Confira a nossa escalação na estreia do Brasil na Copa

No primeiro jogo do Brasil, preparamos um confronto literário. Confira a escalação:

Copa-2018---Suiça

MILTON HATOUM

O amazonense Milton Hatoum é um dos grandes nomes da literatura brasileira contemporânea, traduzido no exterior, reconhecido por um vasto número de leitores e admirado pela melhor crítica.

Dividido em quatro seções que dão conta de temas como língua e literatura, a realidade, a memória e os afetos, além de pequenas fabulações, Um solitário à espreita traz para a forma da crônica, este gênero tradicionalmente praticado por alguns dos melhores autores brasileiros, a visão de mundo e as opiniões de Milton Hatoum. O futuro da literatura, a dureza dos anos vividos sob o regime militar, a realidade cambiante das nossas grandes cidades – tudo isso vem embalado numa prosa tão gentil quanto especulativa, tão sagaz quanto calorosa. Um passeio delicioso, em suma.

JOEL DICKER

O autor nasceu na Suíça e estudou Direito na Universidade de Genebra. Seu segundo romance, A verdade sobre o caso Harry Quebert, se tornou um best-seller na Europa, alçando o jovem autor à categoria de fenômeno literário.

E qual é a história do livro? Marcus Goldman é um jovem autor que alcançou grande sucesso com seu primeiro livro. Sofrendo com um bloqueio criativo, ele procura seu ex-professor de faculdade, Harry Quebert, um dos mais renomados escritores americanos, que vive em uma mansão à beira-mar na pequena cidade de Aurora, em New Hampshire. A trama toma um novo rumo quando Marcus é surpreendido pela descoberta do corpo de uma jovem de quinze anos, Nola Kellergan ── desaparecida sem deixar rastros em 1975 ──, enterrado no jardim de Harry com o original do romance que o consagrou. Na tentativa de reunir peças que possam provar a inocência de Harry, o jovem escritor esbarra em antigos segredos dos habitantes de Aurora; ao mesmo tempo em que reconstrói os acontecimentos do verão de 1975, quando Harry e Nola viveram um amor proibido.

Fontes: Companhia das Letras e Intrínseca

Anúncios

Rússia x Arábia Saudita: quem ganha essa partida literária?

Hoje começa a Copa do Mundo, e o primeiro jogo do torneio é entre a Rússia e a Arábia Saudita. Para entrar na torcida, as Bibliotecas UCS organizaram uma partida entre dois importantes autores, representando os países. Confira abaixo um pouco mais sobre esses escritores e os seus livros escalados:

russia-e-arabia-2

LIEV TOLSTÓI

É um dos maiores nomes da literatura mundial. Nascido na cidade de Yasnaya Polyana, na Rússia, escreveu os consagrados livros Guerra e Paz (entre 1865 e 1869) e Anna Karenina (1875-1877).

“O que é Guerra e paz?”, questiona Liev Tolstói em um texto que detalha o processo de pesquisa e de criação de sua obra-prima. “Não é um romance, muito menos uma epopeia, menos ainda uma crônica histórica.” Ao acompanhar o percurso de cinco famílias aristocráticas russas no período de 1805 a 1820, Tolstói narra a marcha das tropas napoleônicas e seu impacto brutal sobre a vida de centenas de personagens.

Em meio a cenas de batalha, bailes da alta sociedade e intrigas veladas, destacam-se as figuras memoráveis dos irmãos Nikolai e Natacha Rostóv, do príncipe Andrei Bolkónski e de Pierre Bezúkhov, filho ilegítimo de um conde, cuja busca espiritual serve como espécie de fio condutor e o torna uma das mais complexas personalidades da literatura do século XIX. Ao descrever o cotidiano e os grandes acontecimentos que se sucederam à invasão de Napoleão em 1812, Tolstói retrata uma Rússia magistral, imponente e, sobretudo, profundamente humana.

NAGUIB MAHFOUZ

Nasceu no Cairo em 1911 e começou a escrever aos dezessete anos. É autor de mais de trinta romances, além de catorze coletâneas de contos. Recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1988. Mahfouz morreu em 2006.

Inspirado no clássico As mil e uma noites, o romance Noites das Mil e Uma Noites  tem como cenário uma cidade islâmica da Idade Média. Mas o leitor ocidental de hoje terá a surpresa de deparar com elementos de seu cotidiano: uma sociedade infestada pela corrupção e pela inquietação social. Ao mesmo tempo, tal como nas Mil e uma noites, gênios ainda saem de garrafas abertas por indivíduos ingênuos e transformam suas vidas de muitas maneiras, inclusive para pior.

Fonte: Cia das Letras e History

Por Que Fazemos o Que Fazemos na Vida e nos Negócios

Nossa dica de leitura para começar o #desafiobiblioucs deste mês é o livro O Poder do Hábito, de Charles Duhigg. Você o encontra nas Bibliotecas UCS, no número de chamada: 159.947 D871p.

post

“O Poder do Hábito: Por que Fazemos o que Fazemos na Vida e nos Negócios” apresenta o resultado de duas décadas de pesquisa ao lado de psicólogos, sociólogos, publicitários e cientistas sobre comportamento.  Se já está curioso, leia algumas citações do livro:

“Os hábitos, dizem os cientistas, surgem porque o cérebro está o tempo todo procurando maneiras de poupar esforço. Se deixado por conta própria, o cérebro tentará transformar quase qualquer rotina num hábito, pois os hábitos permitem que nossas mentes desacelerem com mais frequência.”

“Alguns hábitos têm o poder de iniciar uma reação em cadeia, mudando outros hábitos conforme eles avançam através de uma organização. Ou seja, alguns hábitos são mais importantes que outros na reformulação de empresas e vidas. Estes são os “hábitos angulares” e eles podem influenciar o modo como as pessoas trabalham, comem, se divertem, vivem, gastam e se comunicam. Os hábitos angulares dão início a um processo que, ao longo do tempo, transforma tudo.”

