Feriado nas Bibliotecas de Bento Gonçalves e Guaporé

f (1).jpg
Foto:  Biblioteca do CARVI

Em virtude do feriado de Santo Antônio, feriado municipal nas cidades de Bento Gonçalves e Guaporé, as Bibliotecas do Campus do Vale dos Vinhedos e do Campus de Guaporé não terão atendimento no dia 13 maio, terça-feira. As unidades retornam normalmente com suas atividades na quarta-feira, dia 14.

 

 

 

 

 

 

 

 

Atlas digital é lançado com informações sobre o Rio Grande do Sul

FEEJovem_logo_7nov.jpg

A Fundação de Economia e Estatística (FEE) lançou nesta terça-feira o Atlas Escolar Digital do Rio Grande do Sul. Ele reúne os principais indicadores utilizados nas pesquisas da entidade, como características da população, do clima, da hidrografia, da economia, entre itens relacionados ao estado. Além dos mapas, gráficos, fotografias e informações que montam um retrato do estado estão no site.

O objetivo do atlas, segundo a geógrafa e coordenadora do projeto, Mariana Pessoa, é difundir entre alunos e professores um maior conhecimento sobre o estado nos seus mais diversos aspectos, com informações atualizadas. Outros diferenciais do projeto são a presença de forma gratuita na internet e a maneira como foi escrito, buscando uma fácil compreensão. 

Um dos primeiros a usar o projeto para dar uma aula foi o professor de Geografia Vagner Garcez Soares. Segundo ele, o atlas é bastante eficiente para os alunos que estão prestes a prestar vestibular ou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “São dados muito atualizados e servem muito, porque a abordagem do vestibular é essa abordagem científica da análise territorial. O atlas leva isso para os alunos de uma maneira bem didática, bem clara, bem simples de se entender”, diz.

Para acessar o conteúdo do projeto, basta acessar o site atlas.fee.tche.br, onde é possível visualizar alguns dados específicos ou baixar o documento completo.
Fonte: G1RS

Participe dos treinamentos online Elsevier

image002.jpg

A base de dados Elsevier disponibilizará treinamentos online nas ferramentas ScienceDirect, Scopus e Mendeley, nos dias 12 de junho, 04 de setembro e 03 de novembro.

Para se inscrever basta acessar o link. 

unnamed.png

Conheça os tipos de conteúdos oferecidos pelo Portal de Periódicos da CAPES

Além das revistas científicas mais conceituadas em âmbito nacional e internacional, os usuários têm à disposição uma infinidade de outros tipos de materiais

O Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é considerado um modelo de consórcio de bibliotecas único no mundo: é inteiramente financiado pelo governo brasileiro e é a iniciativa do gênero com a maior capilaridade no mundo, cobrindo todo o território nacional.

O que muitos não sabem, é que o conteúdo disponível para a comunidade acadêmica vai muito além dos periódicos.

Além de indexar mais de 38 mil títulos de revistas científicas com texto completo, o Portal comporta 134 bases referenciais, 11 bases dedicadas exclusivamente a patentes, mais de 280 mil livros eletrônicos e outros conteúdos, como enciclopédias, obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual.

Dessa forma, o Portal de Periódicos cumpre o papel de propiciar o aumento da produção científica nacional e o crescimento da inserção científica brasileira no exterior, como defende o pesquisador João Santana Silva*, que acessa diariamente a biblioteca virtual da CAPES:

“O Portal é de suma importância para os pesquisadores brasileiros. De fato, essa ferramenta trouxe a possibilidade de competirmos com mais igualdade com cientistas de outros países. O conteúdo é muito atrativo e eu, particularmente, utilizo todos os dias. Temos um divisor muito claro de antes e depois do Portal de Periódicos. Temos que preservá-lo e, sempre que possível, ampliá-lo”.

Dentro dessa gama de conteúdos, que contempla todas as áreas do conhecimento, o Portal de Periódicos oferece para os usuários quatro opções de pesquisa:

Buscar assunto

Buscar periódico

Buscar livro

Buscar base

Dentro da “busca avançada” da opção “buscar base”, é possível selecionar o gênero de material procurado (textos completos, referenciais com resumos, patentes, livros, sites com periódicos de acesso gratuito, entre outros) por meio do campo “Tipo”.

