alguns livros que fazem parte do universo infantil:

Histórias de ninar para garotas rebeldes – Elena Favilli e Francesca Cavallo

O livro contém cem histórias que provam a força de um coração confiante: o poder de mudar o mundo. Os retratos das valentes mulheres inspiram uma profunda convicção de que a beleza se manifesta em todas as formas, cores e idades.

Número de chamada: 82-93 F274h

Marcelo, marmelo, martelo e outras histórias – Ruth Rocha

O livro mostra situações reais do cotidiano de um jeito que procura ser simples e de modo colorido. Os personagens dos três contos que compõem este livro são crianças que vivem no espaço urbano. Elas resolvem seus impasses com muita esperteza e vivacidade; Marcelo cria palavras novas, Teresinha e Gabriela descobrem a identidade na diferença e Carlos Alberto compreende a importância da amizade.

Número de chamada: 82-93 R672mc

O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry

O livro é um romance do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, publicado em 1943, nos Estados Unidos. O Pequeno Príncipe, que vivia em um planeta tão pequeno, onde só existia ele, uma rosa e seus vulcões, resolve viajar por outros planetas. Nessa grande aventura, o pequeno príncipe conhece pessoas diferentes e vive momentos nunca antes vividos.

Número de chamada: 82-93 S137p

Caçadores de Trolls – Guillermo del Toro e Daniel Kraus

Um livro sobre os medos e criaturas que se ocultam onde menos se espera. Jim Sturges é o típico adolescente na cidade de San Bernardino: tem um pai superprotetor, um melhor amigo meio desajeitado e uma paixão platônica por uma menina que nem sabe que ele existe. Mas isso tudo muda quando um mistério de décadas ressurge, ameaçando a vida de todos os moradores da entediante cidadezinha. Junto com um grupo de heróis improváveis, Jim terá que enfrentar monstros e criaturas fantásticas.

Número de chamada: 821.111(73)-312.9 T686c

Diário de um banana – Jeff Kinney

A série de livros apresenta um herói improvável e suas aventuras no universo infantil.  Mergulhado no ensino fundamental, onde fracotes subdesenvolvidos dividem os corredores com garotos que são mais altos, mais malvados e já se barbeiam, Greg Heffley sabe melhor do que ninguém que não é fácil ser criança!

Número de chamada:82-93 K55db

Fontes: Cultura Alternativa e Saraiva

Quem é Malala Yousafzai? A prêmio Nobel em suas próprias palavras

MalalaMais jovem vencedora do Prêmio Nobel da Paz, símbolo da luta pelo direito à educação das meninas, sobrevivente da violência extremista do Talibã, feminista. São muitos os apostos que podem definir Malala Yousafzai, que saltou aos olhos do mundo após ser baleada quando voltava para casa em um ônibus escolar, desafiando os talibãs locais que impedem as jovens de frequentar a escola.

Para entender os caminhos que levaram Malala a obter tamanho destaque global, selecionamos trechos extraídos do livro “Eu sou Malala: a história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã” que costuram episódios, reflexões e opiniões da menina paquistanesa, em sua própria voz. Confira também outras biografias nas Bibliotecas UCS e participe do Desafio Literário deste mês!

Sobre seu nascimento
“No dia em que nasci, as pessoas da nossa aldeia tiveram pena da minha mãe, e ninguém deu parabéns a meu pai. Vim ao mundo durante a madrugada, quando a última estrela se apaga. Nós, pachtuns, consideramos esse um sinal auspicioso. Meu pai não tinha dinheiro para o hospital ou para uma parteira; então uma vizinha ajudou minha mãe. O primeiro bebê dos meus pais foi natimorto, mas eu vim ao mundo chorando e dando pontapés. Nasci menina num lugar onde rifles são disparados em comemoração a um filho, ao passo que as filhas são escondidas atrás de cortinas, sendo seu papel na vida apenas fazer comida e procriar.”

Sobre sua luta
“Quando cruzamos o desfiladeiro Malakand, vi uma mocinha vendendo laranjas. Para cada laranja que vendia, ela fazia uma marquinha com lápis num pedaço de papel, pois não sabia ler nem escrever. Tirei uma foto e jurei que faria tudo o que estivesse a meu alcance para ajudar a educar garotas como ela. Era essa a guerra que eu ia travar.”

Sobre o medo
“Não falei nada para meus pais, mas, toda vez que saía, tinha medo de que talibãs armados me saltassem à frente ou que jogassem ácido no meu rosto, como tinham feito com diversas mulheres no Afeganistão. Sentia medo principalmente dos degraus que levavam até nossa rua, onde os meninos costumavam ficar. Às vezes, pensava ouvir passos atrás de mim ou imaginava figuras se esgueirando nas sombras.”

O atentado
“Algumas pessoas escolhem bons caminhos e algumas escolhem caminhos ruins. A bala atirada por um homem me atingiu, fez meu cérebro inchar, roubou a minha audição e cortou o nervo do lado esquerdo de meu rosto em menos de um segundo. E depois desse segundo milhões de pessoas rezaram por mim, por minha vida, e médicos talentosos me deram meu próprio corpo de volta. Eu era uma boa menina. Meu coração tinha apenas o desejo de ajudar as pessoas. Não fiz nada com o objetivo de receber prêmios ou dinheiro. Sempre rezei a Deus: ‘Quero ajudar as pessoas. Por favor, me ajude a fazer isso’.”