“Uma vez que uma pequena vitória foi conquistada, forças que favorecem outra pequena vitória são postas em movimento. Pequenas vitórias alimentam mudanças transformadoras, elevando vantagens minúsculas a padrões que convencem as pessoas de que conquistas maiores estão dentro de seu alcance.”

Fonte: Motivação e Foco

 

Como está sendo o seu ano? #desafiobiblioucs

desafio-junho-face

Já chegamos na metade de 2018 e como está sendo o seu ano? Para manter o foco ou para renovar as energias, participe do Desafio Literário das Bibliotecas UCS! Todo mês há uma nova proposta para você descobrir novas leituras. Neste mês o desafio é ler um livro de autoajuda ou desenvolvimento pessoal.

Confira abaixo as nossas sugestões e descubra novos autores!

Desafio aceito? Compartilhe a sua experiência nas redes sociais através da hashtag #desafiobiblioucs

  • A sutil arte de ligar o foda-se – Mark Manson

  Número de chamada: 159.947.4 M289s

  • Como fazer amigos & influenciar pessoas – Dale Carnegie

Número de chamada: 159.923.2 C289c 

  • Fora de série= Outliers – Malcolm Gladwell

Número de chamada: 159.947.4 G542f

  • Mindset: a nova psicologia do sucesso – Carol S. Dweck

Número de chamada: 159.947.4 D989m

  • O poder do agora: um guia espiritual para a iluminação espiritual – Eckhart Tolle

Número de chamada: 133.9 T651p

  • O poder do hábito: por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios – Charles Duhigg

Número de chamada: 159.947 D871p 

  • O poder dos quietos – Susan Cain

Número de chamada: 316.47 C135p 

  • Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes – Stephen R. Covey

Número de chamada: 159.947.4 C873s

  • Pai rico, pai pobre: o que os ricos ensinam a seus filhos sobre dinheiro –  Robert T. Kyyosaki; Sharon L. Lechter

Número de chamada: 336.76 K62p 

  • Por que fazemos o que fazemos? aflições vitais sobre trabalho, carreira e realização – Mário Sérgio Cortella

Número de chamada: 658.310.13 C827p

  • Rápido e devagar: duas formas de pensar – Daniel Kahneman

Número de chamada: 159.955.5 K12r 

  • Seja foda: feliz, otimista, determinado, abundante – Caio Carneiro

Número de chamada: 658.310.13 C289s

  • Você é insubstituível: este livro revela a sua biografia – Augusto Cury

Número de chamada: 159.942 C982v

Acesse o catálogo para verificar se o livro está disponível. Se ele estiver emprestado, faça uma reserva! Você encontra mais sugestões nas Bibliotecas UCS

5 livros para conhecer Kazuo Ishiguro, vencedor do Nobel de Literatura 2017

 

kazuo

Fique por dentro do trabalho do autor:

Os Vestígios do Dia
Neste romance vencedor do Man Booker Prize, de 1989, e estrelado no cinema por Anthony Hopkins, o narrador-protagonista reflete sobre o papel dos mordomos na história da Inglaterra. Depois de trabalhar durante anos na mansão de um lord, ele sai em viagem relembrando momentos da trajetória do ex-patrão, que simpatizava com o nazismo, e rememora suas próprias paixões. Número de chamada: 821.111-31 I79v

Não me Abandone Jamais 
Nesta ficção científica sutil e melancólica, Kathy relembra os anos em que viveu em um orfanato no qual todos os “alunos” eram clones, produzidos para servir como peças de reposição. Em 2010, a obra ganhou uma adaptação homônima para o cinema, que conta com Carey Mulligan e Andrew Garfield, em um de seus primeiros papéis de destaque. Número de chamada: 821.111-31 I79n

Quando Éramos Órfãos
Usando um humor fino, o autor narra a história de um garoto inglês nascido em Xangai à procura de respostas para o sumiço dos pais, que desapareceram quando ele tinha nove anos. Em uma China que vive uma guerra sangrenta com o Japão, Christopher Banks acaba perseguindo também uma ordem para o mundo em que vive.

O Gigante Enterrado
Uma das justificativas usadas pela comissão do Nobel para a escolha de Ishiguro foi sua capacidade de se reinventar. Enveredando pelo lado da fantasia e se aproximando de autores como George R. R. Martin e Tolkien, o romance é prova disso. Na história, os personagens precisam lidar com as indefinições do amor e uma misteriosa névoa do esquecimento. Número de chamada: 821.111-31 I79ga

Norturnos: Histórias de Música e Anoitecer
Afastando-se dos romances, na coleção de contos, Ishiguro se rende a narrativas leves e bem humoradas sobre instrumentistas e amantes da música, de diversas partes do mundo. E traz histórias como as do saxofonista que decide fazer uma plástica para ganhar mais reconhecimento.

Fonte: Galileu

Escritor norte-americano Philip Roth morre aos 85 anos

philip-rothO gigante literário norte-americano Philip Roth, vencedor do prêmio Pulitzer por seu romance Pastoral Americana em 1998, morreu nesta terça-feira, aos 85 anos. Roth escreveu mais de 30 livros, incluindo ‘Patrimônio’, obra que examinou a sua complexa relação com o seu pai e ganhou o National Book Critics Circle Award.

Sua obra mais famosa é o romance ‘Complexo de Portnoy’, publicado em 1969. A obra é uma narrativa em primeira pessoa sobre Alexander Portnoy, um jovem advogado bem-sucedido de Nova York. O livro retrata uma série de notórias cenas de masturbação e tentativas frustradas do protagonista de perder a virgindade.

Roth já declarou que o ato de escrever é para ele “cheio de medo, solidão e ansiedade”. Mas, ele adicionou, “Há alguns dias que compensa totalmente. Na minha vida, eu tive, no total, alguns meses desses dias completamente maravilhosos como escritor e isso é o suficiente”, disse.

