Acervo do Herbário da UCS está disponível em bases de dados nacionais e internacionais

Até hoje, nossa coleção já foi utilizada 3.761.857 vezes! Somente neste ano já foram 1.098.191 acessos, com 1.127.715 downloads dos dados completos”, comemora Felipe Gonzatti, curador do Herbário da UCS.

Claudia-Velho-0327-1024x611.jpg

Uma grande biblioteca de plantas secas, que se destina à pesquisa científica, pode ser a definição de um Herbário, que hoje está longe de ser somente uma coleção de plantas secas. Pelo menos é assim com o Herbário da UCS, fundado em 1983 – completando seus 33 anos – que conta com um acervo de 45 mil exemplares e ocupa a 4ª maior coleção do Rio Grande do Sul. Atualmente, 74% do acervo do Herbário está disponível em bases de dados nacionais e internacionais.

Segundo o seu curador, o biólogo Felipe Gonzatti, “desde 2012, o setor iniciou a informatização dos dados dos registros das plantas da coleção. Assim, todas as informações de procedência geográfica (onde a planta foi coletada), dados taxonômicos (como nome científico da planta, família, quem identificou) e dados de coleta (como data de coleta e nome de coletor) começaram a compor um grande banco de dados. Este banco passou a ser disponibilizado em uma plataforma online chamada INCT Herbário Virtual, que congrega mais de 5,2 milhões de registros de plantas brasileiras de 182 coleções botânicas diferentes espalhadas pelo País”.

Mais de 1,2 milhão de downloads

Essa plataforma é de acesso público e utilizada para qualquer tipo de trabalho que envolva as plantas, como ecologia, taxonomia, bioquímica e etc… “Essa ferramenta facilitou muito o acesso às informações da coleção, pois os pesquisadores não precisam mais vir até o Herbário para consultar a coleção, mas podem acessar parte das informações através deste servidor online. Os dados das nossas plantas vêm sendo usados para diferentes aplicações dentro da ciência e isso é contabilizado pela base de dados onde o acervo fica disponível. Até hoje, nossa coleção já foi utilizada 3.761.857 vezes! Somente neste ano já foram 1.098.191 acessos, com 1.127.715 downloads dos dados completos”, comemora Felipe.

Claudia-Velho-0355-1024x732.jpg

Felipe Gonzatti, curador do Herbário, com a disponibilização do acervo em base de dados

Além desta base de dados, o acervo do Herbário está disponível no Sistema de Informações sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr) do Ministério do Meio Ambiente;  e na Global Biodiversity Information Facility (GIBIF), da qual faz parte desde novembro de 2015 e já conta com mais de sete mil downloads de dados. O curador explica que esta base internacional congrega dados da biodiversidade de 54 países, incluindo plantas, animais, fungos e outros microrganismos.

Interação Nacional e Internacional

O acervo do Herbário contém exemplares da flora regional da região dos Campos de Cima da Serra, da Mata de Araucária e da Vegetação Litorânea do Rio Grande do Sul, além de exemplares da flora das outras regiões do Brasil e de outras partes do mundo. “São fungos, musgos, samambaias gimnospermas e angiospermas, de muitas espécies raras dos nossos ecossistemas, espécies ameaçadas de extinção e coleções históricas da flora regional”, explica Felipe.

Entre as atividades no setor estão a identificação botânica e tombo de material para as pesquisas desenvolvidas pelos alunos de graduação, de pós-graduação e de pesquisadores dos cursos de Farmácia, Ciências Biológicas e Agronomia, além de projetos de pesquisa como os inventários florísticos do Projeto Lagoas Costeiras, programas de extensão do Museu de Ciências Naturais, com oficinas para escolas de ensino fundamental e médio, visitantes e programas extensionistas como o UCS Sênior.

Claudia-Velho-0298-1024x681 (1)

Caixas de madeiras guardam o acervo e as coleções

“Cientificamente, mantemos relações com muitas instituições nacionais e internacionais, emprestando amostras da coleção para estudos científicos, trocando amostras entre as coleções ou ainda doando exemplares da flora regional”, ressalta Felipe. As relações mantidas são com instituições como o Instituto Nacional de Tecnologia Agronômica da Argentina, Les Conservatoire et Jardin Botaniques de la Ville de Genève (Suíça), Botanischer Garten und Botanisches Museum Berlin, entre outros. Nacionalmente, as parcerias são com instituições como o Herbário ICN(UFRGS), o Museu Botânico Municipal de Curitiba (MBM), o Herbário da Universidade Estadual de Londrina (FUEL) e o Herbário Roberto M. Klein (FURB).

O acervo está acomodado em mais de 800 caixas de madeiras (como a exsicatas de angiospermas, gimnospermas e samambaias) e as coleções de musgos e fungos em envelopes, armazenados em armários de gavetas, que permanecem em salas climatizadas para manutenção do acervo. O Herbário da UCS está localizado junto ao Museu de Ciências Naturais, no Campus-Sede.

Professor Ronaldo Wasun, o fundador e grande incentivador do Herbário da UCS 

ronaldo.jpg

Professor Ronaldo (de camisa listrada) em foto na década de 80, quando o Herbário ainda estava no bloco A do Campus-Sede. (Foto arquivo)

O grande incentivador e fundador do Herbário na UCS foi o professor Ronaldo Adelfo Wasun – graduado em Licenciatura Plena em História Natural pela Unisinos, especialista em Museologia pela PUC/RS e doutor em Biologia Ambiental pela Universidad de León (Espanha) –, falecido em janeiro de 2014. Ele também foi fundador do Jardim Botânico de Caxias do Sul. Deixou um acervo de mais de 5.000 amostras de plantas por ele coletadas, com duplicatas em herbários do mundo todo.

Ronaldo foi membro da Rede de Herbários do RS; da Rede Brasileira de Herbários; da Sociedade Botânica do Brasil – SBB e da Comissão Nacional de Jardins Botânicos, da Sociedade de Artistas Plásticos do RS e ainda foi fundador da Rede de Jardins Botânicos da Argentina; presidente da Associação Latino-Americana e do Caribe de Jardins Botânicos; vice-presidente da Associação Internacional de Jardins Botânicos; fundador da Rede Brasileira de Aerobiologia; e, junto ao Ministério da Educação, ocupava a função de avaliador de Universidades e Cursos Superiores.

O professor Ronaldo Wasum sempre foi um entusiasta na promoção e valorização da Botânica, dos Herbários e Museus. Acreditava muito na ciência e na educação como motrizes de transformação da sociedade, o que deixava claro em sua célebre fala: “Tudo pela grandeza da Ciência”. Ao longo de sua carreira conduziu inúmeros trabalhos de educação ambiental, voltados a conservação da biodiversidade, e conscientização de crianças e jovens, além da formação de professores.

Recentemente, o campus da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – Litoral Norte homenageou o professor Ronaldo ao nomear seu Herbário com o seu nome (HERW). A coleção foi criada em setembro do ano passado e a maior parte da coleção é composta por briófitas coletadas na Antártica e nos municípios de Imbé e Osório, localizados no Litoral Norte do Rio Grande do Sul.

Fotos: Claudia Velho

Fonte: Assessoria de Comunicação UCS

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s