A Malala de hoje
“Meu mundo mudou muito. Nas prateleiras da nossa sala há prêmios do mundo inteiro – Estados Unidos, Índia, França, Espanha, Itália, Áustria, e muitos outros lugares. Fui até indicada para o prêmio Nobel da Paz, a pessoa mais jovem de todos os tempos. Quando ganhava prêmios pelo meu trabalho na escola, eu ficava feliz, pois trabalhava duro para merecê-los. Mas esses outros prêmios são diferentes. Sou grata por eles, mas só me lembram quanto ainda falta fazer para atingir a meta de educação para todo menino e toda menina. Não quero ser lembrada como a “menina que foi baleada pelo Talibã” mas como “a menina que lutou pela educação”. Esta é a causa para a qual estou dedicando minha vida.”

Texto: Thais Paiva – Educação Integral

No mês de outubro, te desafiamos a ler uma biografia!

Desafio-outubro-faceParticipe do Desafio Literário das Bibliotecas UCS! Todo mês há uma nova proposta para você descobrir novas leituras. Neste mês, o desafio é ler uma biografia.

Se você está procurando sugestões, separamos alguns livros que fazem parte do nosso acervo:

  • Leonardo da Vinci – Walter Isaacson

Número de chamada: 75LEONARDO L581L 2017

  • Frida: a biografia – Hayden Herrera

Número de chamada:  929KAHLO K12 2011

  • Vale tudo: o som e a fúria de Tim Maia – Nelson Motta

Número de chamada: 78MAIA M921v 2007

  • Pablo Escobar: meu pai – Sebastián Marroquín

Número de chamada:  929ESCOBAR E74p 2016

  • Stephen Hawking – Michael White; John Gribbin

Número de chamada:  929HAWKING W586s 2015

  • Só por hoje e para sempre: diário do recomeço – Renato Russo; Leonardo Lichote (Org.)

Número de chamada: 821.134.3(81)-94 R969s 2015

  • #Girlboss: a inspiradora história da executiva de 100 milhões de dólares, CEO do site Nasty Gal – Sophia Amoruso

Número de chamada:  929AMORUSO A524h 2015

  • Guardiola confidencial: um ano dentro do Bayern de Munique acompanhando de perto o técnico que mudou o futebol para sempre – Martí Perarnau

Número de chamada:  929GUARDIOLA P426g 2015

  • A caçada ao lobo de Wall Street – Jordan Belfort

Número de chamada:  821.111(73)-94 B428c 2014

  • Steve Jobs: a biografia – Walter Isaacson

Número de chamada:  929JOBS J62s 2011

  • Uma vida sem limites: inspiração para uma vida absurdamente boa –  Nick Vujicic

Número de chamada:  929VUJICIC V987v 2011

  • Rita Lee: uma autobiografia – Rita Lee

Número de chamada:  929LEE L479r 2016

  • Eu sou Malala: a história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo talibã – Malala Yousafzai; Christina Lamb

Número de chamada:  929YOUSAFZAI Y82e 2013

Você encontra mais sugestões nas Bibliotecas UCS. Compartilhe a sua experiência nas redes sociais através da hashtag #desafiobiblioucs

6 autores gaúchos para conhecer

LivrosChegamos ao final de setembro e para não perder o ritmo do Desafio Literário, preparamos uma lista com 6 autores gaúchos para você conhecer:

Antonio Xerxenesky é um porto-alegrense nascido no fim de 1984.  Escritor e tradutor, é autor, dentre outros, de F (2014, finalista do Prêmio São Paulo de Literatura e primeira seleção do Prix Médicis Étranger). Sua obra foi traduzida para o francês e o espanhol. Xerxenesky foi escritor residente do International Writing Program, na Universidade de Iowa (Estados Unidos), em 2015, e da Fondation Jan Michalski, em Montricher (Suíça), em 2017. Areia nos dentes é o seu primeiro romance.

Dica: Areia nos dentes – número de chamada: 821.134.3(816.5)-31 X6a 2008

Carol Bensimon nasceu em Porto Alegre, em 1982. Publicou contos no jornal Zero Hora e em revistas como Ficções e Bravo!. Estreou com as narrativas de Pó de parede (2008). Sinuca embaixo d’água ganhou a Bolsa Funarte de Estímulo à Criação Literária. Defendeu mestrado em Teoria da Literatura e fez doutorado na Sorbonne Nouvelle em Paris. É uma das integrantes da edição Os melhores jovens escritores brasileiros, da revista inglesa Granta.

Dica: Sinuca embaixo d’água – número de chamada: 821.134.3(816.5)-31 B474sa 2009

Michel Laub nasceu em Porto Alegre, em 1975.  Escritor e jornalista, publicou seis romances. Recebeu os prêmios JQ-Wingate (Inglaterra), Transfuge (França) e Jabuti (segundo lugar), entre outros, e foi finalista de prêmios como o International Dublin Literary Award, o Correntes d’Escritas (Portugal) e o Portugal Telecom (três vezes).

Dica: Longe da água – número de chamada: 821.134.3(81)-31 L366L 2004

Natalia Borges Polesso é escritora e doutoranda em Teoria da Literatura na PUCRS. É autora de Recortes para álbum de fotografia sem gente, obra vencedora do prêmio Açorianos 2013 na categoria contos, do livro de poemas Coração à corda, de 2015, e também da tirinha tosca A escritora incompreendida, publicada apenas na internet.

Dica: Amora: contos – número de chamada: 821.134.3(81)-34 P765a 2015

Pedro Guerra é um escritor nascido em Caxias do Sul. Cronista do jornal Pioneiro, ganhou diversos prêmios nas áreas de contos, crônicas e poesias, sendo o mais recente o prêmio Açorianos de Literatura, pelo livro Precisava de Você. Além do lançamento de seus novos livros, trabalha ministrando cursos de escrita, marketing e empreendedorismo, bem como realizando visitas em escolas, onde promove a formação de leitores.