Em uma entrevista ao jornal norte-americano New York Times, em 2018, Roth refletiu sobre os seus mais de 50 anos como escritor e os descreveu como “Alegria e lamentação. Frustração e liberdade. Inspiração e incerteza. Abundância e vazio.”

Confira alguns livros do escritor que pertencem ao acervo das Bibliotecas UCS:

  • Casei com um comunista   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845c
  • Complexo de Portnoy   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845c
  • Diário de uma ilusão   |   Número de chamada: 821.111(73)-94 R845d
  • Fantasma sai de cena   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845c
  • Goodbye, Columbus: e outros contos   |   Número de chamada: 821.111(73)-34 R845g
  • Homem comum   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845ho
  • A humilhação   |  Número de chamada: 821.111(73)-31 R845h
  • Indignação   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845i
  • Nêmesis   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845n
  • O avesso da vida   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845a
  • Pastoral americana   |  Número de chamada: 821.111(73)-31 R845p
  • Patrimônio: uma história real   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845p
  • O professor de desejo   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845p
  • Zuckerman acorrentado: 3 romances e 1 epílogo   |   Número de chamada: 821.111(73)-31 R845z

Fontes: El País Brasil, Estadão

 

Saiba mais sobre o livro Neve, do autor vencedor do prêmio Nobel de Literatura de 2006

WP_20180519_13_29_18_Pro“Pamuk é o tipo de escritor para o qual o prêmio Nobel foi inventado” – Daily Telegraph

Aprisionado pela neve em uma minúscula e remota cidade da Turquia, o poeta Ka se vê no epicentro de um microcosmo de conflitos raciais e religiosos do mundo muçulmano.

Neve, que o autor Orhan Pamuk define como “seu primeiro e último romance político”, conta a história de Ka, poeta exilado na Alemanha, que viaja a uma pequena cidade turca com o pretexto de investigar a onda de suicídios entre jovens muçulmanas que assola o vilarejo. Durante essa visita, uma nevasca bloqueia todas as estradas, insulando a cidade do resto do mundo. É nesse clima de isolamento que um veterano ator e sua mulher aproveitam para liderar um golpe militar.

Embora tenha se distanciado da política há muitos anos, Ka é alçado a protagonista involuntário dessa revolução. Nada menos apropriado para o escritor cujo desejo, além de se casar com Ìpek, antiga colega de escola, é apenas registrar as poesias que lhe escapam há anos, mas que agora passam a fluir com extrema naturalidade. Mas o turbilhão provocado pelo golpe traz à tona a truculência das forças de segurança, antigos ajustes de contas e o radicalismo de alguns militantes islâmicos. Enquanto Ka tenta se equilibrar entre as diversas facções em choque, vê a cidade se tornar um microcosmo dos conflitos raciais, políticos e étnicos da Turquia, além de palco da sua tragédia pessoal.

Fonte: Companhia das Letras

 

Conheça cinco mães marcantes da literatura

dia-das-maesHoje é Dia das Mães e como forma de comemoração separamos cinco mães da literatura que tem personalidades diferentes mas o mesmo objetivo: cuidar dos seus filhos.

Sra. Bennet – Orgulho e Preconceito, de Jane Austen

A Sra. Bennet é o tipo de mãe ranzinza que quer decidir tudo pela filha, mas que tem o coração enorme e ama cada uma com o seu jeito de ser. É orgulhosa e dramática, um pouquinho fofoqueira e quer ser sempre a primeira a contar a novidade de suas filhas para os vizinhos.  A Sra. Bennet é uma personagem que chama a atenção por sua personalidade forte e características indiscutíveis.

 Joy Newsome – O Quarto de Jack

O Quarto de Jack apesar do tema difícil tratado mostra a importância da relação entre mães e filhos. A história trata do relacionamento do pequeno Jack e de sua mãe, retrata o amor incondicional que um sente pelo outro. Mostra jovem que foi sequestrada na adolescência que se tornou mãe e luta com as armas que pode para conquistar pela sua liberdade e de seu filho e dar uma vida digna para o menino.

 Rosa Hubermann – A Menina que Roubava Livros

Rosa Hubermann não é a mãe de sangue de Liesel, mas é mãe e disso não restam dúvidas. Durante toda a história Hubermann tenta educar a filha, abre mão de suas coisas pelo bem estar da menina. Quando adota Liesel Rosa Hubermann a ama como se fosse sua própria filha e tenta proteger a menina dos riscos da segunda guerra mundial. Apesar de ser rabugenta e às vezes até incompreensiva todo tempo Rose está dando o melhor que pode para criar Liesel.

 Frannie Lancaster – A Culpa é das Estrela

Ser mãe é difícil, mãe de adolescente é complicado, mas mãe de uma adolescente que está em fase terminal de câncer é mais difícil ainda. Frannie Lancaster é mãe de Hazel e luta para que a filha possa viver sua própria vida e experimentar coisas e sentimentos que nunca viveu. Lancaster está ao lado da filha a todo o momento, cuidando e verificando se ela está bem, além de incentivar a filha na maior parte do tempo a experimentar coisas novas.

Fonte: Cia dos Livros

Neste mês o desafio é ler um livro de um autor ganhador do Prêmio Nobel!

desafio-maio-face

Participe do Desafio Literário das Bibliotecas UCS! Todo mês há uma nova proposta para você descobrir novas leituras. Neste mês o desafio é ler um livro de um autor ganhador do Prêmio Nobel.

Confira abaixo as nossas sugestões e descubra novos autores!

