(Foto: flickr - creative commons / Juan Carlos Mejía)

Publicado na Galileu

Pedimos aos nossos leitores, através das redes sociais, recomendações de livros escritos por autores brasileiros. Mas livros especiais, que haviam mudado a vida das pessoas e que eles recomendavam. Confira aqui algumas das melhores indicações:

Senhora – José de Alencar (por Aline Goulart)

“Me fez ver como ‘amor e ódio andam juntos’, e como o pódio da vingança depois de alcançada não resta nada além da solidão. Fora que é digno de filme estilo Hollywood”

.

Meu pé de laranja lima – José Mauro de Vasconcelos (por Rita Burnatowiski)

“O primeiro que li e que me despertou para esse universo maravilhoso”

.


Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis ( por Will Conserva)

“Simplesmente me fez ver a vida de uma perspectiva que eu jamais vi, me inspira como compositor, nas minhas tentativas de ser escritor. Machado de Assis foi um ser humano fantástico”

.

O Alienista – Machado de Assis (por Patrick Castilho)

“Porque faz uma reflexão sobre os hábitos e costumes que temos como ‘normais’. Estes que usamos como parâmetros para julgar as outras culturas como exóticas, loucas e bárbaras”

.


Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres – Clarice Lispector (por Clarissa Olivares)

Identificação resume. Além de amar o mar – presença forte na obra da Clarice -, a narrativa poética (ainda que em prosa) da autora me encanta. Destaque para o trecho: “Aí estava o mar, a mais ininteligível das existências não-humanas. E ali estava a mulher, de pé, o mais ininteligível dos seres vivos.(…)” até “(…) O sal, o iodo, tudo líquido deixam-na por uns instantes cega, toda escorrendo – espantada de pé, fertilizada.”(pág. 91/92)

.


Grande sertão: veredas – Guimarães Rosa (também por Clarissa Olivares)

Fiquei pensando em “Guimarês” por uns 20 dias (rs), pela narrativa cheia de neologismos que coloca o leitor ainda mais dentro do universo do sertão. Ainda trago comigo vários trechos. Destaco este: “O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”

.

Capitães da areia – Jorge Amado (por Mayara Freitas)

Mudou minha vida porque foi através dele que despertei para o hábito da leitura.

.

Éramos Seis – Maria José Dupré (por Valéria Lisboa)

Li, menina, pequena, e me encantei com aquele mundo caseiro, a Avenida Angélica, a São Paulo antiga, a família, o amor da Dona Lola e a sua abnegação pelos filhos…Li e reli. Inúmeras vezes. Sinto saudade da menina que fui e das histórias em que acreditei, piamente, durante a minha primeira infância. Tudo tão pueril! E tão mais bonito…

As Bibliotecas do Sistema UCS contam com todas as obras acima listadas em seus acervos.

Retire e divirta-se!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s