Dica: A rainha está morta – número de chamada: 821.134.3(816.5)-312.4 G934r 2013

Veronica Stigger nasceu em 1973, em Porto Alegre. É escritora, crítica de arte e professora universitária. Seu livro de estreia O trágico e outras comédias é uma reunião de contos. Depois deste, publicou mais nove volumes: sete adultos e dois infantis.

Dica: O trágico e outras comédias – número de chamada: 821.134.3(81)-34 S855t 2.ed.

Fontes: Companhia das Letras, Não Editora, Agência Riff

5 histórias de Stephen King para ler nas Bibliotecas UCS e assistir na Netflix!

STEPHEN-KINGO escritor americano Stephen King, famoso por suas histórias de terror e ficção, está completando 71 anos hoje.  O escritor, que nasceu em Portland em 1947, vendeu mais de 350 milhões de cópias com publicações em mais de 40 países e já teve diversas obras adaptadas para filmes e séries.

Para comemorar junto com Stephen King, separamos cinco histórias para você ler nas Bibliotecas UCS e assistir na Netflix!

Escuridão total sem estrelas

Na ausência da luz, o mundo assume formas sombrias, distorcidas, tenebrosas. Em “Escuridão total sem estrelas”, vários contos envolvem temas nas quais os crimes parecem inevitáveis; as punições, insuportáveis; as cumplicidades, misteriosas. No conto “1922”, que inspirou o filme de mesmo nome, o agricultor Wilfred e o seu filho Hank, precisam decidir do que é mais fácil abrir mão: das terras da família ou da esposa e mãe.

Número de chamada: 821.111(73)-312.4 K54e 2015

Jogo perigoso

Jessie e Gerald estão passando por uma crise na relação. Na tentativa de apimentar o casamento, os dois viajam para uma região isolada no Maine. Mas um jogo na cama acaba se transformando em prelúdio para uma noite de terror. Ela está presa e logo percebe que não há chance de alguém ouvir seus gritos. É então que, impotente e acompanhada apenas do cadáver do marido, Jessie vê todos os seus maiores medos ressurgirem para torturá-la.

Número de chamada: 821.111(73)-312.4 K54ja 2007

Sob a redoma

Em um dia como outro qualquer em Chester’s Mill, no Maine, a pequena cidade é subitamente isolada do resto do mundo por um campo de força invisível. Ninguém consegue entender o que é essa barreira, de onde ela veio e quando – ou se – ela irá desaparecer. O isolamento expõe os medos e as ambições de cada um, até os sentimentos mais reprimidos. Assim, enquanto os habitantes correm contra o pouco tempo que têm para descobrir a origem da redoma e uma forma de desfazê-la, ainda terão de combater a crueldade humana em sua forma mais primitiva. A história foi transformada na série “Under the Dome”.

Número de chamada: 821.111(73)-312.4 K54sb 2012

Celular

Clay Riddell presencia algo inacreditável: as pessoas que o cercam, falando em seus telefones celulares, ficam completamente loucas. Sem qualquer traço de humanidade, matam todos que vêem pela frente, guiados pelo “Pulso”, que através de seus telefones os transformou em zumbis assassinos. Em um cenário apocalíptico, Riddell e alguns poucos outros humanos imunes tentam vencer a multidão de criaturas homicidas, e o protagonista quer ainda encontrar o filho em meio ao caos. O filme “Conexão Mortal” foi inspirado no livro.

Número de chamada: 821.111(73)-312.4 K54c 2007

Christine

Arnie Cunnigham era um fracassado. Isso até Christine entrar em sua vida. Foi amor à primeira vista. Só que Christine é um carro. Um Plymouth Fury 1958. Um feitiço sobre rodas que se apodera de Arnie e o transforma. Há algo poderosamente maligno solto pelas estradas de Libertyville. Uma força sobrenatural que vai deixando um rastro de sangue por onde passa.

Número de chamada: 821.111(73)-312.4 K54c 2011

Fonte: Livraria Cultura

Para entender Caio Fernando Abreu

caioO autor gaúcho Caio Fernando Abreu completaria 70 anos nesta quarta-feira (12) e sua obra reúne um vasto número de contos, romances, novelas e peças. Seus textos versam sobre temas tão diversos como sexo, relações amorosas, política, psicologia, movimentos contraculturais e a própria trivialidade da rotina.

A partir de matérias do GaúchaZH, reunimos indicações de livros sobre o autor e que estão disponíveis no nosso acervo. Aproveite e participe do Desafio Literário de setembro!

Indicações de livros sobre o autor:

  • Para sempre teu, Caio F.: cartas, conversas, memórias de Caio Fernando Abreu – Paula Dip. Número de chamada: 821.134.3(81)-94 D596p
  • Caio Fernando Abreu: inventário de um escritor irremediável –  Jeanne Callegari. Número de chamada:929ABREU A162c
  • Caio Fernando Abreu: cartas – Italo Moriconi. Número de chamada: 821.134.3(81)-6 C135
  • Jogo do imaginário em Caio F. – Eulália Isabel Coelho. Número de chamada: 821.134.3(81).09 C672j

Indicações de livros do autor:

  • Morangos Mofados – Número de chamada: 821.134.3(816.5)-34 A162m

“O mais conhecido livro de Caio Fernando Abreu é um clássico da literatura brasileira contemporânea. Um dos motivos do livro ter sido tão lido quando lançado, em 1982, foi ter contado aos leitores, durante um período em que nosso país não havia retomado a democracia, o que sentiam e faziam os gays, loucos e toda a juventude diante do imenso preconceito da sociedade e da repressão dos seus ideais. A solidão, dor, marginalização e demais sentimentos de estranhamento são abordados em contos curtos e cheios de significados nas entrelinhas”. Indicação de Vanessa Souza – Mestra em psicanálise e literatura