Desafio aceito? Compartilhe a sua experiência nas redes sociais através da hashtag #desafiobiblioucs

  •  A guerra do fim do mundo – Mario Vargas Llosa

Número de chamada:  821.134.2(85)-31 V297g

  •  A guerra não tem rosto de mulher – Swetlana Alexijewitsch

Número de chamada: 821.161.2-92 A366g

  • A náusea – Jean-Paul Sartre

Número de chamada:  821.133.1-31 S251n

  • Cem anos de solidão – Gabriel García Márquez

Número de chamada: 821.134.2(861)-31 G216c

  • Desonra – John Maxwell Coetzee

Número de chamada:  821.111(6)-31 C673d

  • Miguel Street – Vidiadhar Surajprasad Naipaul

Número de chamada:  821.111-31 N157m

  • Não me abandone jamais – Kazuo Ishiguro

Número de chamada: 821.111-31 I79n 

  • Neve – Orhan Pamuk

Número de chamada:  821.512.161-31 P186n

  • O amor de uma boa mulher: contos – Alice Munro

Número de chamada: 821.111(71)-34 M968a

  • O verão antes da queda – Doris May Lessing

Número de chamada: 821.111-31 L639v

  • Os vestígios do dia – Kazuo Ishiguro

Número de chamada: 821.111-31 I79v

  • Pantaleão e as visitadoras Mario Vargas Llosa

Número de chamada: 821.134.2(85)-31 V297p

  • Para nascer nasci – Pablo Neruda

Número de chamada:  821.134.2(83)-31 N454p

  • Tudo o que tenho levo comigoHerta Muller

Número de chamada: 821.112.2-31 M958t

Você encontra mais sugestões nas Bibliotecas UCS.

Por que você deve se cercar com mais livros que jamais terá tempo pra ler

Prateleiras ou e-readers cheios indicam coisas boas sobre a sua mente

Uma vida inteira de aprendizagem vai te ajudar a ser mais feliz, ganhar mais e até mesmo se manter mais saudável, dizem os especialistas. Além disso, muitos dos nomes mais inteligentes do mundo dos negócios, desde Bill Gates até Elon Musk, insistem que a melhor forma de ficar mais inteligente é lendo. Então o que você faz? Você vai lá e compra livros, vários deles.

Mas a vida é ocupada e intenções são uma coisa, ações, outra. Logo você percebe que suas estantes (ou seu e-reader) estão transbordando de títulos que você pretende ler um dia, ou livros que você deu uma lida uma vez mas então os abandonou. Seria isso um desastre com o seu projeto de se tornar uma pessoa mais inteligente e sábia?

Se você nunca conseguiu ler nenhum livro de fato, então sim. Você pode querer ler sobre truques para colocar mais leitura na sua vida frenética e porque vale a pena comprometer algumas horas por semana a um aprendizado. Mas se simplesmente a sua ação de ler livros não acompanha de nenhum modo a sua ação de comprá-los, tenho boas notícias pra você (e para mim, pois eu definitivamente me encaixo nessa categoria): sua biblioteca inflacionada não é um sinal de fracasso ou ignorância, é uma medalha de honra.

maia-habegger-494665-unsplashPor que você precisa de uma “antibiblioteca”

Esse é o argumento que o autor e estatístico Nassim Nicholas Taleb faz em seu bestseller A lógica do Cisne Negro. O blog eternamente fascinante Brain Pickings garimpou e sublinhou a seção em um post particularmente adorável. Taleb inicia suas reflexões com uma piada sobre a lendária biblioteca do escritor italiano Umberto Eco, que continha um impressionante total de 30 mil volumes.

Eco realmente leu todos esses livros? Claro que não, mas esse não era o objetivo de cercar-se com tanto conhecimento potencial mas até então não realizado. Por ter um constante lembrete de todas as coisas que ele não sabia, a biblioteca de Eco o mantinha intelectualmente faminto e perpetuamente curioso. Uma crescente coleção de livros que você ainda não leu pode fazer o mesmo por você, Taleb escreve:

Uma biblioteca particular não é um apêndice impulsionador de ego, mas uma ferramenta de pesquisa. Livros já lidos são bem menos valorosos que os não lidos. A biblioteca deveria conter tanto do quanto você não sabe quanto os seus meios financeiros, as taxas de hipoteca, e o atual mercado imobiliário apertado te permitir que você coloque lá. Você acumulará mais conhecimento e mais livros ficando mais velho, e o crescente número de livros não lidos nas estantes olharão para você de forma ameaçadora. De fato, quanto mais você sabe, maior fica a estante de livros não lidos. Vamos chamar essa coleção de livros não lidos de antibiblioteca.

Uma antibiblioteca é um lembrete poderoso de nossas limitações – a vasta quantidade de coisas que você não sabe, ou sabe pela metade ou algum dia irá perceber que está errado sobre. Viver com esse lembrete diariamente pode fazer com que você se atente para o tipo de humildade intelectual que melhora a tomada de decisões e impulsiona o aprendizado.

“As pessoas não andam por aí com anti-currículos te falando que não estudaram ou não tiveram experiência (é trabalho de seus competidores fazer isso), mas seria legal se fizessem isso”, diz Taleb.

Por que? Talvez porque seja um fato psicológico bem conhecido que os mais incompetentes sejam mais confiantes de suas habilidades e os mais inteligentes são cheios de dúvidas (sério, é chamado de efeito Dunning-Kruger). É igualmente bem estabelecido que quanto mais você admite rapidamente que não sabe coisas, mais rápido você as aprende.

Então pare de brigar consigo mesmo por comprar livros demais ou por ter uma lista de livros “para ler depois” que você nunca poderia terminar nem em três vidas. Todos esses livros que você não leu são na verdade um sinal da sua ignorância. Mas se você souber o quão ignorante é, você estará bem à frente da vasta maioria das pessoas.