Qualquer pessoa pode pesquisar, uma vez que parte do acervo é de acesso aberto. Para os recursos assinados, é necessário acessar a página de dentro da instituição de ensino (pelo reconhecimento de IP) ou pelo acesso remoto (nesse caso, login e senha são distribuídos pelas instituições participantes para seus alunos).

Em caso de dúvidas sobre o acervo, o e-mail de contato com a equipe do Portal é periodicos@capes.gov.br.

Para acessar basta entrar em periodicos.capes.gov.br.

Começa hoje a campanha “Troque sua multa por agasalho”

agasalho-web-5 (1)

Começa hoje nas Bibliotecas UCS a campanha “Troque sua multa por agasalho”. Ação esta, que objetiva a promoção da solidariedade, ajudar ás famílias carentes e também, a quitação dos débitos com multas de livros.

COMO FUNCIONA? 

Durante o período de 05 a 30 de junho às multas geradas por atraso nas devoluções de obras do Sistema de Bibliotecas poderão ser quitadas ou receber desconto através de doação de agasalhos. Para participar o usuário deverá comparecer às Bibliotecas do Sistema UCS com as peças de roupas, novas ou em bom estado de conservação, que serão trocadas pelo valor do desconto da multa conforme descrito na tabela de troca a seguir:

ITENS VALOR DA MULTA
Cobertor e mantas Até R$ 40,00
Peças de vestuário adulto (casaco, blusão, calça, moletom) Até R$ 20,00
Peças de vestuário infantil (casaco, blusão, calça, moletom) Até R$ 15,00
Acessório (meias novas, par de luvas, gorro e cachecol) Até R$ 10,00

* Os valores são cumulativos.

QUEM PODE RECEBER O DESCONTO? 

APENAS as pessoas que doarem agasalhos para quitar o débito dos materiais em atraso durante o período da campanha.

QUEM NÃO PARTICIPA? 

Pessoas que já possuem multas ou boletos pendentes, ou seja, que já devolveram os materiais antes do período da campanha, mas ainda não quitaram as multas.

E como nosso objetivo principal é a solidariedade, as Bibliotecas também receberão doações espontâneas. O inverno está chegando, participe!

Confira o regulamento da campanha

Livro inédito de J.R.R. Tolkien é publicado cem anos após ser escrito

xtolkien.jpg.pagespeed.ic.2-0F9dagEJ.jpg

Um livro inédito do célebre J.R.R. Tolkien, autor de “Senhor dos anéis”, foi publicado nesta quinta-feira, cem anos depois de ser escrito. “Beren e Lúthien” é descrita como uma história de “conteúdo pessoal” que o então professor da Universidade de Oxford, no Reino Unido, criou ao retornar da Batalha do Somme, ocorrida na França, em julho de 1916, durante a Primeira Guerra Mundial.

O livro está sendo publicado pela HarperCollins no 10º aniversário de “Os filhos de Húrin”, último livro com ambientação na Terra Média, onde também se desenrola a saga de “O senhor dos anéis”, série que inspirou a trilogia de filmes de mesmo nome, dirigida por Peter Jackson.

O “novo” livro conta a história dos amantes Beren e Lúthien, respectivamente, um homem mortal e uma elfo imortal que tentam roubar algo do maior de todos os seres do mal, Melkor, posteriormente chamado Morgoth, o inimigo negro. O pai de Lúthien, um lorde Elvish, não aprova o relacionamento e impôe a Beren uma tarefa impossível para que eles possam ficar juntos.

Boa parte dos títulos de Tolkien foram publicados postumamente, incluindo “O Silmarillion”, “Contos inacabados” e “The history of Middle Earth” (não publicado no Brasil), uma série em 12 volumes editada por Christopher. Suas obras mais conhecidas, entretanto, “O hobbit” e a trilogia “O senhor dos anéis”, renderam grande fama ao autor ainda em vida.

Fonte: O Globo 

‘Cem Anos de Solidão’: livro de Gabriel García Márquez faz 50 anos

gabriel-2 (1).jpg

Em 30 de maio de 1967 Gabriel García Márquez lançava Cem Anos de Solidão,considerado pela crítica especializada como sua obra-prima. O livro conta a história da família Buendía na cidade fictícia de Macondo e de como a matriarca, Úrsula, toma conta de tudo e de todos.