  • As Frangas (infantil) – Número de chamada: 82-93 A162f

“As Frangas conta a história das frangas do quintal da casa, partindo da história infantil A Vida Íntima de Laura, de Clarice Lispector. O pequeno leitor conhece Caio e já fica curioso para conhecer Clarice. Belo começo!!!” Indicação de Márcia Ivana de Lima e Silva – Professora do Instituto de Letras da UFRGS

  • O Ovo Apunhalado – Número de chamada:821.134.3(816.5)-34 A162o

“No livro O Ovo Apunhalado seu estilo elaborado e criativo se consolida, com domínio da linguagem e trabalho minimalista da palavra, equilibrando técnica, sensibilidade e emoção. A crítica social, que aparece fortemente em Inventário do Irremediável (1970), se intensifica, assim como a utilização de imagens surreais e do gênero fantástico. Embora este fosse um procedimento frequente nas literaturas da América do Sul e Central, onde até ganhou a denominação particular de “realismo mágico”, como uma forma transversa de representar as ditaduras e o autoritarismo, o escritor vai além da alegoria e explora o recurso com inventividade, não se limita à matéria específica da época. Acrescenta também novos elementos como a ecologia, o misticismo e referências simbólicas e esotéricas de diferentes tradições, Astrologia, contatos com extraterrestres, entidades e viagens astrais, a psicodelia hippie, o uso de drogas e a cultura pop. O Autor experimenta, inventa, ousa, expõe a carne viva com arte. Como poucos fizeram”. Indicação de Amanda Costa – Autora de 360 Graus – Inventário Astrológico de Caio Fernando Abreu

Fontes: Para entender Caio Fernando Abreu: confira livros, filmes e peças sobre o poeta gaúcho  e Confira dicas de leitura de Caio Fernando Abreu

Os 5 melhores poemas de Mario Quintana

mario-quintana-foto-liane-neves-2Poeta, tradutor e jornalista, Mario Quintana estreou na literatura em 1940 com o livro “A Rua dos Cataventos”. O poeta também deixou um amplo trabalho de tradução, com destaque para as obras “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, e “Mrs. Dalloway”, de Virginia Woolf. Em 1980 recebeu o prêmio Machado de Assis, pelo conjunto da obra.

O site Revista Bula pediu aos seus leitores e colaboradores que apontassem os poemas mais significativos de Mario Quintana e, para esta publicação, selecionamos cinco poemas (para ver a lista completa, acesse o site). Para conhecer as obras completas do autor, visite as Bibliotecas UCS!

Do amoroso esquecimento
Eu agora — que desfecho!
Já nem penso mais em ti…
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?

Emergência
Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela
abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo —
para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.

Poeminho do Contra
Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão…
Eu passarinho!

Os Poemas
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.

Quando fechas o livro, eles alçam voo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem. E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti…

Esperança
Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E — ó delicioso voo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…

Texto adaptado de Carlos Willian Leite, Revista Bula

No mês de setembro…um livro de um autor gaúcho!

desafio-julho-face

O mês de setembro é marcado pela Semana Farroupilha – um momento especial para a cultura gaúcha. E para não perder o ritmo da milonga e da leitura, que tal ler um livro de um autor gaúcho?

Se você está procurando sugestões, separamos alguns livros que fazem parte do nosso acervo:

  • O tempo e o vento – Érico Veríssimo

Número de chamada:  821.134.3(816.5)-311.6 V517ta 

  • O centauro no jardim – Moacyr Scliar

Número de chamada:  821.134.3(816.5)-31 S419c

  • Amora: contos – Natalia Borges Polesso

Número de chamada:  821.134.3(81)-34 P765a

  • Quem diria que viver ia dar nisso – Martha Medeiros

Número de chamada:  821.134.3(816.5)-94 M488q

  • Cuide dos pais antes que seja tarde – Carpinejar

Número de chamada:  821.134.3(816.5)-94 C298c

  • Seis segundos de atenção – Humberto Gessinger

Número de chamada:  821.134.3(816.5)-94 G392s

  • Os últimos quartetos de Beethoven e outros contos – Luís Fernando Veríssimo

Número de chamada:  821.134.3(816.5)-34 V516u

  • A casa das sete mulheres – Leticia Wierzchowski

Número de chamada:  821.134.3(816.5)-31 W648ca 

  • O papai é pop – Marcos Piangers

Número de chamada: 821.134.3(816.5)-94 P581p 

  • Canções; seguido de Sapato florido ; e A rua dos ventos – Mário Quintana

Número de chamada:  821.134.3(816.5)-1 Q7ca

  • Triângulo das águas – Caio Fernando Abreu

Número de chamada: 821.134.3(816.5)-34 A162t

  • O quatrilho – José Clemente Pozenato

Número de chamada: 821.134.3(816.5)-31 P893q

  • O tigre na sombra: romance – Lya Luft

Número de chamada:  821.134.3(816.5)-31 L949t

Você encontra mais sugestões nas Bibliotecas UCS. Compartilhe a sua experiência nas redes sociais através da hashtag #desafiobiblioucs

Ao amor, em todas as suas formas

a-forma-da-aguaNo último dia de agosto, a nossa sugestão para o Desafio Literário é A Forma da Água. A história de Guilherme del Toro deu origem ao filme vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza e do Oscar 2018. O livro já está disponível nas Bibliotecas UCS e, se você ficou curioso, confira um trecho da história da protagonista Elisa:

“O despertador sacode a mesa de cabeceira. Sem abrir os olhos, Elisa leva a mão ao botão gélido para desligar o aparelho. Estava em um sono profundo, suave e cálido, e o quer de volta, mais um minuto irresistível. Porém, o sonho foge conforme ela acorda; isso  sempre acontece. Havia água, água escura — disso se lembra. Toneladas do líquido pesando sobre Elisa, mas ela não se afogava. Na verdade, respirava melhor ali do que na vida desperta, em quartos frios, com comida barata e estalidos de eletricidade.