Se você ficou curioso, encontre o livro A lógica do Cisne Negro de Nassim Nicholas Taleb nas Bibliotecas UCS – Número de chamada: 007 T143L

Por Jessica Stillman, para a Inc.com

Conheça as obras sobre Leonardo da Vinci que fazem parte do nosso acervo

Leonardo da VinciNo dia 15 de abril de 1452 nascia em Vinci, próximo à cidade de Florença, na Itália, Leonardo di ser Piero da Vinci, artista florentino. Por conta de suas inúmeras contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, Leonardo da Vinci é apontado com um dos homens mais brilhantes da história.

Ele se destacou como pintor, arquiteto e engenheiro. Entre 1508 e 1515, em breves lapsos, Leonardo da Vinci pintou o quadro mais controverso da história: “La Gioconda” ou “A Monalisa”. Oficialmente tido como um retrato de Lisa Gherardini, apesar das diversas teorias, entre as quais de que o quadro seria um autorretrato.

Para conhecer mais sobre Leonardo da Vinci, confira as obras que fazem parte do nosso acervo:

  • A ciência de Leonardo da Vinci: um mergulho profundo na mente do grande gênio da Renascença – Fritjof Capra

Número de chamada: 929LEONARDO L581c 

  • Escritos sobre Leonardo da Vinci – Paul Valéry

Número de chamada: 75LEONARDO V166e 

  • Leonardo Da Vinci: a alma de um gênio – Marislei de Souza Espíndula Brasileiro

Número de chamada: 75LEONARDO B823L 

  • Leonardo da Vinci – Walter Isaacson

Número de chamada: 75LEONARDO L581L 

  • Os mistérios de Da Vinci – Jeanmarie Condon, Elizabeth Vargas e Rudy Bednar

Número de chamada: DVD 75LEONARDO M678

  • Mona Lisa: a história da pintura mais famosa do mundo – Donald Sassoon

Número de chamada: 75LEONARDO S252m 2004

Fonte: History

Mistério e humor no livro “O xangô de Baker Street”

jo xango (1)Jô Soares, conhecido apresentador e comediante brasileiro, fez sua estreia na literatura policial em 1995 com a publicação de O xangô de Baker Street. Na trama, o célebre Sherlock Holmes é chamado ao Brasil por D. Pedro II para investigar o desaparecimento de um valioso violino Stadivarius. Ao mesmo tempo, um assassinato choca a cidade e deixa em pânico o delegado Mello Pimenta. Uma prostituta fora assassinada, teve suas orelhas decepadas e uma corda de violino estrategicamente colocada em seu corpo pelo assassino. Sherlock e o companheiro Watson enfrentam perigos que vão muito além das atrocidades do serial killer: feijoadas, caipirinhas, vatapás, intelectuais de botequim, pais de santo e o poder de sedução das mulatas locais. A história foi adaptada para o cinema, com roteiro de Miguel Faria Jr. e de Patricia Melo.

Você encontra o livro e o filme nas Bibliotecas UCS. Aproveite a indicação e participe do #desafiobiblioucs!

Fonte: Jornal do Brasil

 

Confira o quinto livro da série Perdida, da autora brasileira Carina Rissi

desencantada dicaDesencantada: entregando-se aos segredos do amor é o quinto volume da série Perdida e conta a história de Valentina, a grande amiga de Elisa Clarke. Uma moça desiludida com o amor, porém prestes a descobrir que a vida ainda lhe reserva grandes – e maravilhosas – surpresas. Poderá uma garota nem um pouco encantada viver um conto de fadas e conseguir o seu final feliz?

O livro é a mais nova aquisição das Bibliotecas UCS, que ainda possui outros livros da autora brasileira Carina Rissi e é uma ótima sugestão literária para o #desafiobiblioucs!

Carina Rissi é uma leitora voraz, sempre lê a última página de um livro antes de comprá-lo e tem um fascínio inexplicável pelo tema “amores impossíveis”. Vê nas obras de Jane Austen uma fonte de inspiração. É autora da série Perdida e de outros best-sellers como Procura-se um marido, No mundo da Luna e Mentira Perfeita, lançados pela Verus Editora. Carina já vendeu mais de 400 mil exemplares e teve seus livros publicados em Portugal, na Rússia, na Ucrânia e na Itália.

Fonte: Carina Rissi

Um novo mês pede um novo desafio: que tal ler um livro de um autor brasileiro?

POST-FACEConseguir reservar um tempo para ler um livro é quase um desafio, mas o esforço vale a pena: a leitura é uma atividade relaxante! E um empurrãozinho é sempre bem-vindo: participe do Desafio Literário das Bibliotecas UCS! Todo mês haverá uma nova proposta e novas sugestões de livros que irão de incentivar a manter o hábito da leitura.

No mês de abril, que tal ler um livro de um autor brasileiro? E você não precisa ficar só nos clássicos, confira abaixo as nossas sugestões e descubra novos autores. Se você está se sentindo confiante, retome o desafio do mês de março e leia um livro em um dia!

Desafio aceito? Compartilhe a sua experiência nas redes sociais através da hashtag #desafiobiblioucs

 

  • A noite maldita: as crônicas do fim do mundo – André Vianco

Número de chamada: 821.134.3(81)-312.9 V614n

  • A vida como ela é…. – Nelson Rodrigues

Número de chamada: 821.134.3(81)-34 R696v

  • Ainda estou aqui – Marcelo Rubens Paiva

Número de chamada: 821.134.3(81)-94 P149a

  • Barba ensopada de sangue – Daniel Galera

Número de chamada: 821.134.3(81)-31 G154b

  • Criação imperfeita: cosmo, vida e o código oculto da natureza – Marcelo Gleiser

Número de chamada: 113 G557c

  • Depois a louca sou eu – Tati Bernardi

Número de chamada: 821.134.3(81)-94 B523d

  • Mentira perfeita – Carina Rissi

Número de chamada: 821.134.3(81)-31 R596m 

  • Não se enrola, não – Isabela Freitas

Número de chamada: 821.134.3(81)-311.2 F862nb

  • No buraco – Tony Bellotto

Número de chamada: 821.134.3(81)-312.4 B447n

  • Nosso lar – André Luiz (Espírito) e Francisco Cândido Xavier

Número de chamada: 821.134.3(81)-97 L953n

  • Notas de liberdade – Frederico Elboni

Número de chamada: 821.134.3(81)-94 E37n

  • O irmão alemão – Chico Buarque

Número de chamada: 821.134.3(81)-31 B917i

  • Sinuca embaixo d’água – Carol Bensimon

Número de chamada: 821.134.3(816.5)-31 B474sa

  • Um solitário à espreita: crônicas – Milton Hatoum

Número de chamada: 821.134.3(81)-94 H364s

Você encontra mais sugestões na estante localizada no hall de entrada da Biblioteca Central.

