The New York Public Library reading room.

Se o Google não pode responder suas questões nos dias de hoje, quem você vai chamar? Um bibliotecário, é claro.

Bibliotecários continuam a ser legais. Numa série contemporânea da TNT (exibida no Brasil pelo canal Universal), The Librarians, ou Os bibliotecários, são os protagonistas e os super  heróis. Nos passar dos anos, a biblioteconomia tem subido na lista Forbes* de trabalhos menos estressantes. E mesmo nessa era de ferramentas de busca, bibliotecários continuam fazendo novas descobertas…

Várias semanas atrás o pessoal do icônico prédio da NYPL, (New York Public Library ou Biblioteca Pública de Nova York) em Manhattan,  encontrou uma caixa com velhas perguntas de referências – que vão desde a década de 40 até a década de 80 – feitas por usuários.

Como a porta voz da NYPL, Angela Montefinise aponta, as perguntas – em si- são convincentes. E talvez elas falem de um modo mais suave, sobre um tempo mais ingênuo.

Mas talvez não.

“Algumas são só perguntas difíceis,” diz Angela. “Outras são historicamente interessantes, outras são apenas engraçadas”. Aqui estão algumas pérolas, pouco editadas para maior clareza:

  • É próprio ir para o Reno sozinho para conseguir um divórcio? (1945)
  • Eu acabei de ver um rato na cozinha. É certo usar SBP? (1946)
  • Qual é o tempo de vida de um cílio? Resposta: baseado no livro Seu Cabelo e Seu Cuidado, o tempo de vida é 150 dias. (1946)
  • O que significa sonhar com um elefante perseguindo você? (1947)
  • Onde eu posso alugar um beagle para ir caçar? (1963)
  • Você pode me dizer qual é a espessura de um Selo com cola nele? Resposta: Nós não podemos dar essa resposta rapidamente. Porque você não tenta o Correio? Réplica: Esse é o correio. (1963)
  • A Biblioteca Pública de Nova York tem um computador para uso público? Resposta: Não senhor! (1966)

E aqui temos uma nota datilografada encontrada em um cartão de catalogação:

Ligação telefônica no meio da tarde no Ano Novo, 1967: Uma voz feminina um tanto incerta: “Eu tenho duas questões. A primeira é uma pergunta meio sobre etiqueta. Eu fui para uma festa na véspera do ano novo e inesperadamente passei a noite. Eu não conhecia de verdade os anfitriões. Eu devo mandar um cartão de agradecimento? Segunda pergunta. Quando você encontra alguém e você sabe que ele vale 27 milhões de dólares – porque é isso que eles me disseram, 27 milhões de dólares- e  você sabe a nacionalidade dele, como você faz para encontrar o nome dele?

Os bibliotecários estão planejando publicar algumas dessas perguntas antigas na sua conta do Instagram nos próximos dias.

“Nós fomos o Google antes que o Google existisse.” Angela explica. “Se você tivesse o interesse de saber se uma cobra venenosa iria morrer se ela se picasse, você iria nos ligar ou nos visitar.”

Sério? “Sim, essa pergunta foi feita.”

Mesmo com o Google, Siri, OnStar e DuckDuckGO – entre outros-  os bibliotecários continuam respondendo perguntas. “Nós recebemos cerca de 1700 perguntas de referência por mês via chat, email e telefone” Angela afirma, incluindo perguntas mais difíceis que as pessoas não conseguem responder – mesmo com a Internet.

E com tantas informações conflitantes por ai, Angela adiciona, é difícil saber a resposta correta.

Um bibliotecário sábio pode sempre ajudar nessas situações. Isso é um fato.

Fonte: National Public Radio

*Forbes é uma das principais fontes para informações confiáveis sobre negócios e finanças.

Tradução livre do Inglês.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s