As vezes pode parecer que os diversos gêneros literários conhecidos sempre estiveram por aí ocupando suas devidas prateleiras nas livrarias. Ainda que atualmente convivamos com novas subcategorias que surgem espontaneamente entre os leitores, a verdade é que existe uma origem para tudo nessa vida, até mesmo para os gêneros clássicos como o romance, ficção científica, terror, policial e outros que são considerados ‘milenares’ dentro da literatura.
Embora nunca seja uma ciência exata, nós tivemos a súbita curiosidade de pesquisar e descobrir alguns desses livros históricos que seguramente são considerados os pioneiros em seus respectivos gêneros.
Primeiro livro de Horror: Frankenstein , de Mary Shelley
A escolha óbvia é por vezes evidente por uma razão. Frankenstein  (1818) continua a ser uma das obras mais famosas e bem conhecidas na história, e é o precursor claro dos contos de horror moderno, não só contando um enredo envolvendo algumas coisas bem bizarras (cadáveres costurados e animado contra toda a lei da natureza, o que nos leva, naturalmente, a uma certa hilaridade no fato), mas também sendo contada de uma forma que era decididamente revolucionário para a época.
Alguns argumentam que é, na verdade, o primeiro romance de ficção científica devido à maneira como a ‘ciência’ foi usada na animação do monstro, mas o aspecto tecnológico do livro é realmente apenas uma ferramenta. O núcleo deste livro é o pavor da montagem resultante da experiência notória de Victor Frankenstein, com uma ambientação variando entre a tristeza e o arrependimento. Em outras palavras, ainda hoje, não importa quantos livros de terror moderno você tenha lido, um dia este ainda vai entrar para a sua lista de leitura.

Primeiro livro de Romance: Orgulho e Preconceito, de Jane Austen
Publicado literalmente a 200 anos atrás, Orgulho e Preconceito permanece como um modelo poderoso que ainda é usado como inspiração para novos romances de ficção a cada nova geração de escritores.
O livro que a própria autora considerava “seu filho mais querido”, atravessou os séculos dotado de uma assombrosa vitalidade. Além de uma das mais comoventes histórias de amor já escritas, é uma brilhante comédia de costumes e um estudo profundo da sociedade de seu tempo. A plena compreensão do mundo feminino e o domínio da forma e da ironia fizeram de Jane Austen a mais notável e influente romancista da história.
Quando foi publicado, a riqueza da sua narrativa deixou muitos leitores em dúvida sobre a possível veracidade da sua história, que ainda hoje, se você reescrever esta obra usando gírias e uma linguagem mais moderna, ainda será capaz de vender milhões de exemplares.

Primeiro livro de Ficção Científica: As Viagens de Gulliver , de Jonathan Swift

As Viagens de Gulliver é uma grande aventura que foi originalmente concebida como uma paródia das ‘histórias de viajantes’ da literatura, estilo muito popular na época. Enquanto a concepção da paródia foi perdida pela maioria dos leitores modernos, a sátira da natureza humana permanece potente, divertida, e surpreendentemente fantástica para algo escrito há quase 300 anos, se encaixando confortavelmente nos padrões modernos dos romances de ficção científica muito antes do termo ter sido cunhado.
É também um romance raro que continua a ser agradável em qualquer uma das dúzias de versões e adaptações que já foram produzidas sobre essa história.

Primeiro livro Jovem Adulto: Mulherzinhas , de Louisa May Alcott
Parece estranho hoje, mas o conceito de “adolescência” como um período separado e distinto da vida, é bastante recente. É claro que as chances de sobreviver à esse período melhoraram muito no último século, o que dá muito sentido a essa lógica.
Enquanto diversos romances são especulados como o primeiro livro destinado a um público jovem, o Mulherzinhas de Alcott é a obra mais antiga que se tem notícias dentre deste estilo: Um foco em personagens jovens e suas lutas, uma história que apresenta um ponto de partida simples que torna-se complicado por preocupações de adultos, e uma abordagem realista perante as preocupações dos jovens. É fácil identificar os elementos básicos que definem o gênero neste maravilhoso livro.
 
Primeiro livro de Novela Psicológica: As Relações Perigosas, de Choderlos Laclos
Ao contrário de outros tipos de romance, onde o ambiente sociocultural é fator crucial para o desenvolvimento da trama, o gênero romance psicológico tem como principal característica a imersão nas razões dos motivos, escolhas e ações dos seres humanos, se apegando à análise das decisões e seus motivos íntimos.
O livro pioneiro do gênero é o clássico de Choderlos Laclos, general francês que entrou na literatura mundial pela obra As Relações Perigosas, de 1782. Porém, o gênero só ganharia reconhecimento no final do século XIX, quando Dostoiévski foi traduzido do russo para outras línguas e Stendhal foi redescoberto nos meios literários. Uma das obras primas do romance psicológico é Crime e Castigo escrita por Dostoiévski, que apresenta um personagem atormentado por sua memória após cometer um assassinato.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s