Cem Anos de Solidão faz parte do gênero realismo fantástico, que conta histórias reais com um toque de irrealidade. Há, por exemplo, uma parte do livro em que chove por mais de quatro anos sem parar: “Uma tempestade assim não seria possível na realidade, mas ela é uma metáfora do processo de silenciamento que ocorre na América Latina depois da repressão aos movimentos populares”, afirma Alexandre Barbosa, professor da Universidade de São Paulo (USP) e especialista em América Latina.

Outra característica da obra são as repetições. Nomes, acontecimentos, objetos… Tudo parece surgir mais de uma vez, o que não é coincidência. O livro conta, também, a história das cidades da América Latina que, para o professor, também acontece em ciclos. “Nosso continente vem passando por ciclos como os da conquista europeia, os de luta de independência, os de invasão norte-americana, os de ditaduras militares, os de resistência às repressões, os de governos neoliberais, os de governos nacionalistas e agora um novo ciclo de governos liberais. Tal qual a cidade de Macondo, a América Latina parece condenada a ficar repetindo esses ciclos.  E a produção cultural acompanhou esse processo do realismo mágico de se voltar para a história e realidade do continente”, afirma o professor.

Pensando nisso, a GALILEU preparou uma árvore genealógica da família Buendía para te acompanhar na leitura (ou releitura) da obra com vários Josés Arcádios e muitos (muitos) Aurelianos.

Fonte: Galileu

59º Prêmio Jabuti está com inscrições abertas

jabuti.jpg

A 59ª edição do Prêmio Jabuti, um dos mais importantes prêmios da literatura brasileira, está com inscrições abertas. Esta edição contempla 29 categorias, com destaque para duas novas que foram anunciadas, são elas “Histórias em Quadrinhos” (que anteriormente era contemplada por “Adaptação”, passa a ter uma categoria exclusiva) e Livro Publicado no Exterior.

As inscrições podem ser feitas até o dia 18 de julho através do endereço http://premiojabuti.com.br/ e o regulamento completo pode ser acessado através do link.  

Categorias Contempladas: Adaptação; Arquitetura, Urbanismo, Artes e Fotografia; Capa; Biografia; Ciências da Natureza, Meio Ambiente e Matemática; Ciências Humanas; Ciências da Saúde; Comunicação; Contos e Crônicas; Didático e Paradidático; Direito; Educação e Pedagogia; Economia, Administração, Negócios, Turismo, Hotelaria e Lazer; Engenharias, Tecnologias e Informática; Gastronomia; História em Quadrinhos; Ilustração; Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil; Infantil; Infantil Digital; Juvenil; Livro Brasileiro Publicado no Exterior; Poesia; Projeto Gráfico; Psicologia, Psicanálise e Comportamento; Reportagem e Documentário; Romance; Teoria/Crítica Literária, Dicionários e Gramáticas; e, Tradução.

Conheça os livros mais emprestados do mês de maio

Mais emprestados (4).png

Mais emprestados (5).png

Projeto Estante Sugestão Literária: Encontro às cegas

unnamed (1).jpg

A Biblioteca Central da UCS está de volta com o projeto “Encontro às cegas com o livro”. A ideia consiste em diferentes obras disponibilizadas na Estante de Sugestões Literárias da Biblioteca, entretanto, o livro é embalado em papel pardo, no qual não é possível conhecer o título ou o autor, e sim, apenas algumas dicas sobre o enredo escrito no papel.

E para que a revelação do título seja feita apenas depois de retirados, os livros terão etiquetas com códigos do lado de fora da embalagem, assim, evita que se descubra a identidade das obras antes de efetuado o empréstimo.

A ação proposta e desenvolvida pelas bibliotecárias Carolina Meroni e Carolina Quadros, chegou a ser matéria do Jornal Pioneiro  em 2016, tamanha aceitação da comunidade acadêmica. Neste ano, a ação inicia nesta quinta-feira (1) e se estende até o 12 de junho.  Participe!