Tubas ressoam e uma mulher grita. Elisa suspira, o rosto ainda enfiado no travesseiro. É sexta-feira, e um filme novo estreou no extraordinário cinema Arcade Marquee, o cinema vinte e quatro horas no andar de baixo, e isso significa diálogos, efeitos sonoros e músicas incidentais que ela precisará integrar a sua rotina se quiser evitar os inúmeros sustos que fazem seu coração ir parar na garganta. No momento, são trompetes; então, homens gritando. Elisa abre os olhos, primeiro para as 22h30 do relógio, depois para os feixes de luz que saem do projetor e passam pelas tábuas de madeira do chão, emprestando tonalidades em tecnicolor às partículas de poeira.

Ela se senta e arqueia os ombros no quarto frio. Por que o ar cheira a cacau? Ao aroma estranho junta-se um ruído desagradável: um caminhão dos bombeiros a nordeste de Patterson Park. Elisa encosta os pés no chão gelado e observa a luz do projetor se agitando e tremeluzindo. Esse filme novo, pelo menos, é mais claro que o último, um em preto e branco chamado O Parque Macabro, e as cores brilhantes que atravessam seus pés permitem que ela retorne a um faz de conta onírico: ela tem dinheiro, muito dinheiro, e vendedores submissos estão calçando seus pés com uma variedade de sapatos coloridos. A senhorita está deslumbrante. Com um par de sapatos desses, vai dominar o mundo.

Em vez disso, o mundo a dominou. Não importa quantas quinquilharias compre por centavos em vendas de garagem e pendure nas paredes, nada consegue esconder a madeira carcomida por cupins ou desviar sua atenção dos insetos que desaparecem no segundo em que Elisa acende a luz. Ela decide ignorar; é sua única esperança  e sobreviver à noite, ao dia seguinte, à sua vida. Vai até a cozinha da quitinete, liga o cronômetro, joga três ovos em uma panela com água e segue para o banheiro.”

Quem veio primeiro, o livro ou o filme? 2001: Uma Odisseia no Espaço

20012001: Uma Odisseia no Espaço conquistou o cinema e a literatura. Stanley Kubrick e Arthur C. Clarke desenvolveram simultaneamente a história desse clássico. Enquanto Kubrick trabalhava em cima do roteiro, Clarke escrevia o livro, com ambos trocando idéias e opiniões durante o trabalho. Era inclusive intenção de Clarke, ao lançar o livro, colocar Kubrick como co-autor da história, mas o diretor não autorizou a utilização de seu nome.

2001: Uma Odisseia no Espaço é a nossa dica para o #desafiobiblioucs deste mês! O livro e o filme estão disponíveis nas Bibliotecas UCS!

Quer saber algumas curiosidades?

Na primeira sessão do filme, mais de 240 pessoas se levantaram e saíram do cinema, incluindo o astro Rock Hudson que reclamou de não entender a produção. Arthur C. Clarke respondeu com: “Se você entende ‘2001’, então nós falhamos completamente”.

O nome do computador HAL é uma referência indireta a IBM, gigante do ramo de computação. Cada uma das letras da sigla HAL é exatamente uma anterior, em relação ao alfabeto, às letras de IBM.

A banda Pink Floyd quase ficou a cargo da trilha sonora do filme, desistindo por conta de outros compromissos.

As teorias conspiratórias que dizem que os astronautas Neil Armstrong e Buzz Aldrin, da Apollo 11, jamais pisaram na Lua ganharam seu primeiro grande fôlego com 2001. O primeiro pouso lunar ocorreu em 1969 e, logo, os conspiratórios começaram a dizer que as famosas imagens dos astronautas na Lua não passavam de montagens feitas por Kubrick usando sobras de cenas de 2001.

Fonte: Itaú Cinemas

 

#desafiobiblioucs: o livro que originou o filme A Rede Social

Bookface-instaConfira a dica de leitura para o Desafio Literário deste mês:

“Para uns, Bilionários por acaso é a empolgante história de um nerd e de um mauricinho que procuravam impressionar as meninas da universidade – e que resultou na criação do Facebook. Para outros, é uma fábula sobre a vontade de vencer a inocência perdida. Foi parar nos cinemas, com o filme A Rede Social, e prossegue nos tribunais da justiça dos Estados Unidos.

Protagonizada pelo brasileiro Eduardo Saverin e pelo americano Mark Zuckerberg, amigos que sobreviviam naquele ambiente repleto de alunos brilhantes de famílias supertradicionais, mostra a trajetória da rede social criada em um alojamento estudantil que se tornou uma das mais poderosas empresas do mundo.”

 

 

 

 

 

Está procurando novas leituras? Confira a lista dos livros recém-chegados ao nosso acervo

WP_20180813_09_48_40_Pro

  • A guerra dos tronos, George Raymond Richard Martin
  • A mulher na janela, A. J. Finn
  • Amor, otário amor: histórias da vida a 2.0, Léo Luz
  • Amor para corajosos, Luiz Felipe Pondé
  • Antes da tempestade, Dinah Jefferies
  • Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos, Nassim Nicholas Taleb
  • Ao pôr do sol, Nora Roberts
  • Belas adormecidas, Stephen King e Owen King
  • Briga de cachorro grande: como a Apple e o Google foram à guerra e começaram uma revolução, Fred Vogelstein
  • Cidade de vidro, Cassandra Clare
  • Corte de asas e ruína, Sarah J. Maas
  • Corte de espinhos e rosas, Sarah J. Maas
  • Corte de névoa e fúria, Sarah J. Maas
  • Deuses americanos, Neil Gaiman
  • Espiritualidade para corajosos, Luiz Felipe Pondé
  • Flor da pele: a aventura que salvou a humanidade de uma epidemia fatal, Javier Moro
  • Mais lindo que a lua, Julia Quinn
  • Mulheres sem nome, Martha Hall. Kelly
  • O colecionador de memórias, Cecelia Ahern
  • O milagre da manhã: o degredo para transformar sua vida (antes das 8 horas), Hal Austin Elrod
  • O trem dos órfãos, Christina Baker Kline
  • O tubarão de 12 milhões de dólares: a curiosa economia da arte contemporânea, Don Thompson
  • Os pilares da terra, Ken Follett
  • Outsider, Stephen King
  • Tu eu? eu tu: romance, Iracema Soares de Lima
  • Um sedutor sem coração, Lisa Kleypas