Ainda dá tempo de participar do Desafio Literário de março!

pequeno principe post

Ainda dá tempo de participar do Desafio Literário de março! E para o último dia do mês, que tal uma dica de leitura? O e-book O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry, está disponível na Biblioteca Virtual (BVU). Aproveite a leitura e se encante com as aquarelas do autor!

Conheça os livros ‘Outros jeitos de usar a boca’ e ‘O que o sol faz com as flores’ de Rupi Kaur

como é tão fácil pra você/ ser gentil com as pessoas ele perguntou/ leite e mel pingaram/ dos meus lábios quando respondi/ porque as pessoas não foram/ gentis comigo”. É assim, com um tapa, que começa Outros jeitos de usar a boca, o primeiro livro da poeta canadense nascida na Índia, Rupi Kaur.

Os versos de Rupi são duros: tratam de abuso, violência, amor, sofrimento, maternidade, machismo e relacionamento. “Antes do meu livro, o mercado editorial achava que não havia mercado para poesia sobre trauma, abuso e cura”, disse Rupi ao The Guardian em agosto de 2016. O trauma, uma constante na vida de tantas mulheres, diz, é justamente a matéria-prima de sua obra.

rupi-poemas-600x258
Poema de ‘Outros jeitos de usar a boca’, de Rupi Kaur (Foto: Divulgação)

Milk and honey (“leite e mel”), título original de Outros jeitos de usar a boca, faz menção ao genocídio do povo sikh na Índia – etnia do Estado de Punjab, à qual pertence a poeta e sua família. Segundo ela, os sikh, especialmente suas mulheres, saíram do massacre “suaves como o leite, mas fortes como o mel”. Seguindo a lógica da superação de um grande trauma, o livro tem quatro partes: a dor, o amor, a ruptura e a cura.

rupi-poemas-1-600x315
Poema de ‘Outros jeitos de usar a boca’, de Rupi Kaur (Foto: Divulgação)

No seu segundo livro, O que o Sol faz com as flores, os temas das poesias e ilustrações circulam novamente ao redor de temas como amor, infanticídio, depressão, perda e abuso sexual e psicológico.

Ficou curioso para ler os livros? Encontre-os nas Bibliotecas UCS:

Outros jeitos de usar a boca.

Número de chamada: 821.111(71)-1 K21o 2017

O que o sol faz com as flores.

Número de chamada: 821.111(71)-1 K21q 2018

Texto adaptado:  Revista Cult

Para fugir do Carnaval: 5 livros de suspense que farão você suar frio

e're proud of all you've done for our country.

Os leitores apaixonados por histórias de mistério costumam buscar, naturalmente, livros de suspense. Esse gênero prende a atenção, impacta e causa tensão. As melhores obras, neste caso, são aquelas que nos fazem tentar desvendar a história e, normalmente, errar o final.

Para você que gosta de livros de suspense, separamos uma lista com cinco obras que farão você devorar as histórias até conhecê-las por completo. Você encontra os livros nas Bibliotecas UCS (dica: caso o exemplar esteja emprestado, faça uma reserva).

O Silêncio dos Inocentes, de Thomas Harris

Em O Silêncio dos Inocentes, cinco mulheres são mortas nos Estados Unidos e a jovem Clarice Starling, treinada pelo FBI, contata o psiquiatra Dr. Hannibal Lecter na tentativa de encontrar o assassino. Ele tem o poder de manipular as pessoas de uma forma assustadora.

O Silêncio dos Inocentes, considerado um dos melhores livros de suspense, chegou a ganhar um longa-metragem baseado na história. O filme ganhou cinco Oscars, sendo eles de melhor filme, diretor, ator, atriz e roteiro adaptado.

Número de chamada: 821.111(73)-312.4 H316s

Número de chamada: DVD 791.221.5 S581

O Assassinato de Roger Ackroyd, de Agatha Christie

É claro que um livro de Agatha Christie está entre os melhores livros de suspense. Em O Assassinato de Roger Ackroyd, há uma sequência de três crimes e, com isso, surgem vários suspeitos. E não tem como não mergulhar nessa obra de suspense: aqui, somos convidados a explorar toda a nossa inteligência, e assim compreender os grandes mistérios que envolvem os crimes.

Número de chamada: 821.111-312.4 C555ab

A Garota no Trem, de Paula Hawkins

A Garota no Trem é um fenômeno: o livro é sucesso de vendas e a obra foi parar nas telas do cinema. Rachel todos os dias viaja de trem, já conhecendo todo o percurso, inclusive uma casa número 15 e o casal que mora lá. Certo dia, Rachel observa uma cena assustadora, porém o trem segue viagem. Dias depois, Rachel descobre que Megan está desaparecida e vai à polícia contar o que testemunhou. Com esse relato, Rachel passa a participar de todos os acontecimentos, em uma narrativa com surpreendentes reviravoltas.

Número de chamada: 821.111-312.4 H394g 6.ed.

It – A Coisa, de Stephen King

Durante as férias, Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly viviam o valor da amizade… e do medo! Naquelas férias, eles encararam a Coisa, um ser sobrenatural. Quase 30 anos se passam e os amigos se reencontram, mas a Coisa volta a atacar, então os amigos precisam cumprir a promessa que selaram quando crianças. Afinal, só eles podem vencer A Coisa.