 

 

Participe do curso online e gratuito, “Fact-Checking: a ferramenta para combater notícias falsas”

jornalismo.jpg

Estão abertas as inscrições para o curso online gratuito “Fact-Checking: a ferramenta para combater notícias falsas”, ministrado por Cristina Tardáguila, fundadora e diretora da Agência Lupa. O curso é totalmente online e dura quatro semanas, de 5 de junho a 2 de julho de 2017.

Este é o mais novo MOOC (curso online aberto e massivo) realizado pela Associação Nacional dos Jornais (ANJ) em parceria com o Centro Knight para o Jornalismo nas Américas. Desta vez, o apoio é do Google News Lab, que recentemente começou a atuar na capacitação de jornalistas na América Latina.

O curso foi planejado como um programa de treinamento para jornalistas, professores e estudantes de jornalismo, mas é gratuito e aberto a qualquer pessoa interessada em aprender sobre os conceitos básicos de “Fact Checking”. 

Para se inscrever é muito fácil, basta acessar o link e seguir o passo a passo, participe!

Fonte: Journalism Courses 

Os 100 primeiros anos de fotografia na Europa disponíveis on-line

Loya- Vale de Yosemite (The Sentinel).jpg

Mantida pela União Europeia, a plataforma Europeana é uma biblioteca on-line de arte alimentada por instituições como Berlinische Galerie, Biblioteca Nacional da França, Museu do Louvre e Biblioteca Britânica. Ela é atualizada constantemente e inclui, por exemplo, coleções focadas em arte barroca e iluminista, cartões postais do sudeste europeu e acervos de manuscritos. Em maio de 2017, a plataforma lançou a coleção temática Europeana Photography. Essa coleção reúne imagens e documentos de 50 instituições europeias de 34 países que documentam os primeiros 100 anos da fotografia no continente europeu. Há mais de 2,2 milhões de fotografias, algumas delas de pioneiros, como a britânica Julia Margaret Cameron.

O material também será reunido e organizado em exposições virtuais numa série, intitulada “O prazer da abundância”, que, segundo a curadoria, “celebra a opulência e riqueza visual da fotografia vintage”. Uma das primeiras exposições da série se chama “Fotografia industrial na era das máquinas” e reúne imagens de máquinas, cidades, indústrias e oficinas do início do século 20. Para conferir a galeria basta clicar aqui!  

Fonte: Jornal Nexo 

 

 

Campanha das Bibliotecas UCS “Troque sua multa por agasalho”

agasalho-web-5 (1)

O Sistema de Bibliotecas da Universidade de Caxias do Sul apresenta a toda a comunidade acadêmica a “Campanha do Agasalho 2017 – Troque sua multa por agasalho”.

Confira abaixo os detalhes desta ação, que objetiva a promoção da solidariedade, ajudar ás famílias carentes e também, a quitação dos débitos com multas de livros:

COMO FUNCIONA? 

Durante o período de 05 a 30 de junho às multas geradas por atraso nas devoluções de obras do Sistema de Bibliotecas poderão ser quitadas ou receber desconto através de doação de agasalhos. Para participar o usuário deverá comparecer às Bibliotecas do Sistema UCS com as peças de roupas, novas ou em bom estado de conservação, que serão trocadas pelo valor do desconto da multa conforme descrito na tabela de troca a seguir:

ITENS VALOR DA MULTA
Cobertor e mantas Até R$ 40,00
Peças de vestuário adulto (casaco, blusão, calça, moletom) Até R$ 20,00
Peças de vestuário infantil (casaco, blusão, calça, moletom) Até R$ 15,00
Acessório (meias novas, par de luvas, gorro e cachecol) Até R$ 10,00

* Os valores são cumulativos.

QUEM PODE RECEBER O DESCONTO? 

APENAS as pessoas que doarem agasalhos para quitar o débito dos materiais em atraso durante o período da campanha.

QUEM NÃO PARTICIPA? 

Pessoas que já possuem multas ou boletos pendentes, ou seja, que já devolveram os materiais antes do período da campanha, mas ainda não quitaram as multas.

E como nosso objetivo principal é a solidariedade, as Bibliotecas também receberão doações espontâneas. O inverno está chegando, participe!

Confira o regulamento da campanha

 

Poeta cria app gratuito que mapeia pontos de poesia pelo Brasil

A quantidade de poetas do Brasil é enorme e crescente, há eventos, bibliotecas e locais que reúnem poetas. Foi para mapear esses pontos de poesia que a poeta brasiliense Marina Mara criou o aplicativo PoemApp.