Dia dos Pais na literatura

feliz-dia-dos-paisHoje é o Dia dos Pais e preparamos uma seleção especial de livros com boas e emocionantes histórias sobre paternidade. Escolha a sua preferida!

O Papai é Pop, Marcos Piangers
Então, você vai ser pai. Você sabe que precisa comprar uma casa maior. Tem que ter mais espaço pra criança. Tem que ter mais um quarto no apartamento. Tem que ter um berço novo. Então você sabe que tem que trocar de carro, com seis airbags, no mínimo, ar-condicionado de fábrica. O que o humorista Marcos Piangers descobriu ao ser pai jovem é que essas preocupações não fazem diferença nenhuma. No fundo, o que importa mesmo, como os textos divertidos e emocionantes de O Papai é Pop mostram, é você estar com seus filhos, não pensando em outra coisa, mas estar lá. De verdade.

Número de chamada:821.134.3(816.5)-94 P581p 2015

O Filho Eterno, Cristóvão Tezza
Neste romance autobiográfico, o autor expõe as dificuldades e saborosas vitórias de criar um filho com Síndrome de Down. Cristóvão Tezza narra como reordenou sua própria vida a partir dos obstáculos enfrentados com seu filho Felipe. O Filho Eterno foi um dos livros mais premiados em 2008 no Brasil.

Número de chamada: 821.134.3(81)-31 T355f 10.ed.

Quase Memória, Carlos Heitor Cony
Através da experiência de vida do próprio escritor, o livro retrata a relação entre pai e filho. A história se passa no Rio de Janeiro nas décadas de 40 e 50 quando o autor recebe um embrulho na recepção de um hotel. A letra no envelope é do pai do escritor já falecido há dez anos. O objeto inesperado desencadeia, então, lembranças da infância e sentimentos contraditórios em relação à figura paterna. Quase memória é ganhador dos prêmios Jabuti de melhor romance e de livro do ano (1996).

Número de chamada:821.134.3(81)-31 C768q 27.ed.

O Clube do Filme, David Gilmour
Relato real da vida do autor e crítico de cinema canadense David Gilmour. Ao ver seu filho, de 15 anos, reprovado, Gilmour faz uma proposta: ele pode largar a escola desde que assista a três filmes por semana com o pai. As sessões passam, então, a manter constante o diálogo entre os dois e ajudam na recuperação e formação de um jovem “perdido” nas angústias de sua adolescência. Nas próprias palavras de Gilmour, a obra é um relato sincero sobre como é difícil crescer.

Número de chamada: 821.111(71)-31 G488c 2009

O Livro do Papai: Como Sobreviver ao Seu Bebê, Hélio de La Peña
De forma prática e divertida, o livro dá dicas valiosas para quem vai encarar os desafios da paternidade. O humorista Hélio de La Peña fala sobre os medos e inseguranças comuns a todos os homens – antes e depois do nascimento do bebê. A obra aborda os desafios e peripécias de ser pai: a troca de fraldas, os choros, os momentos de insônia, os desejos maternos exóticos, as visitas ao cursinho para pais e a tão esperada hora do parto.

Número de chamada: 821.134.3(81)-7 P397L 2003

Fonte: Estante Virtual

Jorge Amado: das páginas para as telas

jorge-amado-imagem-postPara celebrar o aniversário do escritor Jorge Amado, separamos cinco obras que foram adaptadas para o cinema. Aproveite as sugestões e participe do #desafiobiblioucs deste mês!

Dona Flor e seus Dois Maridos
Dona Flor é casada com Vadinho, boêmio beberrão e apostador que a satisfaz na cama. Quando o marido morre, Flor passa a ser cortejada por outro homem, o pacato farmacêutico Teodoro que, apesar de ser uma boa pessoa, é um tanto conservador e não tão apimentado entre os lençóis. É aí que Vadinho resolve aparecer de novo, em forma de espírito, para satisfazer sua viúva, deixando-a num dilema: a quem amar? O espírito de Vadinho ou o dedicado Teodoro? O cineasta Bruno Barreto adaptou o livro para as telas em 1976 e em 2017 a história ganhou uma nova versão do diretor Pedro Vasconcelos.

Gabriela: Cravo e Canela
Gabriela é parte de um grupo de retirantes que se muda para Ilhéus, na Bahia, em busca de novas oportunidades de vida. Ela é encontrada nas ruas por Nacib Saad, que logo se apaixona pela menina, tão jovial e sensual quanto ingênua. Só que, após o casamento, a relação dos dois começa a esfriar. Não pela falta de paixão, mas por conta de toda a sociedade ao redor. Em 1983, o diretor Bruno Barreto adaptou o livro para os cinemas.

Tieta do Agreste
Tieta acabou de perder o marido abastado e volta para sua pequena cidade natal com a enteada, Leonora. Cheia da grana e charme, a influente viúva faz de sua chegada um acontecimento e movimenta a vida pacata dos habitantes. O filme lançado em 1996 é dirigido por Carlos Diegues.