Número de chamada: 821.111(73)-312.4 K54c

Os Homens que não Amavam as Mulheres, de Stieg Larsson

Com uma história intrigante, cheia de tramas e personagens complexos, este é, também, um dos melhores livros de suspense que inspiraram filmes. Em 1966, Harriet Vanger desaparece sem deixar rastros. Os membros da sua família, que viviam em uma ilha, foram isolados para que as buscas fossem feitas, mas nada foi encontrado. A partir daí, Henrik Vanger, o patriarca da família, começa a receber uma flor emoldurada, iguais as que Harriet costumava lhe presentear. Para Henrik, um membro da família Vanger é o responsável pelo sumiço, ou morte, de Harriet. E quase 40 anos depois, ele contrata o jornalista Mikael Blomkvist para investigar o sumiço de Harriet.

Número de chamada: 821.113.6-312.4 L334h

Número de chamada: DVD 791.221.5 H765 (Bento Gonçalves)

Fonte: Saraiva e Zoom

Sugestões de e-books para ler nas férias

 

 

A Universidade de Caxias do Sul disponibiliza a comunidade acadêmica, o acesso gratuito a Biblioteca Virtual Universitária e a Minha Biblioteca, plataformas online que disponibilizam milhares de e-books, em português, abrangendo as mais diversas áreas do conhecimento. O acesso a estas plataformas é feito através do Ambiente Virtual de Aprendizagem, o UCS Virtual.

A seguir, separamos algumas indicações de e-books destas plataformas, confira:

BIBLIOTECA VIRTUAL UNIVERSITÁRIA

  • Comunicar para liderar – Milton Jung e Leny Kyrillos 

Neste livro, os autores explicam a importância da boa comunicação e mostram os segredos para chegar lá. Além das questões verbais, como a escolha das palavras, o jornalista Mílton Jung e a fonoaudióloga Leny Kyrillos destacam aspectos como o olhar, a postura, o humor, a roupa e, claro, a fala.  Além disso, o líder que sabe comunicar também sabe escutar. Para auxiliar o leitor a desenvolver suas habilidades de expressão, o livro traz dicas práticas voltadas a mudanças de hábitos.

  • Motivação, do querer ao fazer – Benjamin Disraeli 

Benjamin Disraeli, escritor e político que chegou a ocupar o cargo de primeiro-ministro da Inglaterra, teria dito ‘A vida é muito curta para ser pequena’. Efetivamente. Não há nenhum sonho maior do que provar nossa capacidade de superação. Mas o que é necessário para que sejamos bem-sucedidos? Motivação. E o que vem a ser motivação? Como manter essa chama acesa? Quais seriam os ingredientes indispensáveis para a autêntica motivação – aquela que provém do uso da razão?

  • Qual é a tua obra? – Mário Sérgio Cortella 

Com um texto envolvente, o livro fala sobre as inquietações do mundo corporativo. O autor desmistifica conceitos e pré-conceitos, e define o líder espiritualizado, como aquele que reconhece a própria obra e é capaz de edificá-la, buscando incessantemente o significado das coisas. Na obra, Mário Sergio Cortella desmistifica conceitos e pré-conceitos, e define o líder espiritualizado, como aquele que reconhece a própria obra e é capaz de edificá-la, buscando incessantemente o significado das coisas.

  • O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry

‘O Pequeno Príncipe’ tornou-se obra de apelo universal, um clássico moderno traduzido para mais de oitenta idiomas. Suas páginas abrigam valiosas lições sobre a solidão, a amizade, o tempo, a vida e a morte, compartilhadas conosco por meio do pequeno habitante do asteroide B 612. Deixe-se conquistar pela fábula atemporal de Antoine de Saint-Exupéry e acompanhe o pequeno príncipe em sua jornada rumo ao nosso planeta. Lembre-se apenas de fechar um pouco os olhos e abrir bem o coração. Pois o essencial, como nos têm ensinado o pequeno príncipe e sua amiga raposa, por mais de setenta anos, é invisível aos olhos.

  • Diálogos de Culturas – Leandro Karnal 

“Sempre achei fascinante ampliar a visão e pensar a realidade além da parede técnica do especialista. Espero que o leitor lance sobre mim o mesmo método que lanço sobre todos os textos que encaro: ler com atenção e analisar, dissecar e destrinçar o que li. Escrever sobre muitos temas é um desafio curioso. Ao dirigir esse olhar para fora do meu gueto, compreendo coisas novas num processo recíproco de aprendizado. O cerne do que acredito (o diálogo, o combate ao preconceito, a crítica às exclusões sociais e culturais etc.) nunca muda. Este livro é fruto do desafio de considerar a possibilidade do diálogo entre áreas distintas e cruzamento de temas diversos.” Leandro Karnal

MINHA BIBLIOTECA 

  • Personagens ou Pacientes? – Táki Athanássios Cordás

Personagens ou Pacientes? insere-se justamente no ponto em que se dá o encontro do psiquiatra e do psicólogo com o escritor. Assim, nos capítulos que compõem esta obra, diversos profissionais da saúde mental analisam obras da literatura mundial – sejam elas contos, romances ou até mesmo quadrinhos – que tangenciam o mundo da saúde mental. Se, inicialmente, escritores falaram de doenças, agora médicos falam da literatura.

  • História das Coisas – Annie Leonard 

Neste livro homônimo, Annie Leonard retoma e aprofunda o tema, explicando de onde vêm as matérias-primas, por exemplo, das camisetas de algodão e das latas de alumínio que usamos, como esses artigos são produzidos, distribuídos e consumidos e o que acontece depois que jogamos tudo isso no lixo. A autora passou duas décadas rastreando o tráfico internacional de lixo, combatendo o descarte pela incineração e estudando a economia dos materiais nos mais de trinta países que visitou.  Ela propõe grandes transformações na máquina extrair-fazer-descartar e outras pequenas, mas essenciais, que podem ser adotadas desde já por cada um de nós.