O propósito do aplicativo é reunir esses pontos por todo país, para que os eventos, saraus e locais possam divulgar suas programações e novidades. Os locais podem ser adicionados de forma automática, mediante somente a criação de um login e uma senha, e o app está disponível para download gratuito.

Poemapp1.png“É como se fosse um ‘Waze’ da poesia. É colaborativo, e as pessoas vão colocando ali seus pontos de poesia. Pode ser um evento, um sarau ou um local”, afirma Marina. A ideia é que o usuário possa saber sempre onde está a poesia em sua cidade e, no lançamento, o PoemApp já contava com 10 mil pontos cadastrados. Em poucas horas, confirmou-se que o aplicativo era um sucesso.

O PoemApp conta também com um blog, com dicas literárias e, claro, poemas. A frequência é intensa e de todo o Brasil, mostrando que, à margem do mercado, da mídia, dos grandes centros urbanos e econômicos, a poesia sempre dará um jeito de nos alcançar – como uma expressão natural e essencial da própria sentimentalidade humana.

Poemapp2.png

Fonte: Hypeness.com 

 

Os pais são muito importantes no desenvolvimento dos filhos como leitores

display.jpg

Ouvir e ler histórias desenvolve todo o potencial crítico da criança. O ato de contar histórias deve ser uma prática diária nas instituições de educação infantil, também, em casa, principalmente em casa. Sabemos, com todos os pontos e vírgulas, que contar histórias é extremamente importante e benéfico para as crianças.

Desde a mais tenra idade há quem afirme a eficácia de embalar os bebês, ainda no ventre, com a melodia da voz da mãe, contando histórias, para familiarizar a criança desde aí, com os mecanismos narrativos, e com a proximidade e o afeto que o contar histórias envolve, essas ações, de certo modo, já fazem parte das estratégias para a formação do leitor. Além da importância que causam no desenvolvimento da criança, as histórias infantis quando são narradas por um dos pais, estreitam a relação e a comunicação e proporcionam a troca afetiva.

Toda criança adora ouvir história e pode ser a mesma, muitas e muitas vezes. Transformar a hora da leitura em um momento de aprendizado é essencial. Ouvir e ler histórias desenvolve todo o potencial crítico da criança, é poder pensar, duvidar, se perguntar, questionar, é se sentir inquieto, cutucado, querendo saber mais e melhor ou percebendo que se pode mudar de ideia e ter vontade de reler ou deixar de lado de uma vez. A partir dos 3, 4 anos, as crianças têm um vocabulário maior e constroem as primeiras frases. A leitura para os pequenos, tanto em casa quanto na escola, contribui muito nessa fase de desenvolvimento.

Os contos tradicionais exploram conteúdos e sentimentos que interessam muito às crianças. Como o medo, o abandono, o crescimento, o mal e assim por diante. Primeiramente os pais precisam acreditar na história que narram e transmitir isso para o filho; Escolha um momento do dia para a atividade, como na hora de dormir; Crie um clima, ao chegar após um dia inteiro fora de casa não comece contar histórias imediatamente. Proporcione um tempo de diálogo e brincadeira com seu filho para ele se envolver no clima da história e se desligar das outras atividades; Prepare-se para as interrupções, criança faz muitas perguntas, explique o que for necessário e continue a história;

Os pais são muito importantes no desenvolvimento dos filhos como leitores, quando os pais antes da criança dormir contam história, é um momento de interação, transmite confiança e segurança, cria situação de amorosidade e desenvolve uma memória afetiva muito boa. A criança vai resgatar este sentimento de conforto e amorosidade que teve com os pais quando for estudar os livros da escola.

Os livros ajudam na autoestima e na confiança, a participação dos pais no ato de contar histórias reforçam este sentimento, os pais devem estimular a criatividade da criança na hora de contar uma história, a criança tem conflitos e precisa aprender a se proteger emocionalmente.

Fonte: Livros e Pessoas 

 

9 erros comuns na coleta de dados de uma pesquisa científica

estatistica-07.jpg

“Chamar o estatístico depois que o experimento foi feito é o mesmo que pedir a ele que faça um exame post-mortem – talvez ele consiga dizer do que o experimento morreu”.