A Morte e a Morte de Quincas Berro d’Água
Lançado em 1959, o romance foi ganhando status de clássico, principalmente pelos personagens carismáticos e pelo inusitado de sua trama, que, mesmo apelando para o realismo fantástico, conseguiu retratar com precisão uma parcela significativa do povo da Bahia. A história do defunto que não é deixado em paz pelos melhores amigos e levado para uma última noite de festa, mulheres e bebedeira em uma Salvador triste por sua partida, foi levada às telas pelo baiano Sérgio Machado, em 2010.

Capitães da Areia
Verdadeiro romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Os jovens órfãos crescem circulando pelas ruas de uma Salvador bem diferente da presente em cartazes de empresas de turismo. Um dos livros mais sensíveis de Jorge Amado, ganhou as telas pelas mãos da neta do autor, Cecília Amado, em 2011.

Fontes: Papo de cinema e Companhia das Letras

Desafio Literário de agosto: um livro que virou filme!

desafio-agosto-faceDas páginas para a tela, vários livros já ganharam uma nova versão nos cinemas. Pensando nisso, o Desafio Literário das Bibliotecas UCS deste mês é ler um livro que virou filme!

Se você está procurando sugestões, separamos alguns livros que fazem parte do nosso acervo:

  • Como eu era antes de você – Jojo Moyes

Número de chamada:  821.111-31 M938c 2013

  • A teoria de tudo: a extraordinária história de Jane e Stephen Hawking – Jane Hawking

Número de chamada:  821.111-94 H392t 2014

  • O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares – Ransom Riggs

Número de chamada:  821.111(73)-312.9 R569o 2.ed.

  • A menina que roubava livros – Markus Zusak

Número de chamada: 821.111(94)-31 Z96ma 3.ed.

  • A garota no trem – Paula Hawkins

Número de chamada:  821.111-312.4 H394g 6.ed.

  • Aniquilação – Jeff Vandermeer

Número de chamada: 821.111(73)-311.9 V237c 1.ed.

  • O silêncio dos inocentes – Thomas A. Harris

Número de chamada: 821.111(73)-312.4 H316s 12.ed.

  • Trainspotting: romance – Irvine Welsh

Número de chamada: 821.111-31 W461t 2004

  • Orgulho e preconceito – Jane Austen

Número de chamada: 821.111-31 A933o 2011

  • Precisamos falar sobre Kevin – Lionel Shriver

Número de chamada: 821.111(73)-31 S561p 2007

  • Clube da luta – Chuck Palahniuk

Número de chamada: 821.111(73)-31 P153ca 2012

  • Doze anos de escravidão – Solomon Northup

Número de chamada: 821.111(73)-94 N878d 2014

  • Garota exemplar – Gillian Flynn

Número de chamada: 821.111(73)-312.4 F648g 2013

Você encontra mais sugestões nas Bibliotecas UCS. Compartilhe a sua experiência nas redes sociais através da hashtag #desafiobiblioucs

Deuses Americanos: nova edição preferida do autor!

deuses-americanos“Deuses Americanos é, na verdade, uma história sobre a alma dos Estados Unidos. Sobre o que as pessoas levaram para lá; sobre o que acharam lá quando chegaram; e sobre as coisas que ficaram adormecidas debaixo de tudo isso.” Neil Gaiman

Em 1992, Neil Gaiman deixava a Inglaterra, sua terra natal, e se mudava para os Estados Unidos. Tendo consumido ao longo da vida séries, livros e filmes que exaltavam a cultura americana, o autor acreditava que a adaptação ao novo lar seria tranquila. Mas, ao chegar, Gaiman finalmente pôde conhecer o país a fundo.

Misturando suas experiências com diversas referências mitológicas, o autor captou a essência americana em um livro, lançado originalmente em 2001 e que se tornaria uma de suas obras mais importantes: Deuses americanos. E esta nova edição, preferida do autor, apresenta capítulos revistos e ampliados, artigos, uma entrevista com Gaiman e um inspirado texto de introdução. O livro já está disponível nas Bibliotecas UCS e é a nossa indicação para o Desafio Literário do mês de julho!

Fonte: Intrínseca

Americanah: dica de leitura de Barack Obama para as férias

americanahAmericanah, da nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, foi vencedor do National Book Critics Circle Award e foi eleito um dos 10 melhores livros de 2013 pela NYT Book Review. A autora parte de uma história de amor arrebatadora para debater questões prementes e universais como imigração, preconceito racial e desigualdade de gênero. Bem-humorado, sagaz e implacável, conjugando o melhor dos grandes romances e da crítica social, Americanah é um épico da contemporaneidade.

Essa obra-prima premiada é uma das sugestões de leitura de Barack Obama. Em viagem para o Quênia e para a África do Sul, o ex-presidente dos EUA aproveitou para fazer uma lista de férias com seis livros de autores africanos ou sobre a África. A lista foi publicada em um post do Facebook de Obama. “De uma das grandes escritoras contemporâneas do mundo vem a história de dois nigerianos a caminho dos EUA e do Reino Unido, levantando questões universais sobre a raça e o sentimento de pertencimento, a experiência no estrangeiro para a diáspora africana e a busca de identidade e de um lar”, comenta Obama.

E se você precisa de mais um incentivo para começar essa leitura, Americanah é um dos livros indicados para o Desafio Literário deste mês!

Fonte: Diário de Notícias

Dica de leitura com cheirinho de livro novo!

outsiderA nossa dica de leitura para o Desafio Literário deste mês vem com cheirinho de livro novo! Outsider, o novo livro de Stephen King, já está disponível nas Bibliotecas UCS.