  • A Utilidade do Inútil – Nuccio Ordine 

Brilhante, contundente e muito claro, o filósofo italiano Nuccio Ordine mostra como a lógica utilitarista e o culto da posse acabam por murchar o espírito das pessoas, pondo em perigo não só a cultura, a criatividade e as instituições de ensino, mas valores fundamentais como a dignidade humana, o amor e a verdade. Completa o livro um ensaio do famoso educador americano Abraham Flexner, inédito em português, que prova como também as ciências exatas nos ensinam a utilidade do inútil. Sucesso de crítica e de público, traduzido para mais de 15 idiomas, essa é uma leitura crucial, um grito de defesa da humanidade e do humanismo.

  • O que Einstein disse a seu cozinheiro?  – Robert L .Wolke 

Você sabia que nem todo álcool evapora, quando se cozinha com cerveja ou vinho? Por que nada gruda em uma frigideira antiaderente? O que faz as gorduras ficarem rançosas? Em mais de 100 pares de perguntas e respostas que podem ser consultados independentemente, esse livro explica pão-pão-queijo-queijo a ciência da cozinha. Acessível e inteligente, descarta informações e mitos que passaram do prazo de validade e ajuda você a interpretar rótulos e propagandas. Deliciosas receitas criadas especialmente para demonstrar princípios científicos, dicas, um glossário e sugestões de leitura complementam o banquete.

  • 44 Cartas ao Mundo Líquido Moderno – Zygmunt Bauman 

Nos dias de hoje, somos bombardeados por informações de todos os lados. Como separar o que é importante e significativo do que é supérfluo e descartável? Essa foi a intenção do sociólogo Zygmunt Bauman ao escrever cartas comentando aspectos do que o sociólogo chama de “mundo líquido moderno”.  Esse livro apresenta uma seleção de 44 desses textos. Surpreende a capacidade do sociólogo em descobrir significados sob atos aparentemente simples – uma chamada ao celular, a exposição de uma foto no Facebook, um outdoor, entre outros. Todos esses fatos que parecem casuais e desconectados se unem para reforçar a aflição do homem no mundo líquido: buscar identidade.

 

 

Professores lançam, pela EDUCS, “Museu de Ciências Naturais: colorindo a natureza”

A Editora da Universidade de Caxias do Sul (EDUCS) lança o livro Museu de Ciências Naturais: colorindo a natureza. A obra, de 144 páginas, é de autoria dos biólogos Wilson Sampaio de Azevedo Filho, Adriana Tolotti e Janete Maria Scopel, e da engenheira agrônoma Luciana Scur.

Ele apresenta informações sobre a estrutura e atividades do Museu de Ciências Naturais da UCS, assim como caracterizações gerais de diferentes temas da natureza. Além disso, conta ilustrações confeccionadas com técnicas de nanquim que poderão ser coloridas pelo leitor, elas são fornecidas completas e impressas nas páginas do livro, conforme a temática definida pelas áreas de atuação do museu (Botânica, Zoologia e Geociências). Assim, caberá ao leitor apenas preenchê-las com as cores desejadas.

Este material didático está direcionado a atividades de ensino que utilizam como ferramenta o ato de colorir. As atividades de desenho para colorir são utilizadas em várias áreas de forma didática, como Anatomia, Fisiologia, Microbiologia.

40 anos sem Clarice Lispector: Vida e obra da autora

ClariceLispector_LI-0036_1920x1080.jpg

Nascida Haia Pinkhasovna Lispector, na cidade de Tchetchelnik, na Ucrânia, Clarice e sua família emigraram para o Brasil em 1922, quando a escritora tinha apenas dois anos. Chegando ao Brasil, por iniciativa de seu pai, todos os integrantes mudaram de nome, daí “nasceu” Clarice Lispector.

Em 1925 muda-se com a família para a cidade de Recife-PE, onde Clarice passa sua infância. Aprendeu a ler e escrever muito nova. Estudou inglês e francês e cresceu ouvindo o idioma dos seus pais: o iídiche. Com 19 anos publica seu primeiro conto “Triunfo”. Em 1943 forma-se em Direito e nesse mesmo ano estreou na literatura com o romance “Perto do Coração Selvagem”, que retrata uma visão interiorizada do mundo da adolescência e teve calorosa acolhida da crítica, recebendo o Prêmio Graça Aranha.

Em 1960 trabalha no Diário da Noite com a coluna “Só Para Mulheres” e nesse mesmo ano lança “Laços de Família”, livro de contos que recebeu o Prêmio Jabuti. Em 1961 publica “A Maçã no Escuro” pelo qual recebe o prêmio de melhor livro. Passa a integrar o Conselho Consultivo do Instituto Nacional do Livro. E em 1969 já tinha perto de doze volumes publicados e recebeu o prêmio do X Concurso Literário Nacional de Brasília.

Em 1977 Clarice escreveu um dos mais famosos romances, “A Hora da Estrela”, que foi adaptado ao cinema na década de 80. Clarisse Lispector morre neste mesmo ano, vítima de câncer, um dia antes de completar 57 anos.

Confira alguns dos livros da escritora disponíveis  nas Bibliotecas UCS:

  • Água Viva: 821.134.3(81)-31 L771a
  • A Bela e a Fera: 821.134.3(81)-34 L771b
  • A Cidade Sitiada: 821.134.3(81)-31 L771c
  • Felicidade Clandestina: 821.134.3(81)-34 L771f
  • A Hora da Estrela: 821.134.3(81)-31 L771h
  • Laços de Família: 821.134.3(81)-34 L771L

 

Fonte: Editora Rocco / E-biografia