Ronald Fisher, criador de técnicas estatísticas fundamentais como a ANOVA, sabia que muitos estudos morrem antes de nascer, na hora da coleta dos dados.

Tanto para experimentos de laboratório quanto pesquisas de campo, o planejamento e cuidado na obtenção dos dados é fundamental.

A maneira mais segura de evitar problemas pelo caminho é contar com o auxílio de um estatístico, mas isso não isenta o pesquisador de conhecer as boas práticas para coleta de dados, para evitar que termine com um material inutilizável para pesquisa.

Começando pelo básico, alguns erros comuns que provavelmente o orientador da pesquisa ajudará a evitar são os seguintes:

1. Não calcular o tamanho de amostra necessário

2. Não planejar a análise posterior a ser feita

3. Não ter objetivos de pesquisa claros em mente

Muitas vezes o pesquisador tem claro para si seus objetivos, mas não sabe como isso se traduzirá numa análise estatística. Por isso deve-se saber não só o que se quer investigar, mas como chegar ao resultado desejado, em termos estatísticos, sabendo quais testes usará.

Isso também envolve, com certeza, obter uma amostra que tenha poder de detecção satisfatório das medidas de interesse, e talvez realinhar seus objetivos se não puder obter o desejado.

4. Coletar amostra “por adesão”

Quem já participou de qualquer tipo de pesquisa é solidário à dificuldade de conseguir voluntários para responder questionários. Algumas pesquisas são ainda mais complicadas porque envolvem unidades amostrais difíceis de se obter.

Ainda assim, não se pode abandonar totalmente o critério de aleatoriedade e pesquisar apenas quem ou o que está mais disponível e próximo.

Tem se tornado corriqueira a pesquisa pela internet em formulários compartilhados por Facebook com os amigos e que com certeza tem um viés em seus resultados. Para quem preza a qualidade de seu trabalho, deve ter cuidado ao utilizar esse método.

5. Não treinar os coletadores de amostra

Assim como você não usaria uma máquina desregulada para medir as variáveis de interesse do estudo, não se pode colocar um pesquisador de campo aplicando questionários sem treiná-lo da forma adequada. Desde a abordagem do pesquisado até a ordem das perguntas, é necessário garantir um padrão. Caso esteja trabalhando sozinho em campo, policie-se para realizar as abordagens sempre da mesma forma.

6. Anotar os dados de forma imprecisa

Por descuido ou mau planejamento, pode-se acabar com informações menos precisas que o necessário. O exemplo comum é da pesquisa em que se pergunta a idade do pesquisado, e não sua data de nascimento. No primeiro caso, há maiores chances de respostas incorretas, por arredondamento, esquecimento ou mentira do pesquisado.

Queremos a informação o mais detalhada possível, pois sempre podemos arredondar ou agrupar os resultados depois. Também pode-se criar critérios que avisem de informações possivelmente erradas durante a coleta. Diversos outros exemplos podem se aplicar, o importante é antecipar-se  e estar atento para evitar incorreções.

7. Acreditar que quanto mais dados, melhor

Em termos gerais, mais informação não costuma atrapalhar o estudo, mas não se deve coletar todos os dados possíveis, deixando para depois a decisão do que fazer com eles (voltando ao item 2 dessa lista).

8. Depois da coleta pronta, querer que os resultados sejam avaliados em subgrupos muito pequenos da amostra

Algo que muitos pesquisadores iniciantes não tem ciência é de que nem sempre é possível avaliar a medida de interesse em qualquer subgrupo da amostra. Caso se tenha interesse em avaliar uma variável de interesse comparando homens e mulheres, por exemplo, é preciso garantir uma quantidade mínima de cada um desses subgrupos na amostra, o que não é possível de ser obtido pós-coleta.

9. Não cuidar dos dados originais

Seja em questionários de papel ou planilhas eletrônicas, os dados originais devem ser guardados até o final da pesquisa (e depois) pois não podem ser substituídos facilmente. Alguns pesquisadores também não sabem que informações resumidas não substituem os dados abertos, por unidade amostral, e a pesquisa ficará bastante limitada se perdê-los por algum motivo.