Preparado para uma das histórias mais perturbadoras de Stephen King dos últimos tempos? O corpo de um menino de onze anos é encontrado abandonado no parque de Flint City, brutalmente assassinado. Testemunhas e impressões digitais apontam o criminoso como uma das figuras mais conhecidas da cidade — Terry Maitland, treinador da Liga Infantil de beisebol, professor de inglês, casado e pai de duas filhas. O detetive Ralph Anderson não hesita em ordenar uma prisão rápida e bastante pública, fazendo com que em pouco tempo toda a cidade saiba que o Treinador T é o principal suspeito do crime. Maitland tem um álibi, mas Anderson e o promotor público logo têm amostras de DNA para corroborar a acusação. O caso parece resolvido. Mas conforme a investigação se desenrola, a história se transforma em uma montanha-russa, cheia de tensão e suspense. Terry Maitland parece ser uma boa pessoa, mas será que isso não passa de uma máscara? A aterrorizante resposta é o que faz desta uma das histórias mais perturbadoras de Stephen King.

“Uma história envolvente que mexe com todos os nossos medos… Para os fãs dos livros antigos de King, como It: a Coisa.” — Kirkus Reviews

Fonte: Companhia das Letras

No centenário de Nelson Mandela, leia um trecho da autobiografia “Um longo caminho para a liberdade”

mandelaEm homenagem ao centenário de Nelson Mandela, separamos um trecho da autobiografia “Um longo caminho para a liberdade”:

“Na vida, todo homem tem obrigações gêmeas: com a família, com os pais, com a esposa e os filhos; e também tem obrigações com o povo, com a comunidade e com o país. Numa sociedade humana e civilizada, cada homem é capaz de cumprir essas obrigações de acordo com as próprias tendências e capacidades. Mas num país como a África do Sul era quase impossível um homem de minha cor e com minha origem cumprir os dois tipos de obrigações. Na África do Sul, um homem negro que tentasse cumprir seu dever para com o próprio povo era inevitavelmente arrancado da família e de casa e obrigado a levar uma vida à parte, uma existência obscura de clandestinidade e rebelião. No começo eu não optei por colocar o povo acima da família, mas quando tentei servir a meu povo verifiquei que estava impedindo de cumprir as obrigações de filho, irmão, pai e marido.

Dessa forma, meu compromisso com meu povo, com os milhões de sul-africanos que eu jamais viria a conhecer nem a encontrar, era à custa das pessoas que eu mais conhecia e que amava acima de tudo. Era simples assim e no entanto incompreensível como quando uma criança pequena pergunta ao pai: ‘Por que você não pode ficar conosco?’ E o pai tem de proferir as palavras terríveis: ‘Há outras crianças como você, muitas, muitas delas…’ e a voz da gente fica embargada.”

O livro também é uma das sugestões de leitura de Barack Obama. Em viagem para o Quênia e para a África do Sul, o ex-presidente dos EUA aproveitou para fazer uma lista de férias de verão com seis livros de autores africanos ou sobre a África. A lista foi publicada em um post do Facebook de Obama.

Sobre o livro, Obama comenta: “A vida de Mandela foi uma das histórias épicas do século XX. Este definitivo livro de memórias traça o arco da sua vida a partir de uma pequena aldeia até aos seus anos de revolucionário, a sua longa prisão e, finalmente, sua ascensão a presidente unificador, líder e ícone global. Leitura essencial para quem quer entender a história – e depois mudá-la.”

Fonte: Diário de Notícias

Croácia x França: quem será o vencedor da última partida literária?

A escritora croata Slavenka Drakulic e o escritor francês Michel Houellebecq são os representantes da última partida literária:

Copa-2018---Croácia-e-França

Slavenka Drakulic

É uma respeitada jornalista e comentadora cultural croata. Foi membro fundador da comissão executiva da primeira rede de associações de mulheres da Europa de Leste, integra os conselhos consultivos do IV Congresso Internacional e Interdisciplinar sobre a Mulher e da revista Ms., e recebeu uma bolsa literária Fulbright.

Nos anos 1990, o desmembramento da Jugoslávia provocou conflitos tão cruéis e brutais que poucos julgavam voltar a ser possíveis na Europa. Voltaram a crimes de guerra, tendo as Nações Unidas deliberado constituir um tribunal penal internacional, TPI, em Haia, na Holanda. Foi para tentar compreender o que se havia passado na região em que nasceu, os Balcãs, que a aclamada romancista e jornalista croata Slavenka Drakulic acompanhou os julgamentos de alguns dos criminosos de guerra. O livro Não Faziam Mal a uma Mosca – Como os Homens Banais Podem ser Criminosos de Guerra traz, apesar de todos os horrores, uma esperança: a de que a justiça dê às gerações futuras a oportunidade de escaparem à sombras do passado. As Bibliotecas UCS não possuem obras da autora.

Michel Houellebecq

É romancista, poeta e ensaísta. É um dos autores mais importantes da literatura francesa contemporânea.

França, 2022. Depois de um segundo turno acirrado, as eleições presidenciais são vencidas por Mohammed Ben Abbes, o candidato da chamada Fraternidade Muçulmana. Carismático e conciliador, Ben Abbes agrupa uma frente democrática ampla. Mas as mudanças sociais, no início imperceptíveis, aos poucos se tornam dramáticas. François é um acadêmico solitário e desencantado, que espera da vida apenas um pouco de uniformidade. Tomado de surpresa pelo regime islâmico, ele se vê obrigado a lidar com essa nova realidade, cujas consequências – ao contrário do que ele poderia esperar – não serão necessariamente desastrosas. Submissão é uma sátira precisa, devastadora, sobre os valores da nossa própria sociedade. É um dos livros mais impactantes da literatura atual.

Fontes: Wook e Companhia das Letras