Após realizarmos um ‘tour digital’ em que conhecemos as casas de alguns escritores clássicos da língua inglesa através do Google Street View, descobrimos que aparentemente a França ostenta cerca de 250 casas e museus abertos a visitação pública dedicados a diferentes escritores que viveram no país, ou que produziram conteúdo em francês. Ou assim afirma o Rimbaud Museum. Você conseguiria pensar em pelo menos meia dúzia de lugares semelhantes aqui no Brasil?… Creio que não.

      A verdade é que a França sempre foi um eixo fundamental na formação literária da cultura mundial, de modo que o número de centros culturais espalhados em seu território convida qualquer um a fazer um auspicioso turismo literário.
   Para enriquecer o seu roteiro de viagem, hoje resolvemos selecionar algumas casas de escritores franceses que você não pode deixar de visitar quando estiver por lá.

      Victor Hugo, em Paris
      A casa parisiense de Victor Hugo está localizada em pleno Place des Vosges, um dos pontos turísticos mais populares de Paris. Não é a única casa dedicada a um escritor que a cidade possui, mas, possivelmente, é a casa mais visitada da Cidade Luz. Victor Hugo viveu no lugar entre 1832 e 1848, e é citada em várias memórias de família do escritor.

     

      Honoré de Balzac, em Paris
     Embora seja menos popular que a casa de Victor Hugo, talvez pela sua localização mais afastada do centro, ainda em Paris temos a casa de Honoré de Balzac para visitar. A entrada é gratuita e só é necessário pegar o metrô para chegar até lá. Toda a casa é um museu. Ele viveu lá entre 1840 e 1847 e foi onde terminou a obra ‘A Comédia Humana’, e escreveu alguns dos seus romances mais famosos.

     

      A sala de Marcel Proust, em Paris
      Não é exatamente um museu ou casa, mas vale a pena a visita se pensarmos que em seus últimos anos de vida, enquanto escrevia sua última obra, Marcel Proust não deixou sua casa e se trancou em seu quarto, onde sua governanta, Madame Céleste, alimentou-o com café e croissants. Uma vez que morreu e tornou-se um famoso escritor, o museu Carnavalet reconstruiu os elementos do seu quarto, reproduzindo as três únicas salas diferentes que o escritor ocupou até a sua morte.

 

      Arthur Rimbaud, em Charleville
     Quando criança, Rimbaud viveu com sua mãe e seus irmãos no primeiro andar de uma casa em Charleville, no norte da França. Hoje é um dos dois espaços da cidade dedicado ao autor, embora seja mais como um lugar dedicado a preservar sua memória, do que um museu ou uma reprodução do que outrora foi seu lar.

 

      Jules Verne, em Amiens
      Jules Verne e sua esposa, Honorine, mudaram para esta casa em 1882 e viveram lá até 1900. A ideia é preservar a história do lugar mantendo exatamente igual ao período em que foi habitado pelo escritor. Você pode contar com um guia que te conduz por todos os ambientes da casa durante a visita.

 

      Gustave Flaubert, em Rouen
     Este é um museu especial que ocupa o lugar de nascimento do escritor, mas não é exatamente um museu exclusivamente sobre o autor. Seu nome, Musee Flaubert et d’Histoire de la Médecine, deixa claro: o museu é uma homenagem tanto para a juventude do autor, quanto uma ode a medicina no século XIX.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s