Fonte: Pós-graduando

No Dia da Toalha, relembre obras do universo Nerd

O-Guia-do-Mochileiro-das-Galáxias.jpg

O dia de 25 de maio é conhecida em diversos países do mundo como o Dia da Toalha ou dia do Orgulho Nerd.  O dia foi escolhido em referência ao clássico livro “Guia do Mochileiro das Galáxias”, de Douglas Adams, aonde a toalha é um item indispensável para a sobrevivência em uma viagem intergalática, a obra é uma das mais populares entre o público Geek. E nada é por acaso, pois no dia 25 de maio de 1977 acontecia a primeira exibição de ‘Star Wars’ em circuito comercial nos Estados.

Mas afinal, o que é ser Nerd? Nerd é um conceito genérico, que define quem se interessa muito por determinado tema e busca aprofundá-lo o máximo possível, fazendo desses universos partes de sua vida. Dentro da expressão há várias derivações, como os Geeks, aficionados por tecnologia, os Trekkers, amantes do Star Trek, os Gamers, ficcionados por video game, os Otaku, que curtem a cultura japonesa, e muitos outros.

As Bibliotecas da UCS contam com diversos livros da cultura Nerd, confira abaixo e retire o seu:

– Stars Wars: A trilogia (821.111(73)-311.9 L933s)  George Lucas, Donald Glut, James Khan  

  – Star Wars : aftermath  (821.111(73)-311.9 W469s)Chuck Wendig 

– O Fim da Eternidade (821.111(73)-311.9 A832f 2007) – Isaac Asimov 

– Doctor Who  (821.111-311.9 R644d) Gareth Roberts 

– Guia dos Mochileiros das Galáxias (821.111-311.9 A211ga)  – Douglas Adams

Anunciados os vencedores do 51º Concurso Anual Literário de Caxias do Sul

19151971.jpg
Foto: Jonas Ramos / Agência RBS

Foram anunciados nessa terça-feira(23) os vencedores do 51º Concurso Anual Literário de Caxias do Sul. A maior premiação foi dada a a Poema-casa, de Bernardethe Pierina Ghidini Zardo, na Categoria Obra Literária (Prêmio Vivita Cartier).

Outros premiados foram Roberta Rech Mandelli, com os textos Teus Tons de Verde, Passarela e Enterro, na categoria contos, com Mudei, Se você fosse embora e A décima segunda vez que fomos derrotados pelas lembranças, na categoria Poesia. e Maya Falks, com Eu, jardim, Pretinho e Eu não estou na lista, na categoria crônica.

Na comissão avaliadora do prêmio estavam os escritores  Dinarte Albuquerque Filho, Natália Borges Polesso e Valesca de Assis. A premiação será no dia 6 de junho, às 19h30min, no Café Do Arco da Velha, na Casa da Cultura.

Saiba as bibliotecas que vão fechar no feriado de N. Sra. do Caravaggio

empréstimo (5).png

Em virtude do feriado de N. Sra. do Caravaggio, as Bibliotecas Central, do Campus 8, Campus da Hortênsias e de Farroupilha, não terão atendimento nos dias 26 e 27 de maio. As unidades retornam normalmente com suas atividades na segunda-feira, dia 29.

Avaliação Online já está disponível para a comunidade acadêmica

Avaliação-Online-2017-2-768x548.jpg

A avaliação online 2016/02 já está disponível. O questionário pode ser respondido desde o dia 19 de maio até o dia 19 de junho.

Na avaliação, os estudantes podem avaliar a infraestrutura do seu bloco e da Universidade, bem como o desempenho dos seus professores, além do aproveitamento nas disciplinas presenciais, semi-presenciais e EAD. Alunos em estágio de término de graduação também podem responder um questionário específico, onde é possível escrever sobre sua experiência com o curso e suas perspectivas de futuro na área profissional.

Os funcionários técnico-administrativos das bibliotecas, secretarias e laboratórios que interagem mais diretamente com os alunos e professores dos cursos de graduação também participam do processo avaliativo .

Sua contribuição no processo de avaliação é fundamental, pois elas vão contribuir para que possamos aprimorar ainda mais as condições de ensino e infraestrutura da Universidade; este método, é utilizado desde o ano de 2002, tendo seus resultado servido como base para o planejamento da instituição.

Para responder o questionário, basta acessar o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), através do UCS Virtual.