anikasalsera.png

É possível ler 200 livros por ano. Pelo menos se empregasse o tempo anual que gasta com redes sociais virando as páginas de um bom texto. Quem garante é o escritor norte-americano Charles Chu, que experimentou (e comprovou) a própria tese em 2015, quando lançou a si mesmo o desafio de ler pelo menos 3 obras por semana.

Tudo começou quando ele descobriu que seu ídolo, o megainvestidor Warren Buffett, atribuía o próprio sucesso à intensidade da sua relação com os livros.

“Leia 500 páginas por dia”, disse o bilionário, segundo o USA Today. “É assim que o conhecimento funciona, é construído (…) Qualquer um é capaz de ler 500 páginas por dia, embora a minoria realmente faça isso” .

Na época, Chu estava no seu “emprego dos sonhos” e era visto como um grande vencedor por seus amigos e familiares, mas sentia um vazio inexplicável e estava cheio de dúvidas quanto às próprias escolhas. Ele decidiu então seguir o conselho de Buffett e investir, com força, nos livros. Deu certo: ele não conseguiu manter a média de 500 páginas por dia, mas ao final de dois anos já tinha começado (e terminado) mais de 400 títulos.

Para provar que a façanha de ler 200 livros por ano não é tão difícil quanto parece, ele propõe um cálculo simples, com base em apenas dois dados numéricos.

O primeiro é que, em média, um norte-americano lê de 200 a 400 palavras por minuto. O segundo é que um livro de não-ficção tem em média 50 mil palavras. Em 200 livros, portanto, há 10 milhões de palavras. Se o seu ritmo for de 400 palavras por minuto, isso significa que a leitura das duas centenas de obras consumirá 25 mil minutos ou 417 horas. Se você leva um susto ao ouvir “417 horas”, diz Chu, vale fazer algumas comparações para dar a dimensão de quanto tempo isso significa ao longo de 12 meses. Em média, um norte-americano passa 608 horas por ano nas redes sociais. O tempo de televisão é ainda maior: 1.642 horas anuais.

O problema é colocar essa constatação teórica em prática, até porque a construção de um novo hábito não depende apenas de força de vontade. Segundo Chu, o primeiro passo é criar um ambiente favorável à leitura.  “Se você quisesse parar de usar cocaína, deixaria o pó disponível pela casa? É claro que não”, escreve ele. Tenha um espaço livre de distrações tecnológicas. Silêncio e conforto também são fundamentais.

Isso não significa, porém, que você deva ler apenas em condições perfeitas. Muito pelo contrário: o ideal é que você se torne um leitor versátil e flexível, capaz de se adaptar a diversos formatos e ambientes de leitura.

Fonte: Exame

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s