Ciência, engenharia e filosofia perdidas nas páginas da história

Pense em todo conhecimento humano acumulado através dos tempos. Sabia que cerca 80% das descobertas e das criações da humanidade se perderam no passado? Boa parte dos gênios da antiguidade morreram sem transcrever suas invenções. Outros tiveram suas anotações destruídas pelo tempo ou intencionalmente por críticos e opositores.

Não dá para precisar exatamente quantos livros importantes se perderam antes do advento da prensa de Gutemberg. Mas alguns indícios históricos anunciam obras que, se encontradas, poderiam mudar o jeito como vemos o mundo.

Arquimedes
Arquimedes

Sobre a construção de esferas, de Arquimedes

A existência desta obra só é confirmada por citações em trabalhos de outros estudiosos da época. Acredita-se que se trata de um manual com instruções para a montagem de modelos mecânicos do sistema solar e relógios astronômicos. Outras pessoas especulam que a obra possa trazer o projeto da Máquina de Anticítera, um dos maiores enigmas da ciência humana. Mesmo 112 anos após a sua descoberta, ainda há dúvidas sobre seu funcionamento e utilidade.

Pelos padrões contemporâneos de sofisticação mecânica, os trabalhos deste livro causariam uma revolução na ciência moderna. E mesmo que essas suspeitas não se confirmassem, o simples fato de Arquimedes ter sido o Leonardo da Vinci da antiguidade faria desta obra um dos livros mais preciosos do mundo.

Infelizmente, as possíveis cópias do texto provavelmente foram carbonizadas quando Roma destruiu a Biblioteca de Alexandria.

Casa da Sabedoria em Badgá
Casa da Sabedoria em Bagdá

A Seção Livros Raros na Casa da Sabedoria

Os mais raros livros e antigos dos três continentes eram armazenados na Grande Biblioteca de Bagdá, a maior do planeta. Lá também ficava abrigada a maior parte da cultura Persa, incluindo suas descobertas na área de ciência, medicina, astronomia e tecnologia, que fizeram de sua nação o maior império do mundo por vários séculos.

Os mongóis fizeram questão de jogar cada documento da biblioteca dentro do Rio Tigre quando conquistaram a cidade. De acordo com relatos de sobreviventes, as águas do rio ficaram pretas com a tinta dos pergaminhos durante seis meses.

Platão
Platão

Hermócrates, de Platão

Alguns pesquisadores acreditam que há um terceiro livro da teoria de campo unificado de Platão. Os dois primeiros, Timeu e Critias, são basicamente transcrições das ideias de um dos maiores e mais influentes pensadores de todos os tempos sobre as origens do universo.

Se Hermócrates for parecido com os dois primeiros livros da série, deve lidar com conceitos brilhantes e particularmente avançados (como moléculas e a proporção áurea), e teria influenciado filósofos e cientistas por séculos.

O problema é que ninguém sabe onde este esse livro está. Alguns especulam que Platão jamais o terminou. Mas sonhar com um mundo onde os ensinamentos destes mestres da antiguidade continuam acessíveis para as gerações futuras é bom e não custa nada. Além do mais, a perda destas obras inestimáveis serve de alerta sobre a importância da preservação do patrimônio literário da humanidade.

Fonte: Canal do Ensino

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s